Menu
domingo, 07 de março de 2021
Colunistas

Artigo Tati Zanon: O que se leva dessa vida...

03 Mar 2016 - 06h09Por (*) Tati Zanon
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

Tomada pela alegria de recentemente ter completado mais uma primavera, decidi, como na semana passada, escrever um artigo de temática mais leve. A inspiração, como de costume, é o cotidiano, e as coisas belas com as quais ele brinda nossos olhos.

Todos os anos, ao olhar o calendário e ver que mais um aniversário se aproxima, não há como não pensar no que nos aguarda para os próximos 365 dias, não é mesmo, querido leitor? Alguns torcem por dias melhores, outros pela cura de uma doença, outros são tomados pela tristeza causada por aquele sentimento de "a essa altura, imaginei que minha vida seria diferente". Acredito que todos nós, até mesmo os mais otimistas, trazem esses questionamentos para si, e o dia do aniversário é uma data muito propícia para tanto.

Há dois dias, eu conversava com minha irmã caçula, e ela me disse algo que não me esquecerei mais. "A lei da vida é assim: é o esforço de cada um que determina o sucesso de qualquer empreitada. Tirando alguns poucos desafortunados, acredito que as coisas aconteçam mesmo dessa forma. Parece-me uma maneira justa de viver a vida: cada um tem aquilo que cultiva. Raríssimas exceções não se encaixam nessa regra.

Em mais um de seus magníficos textos, o já falecido educador (para mim, poeta e inspiração), Rubem Alves, afirmou: "Quando vejo os ipês floridos, sinto-me como Moisés diante da sarça ardente: ali está uma epifania do sagrado. Mas uma mulher que vivia perto da minha casa decretou a morte de um ipê que florescia à frente de sua casa, porque ele sujava o chão, dava muito trabalho para a sua vassoura. Seus olhos não viam a beleza. Só viam o lixo", escreveu Rubem em "A complicada arte de ver".

Mesmo diante dos problemas que se colocam a nossa frente, acredito, como afirmou minha querida irmã e meu querido poeta, que o sucesso em vencê-los depende de cada um de nós. Certamente, aqueles que enxergam um ipê como arte divina terão uma vida mais plena. E seus aniversários, sem dúvidas, poderão ser comemorados com mais otimismo e felicidade.

Foto: Divulgação

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias