quarta, 18 de maio de 2022
Fique Ligado com Patrícia Zani

A simulação de aposentadoria do INSS é confiável?

19 Ago 2021 - 11h35Por Patrícia Zani
Patrícia Zani - Crédito: Arquivo PessoalPatrícia Zani - Crédito: Arquivo Pessoal

Muitos clientes chegam ao escritório com essa dúvida. Conforme o próprio nome diz é uma simulação, ou seja,  um serviço oferecido pelo site do MEU INSS para simular o tempo de serviço e aposentadoria.

Quando o segurado vai efetuar a contagem do seu tempo de serviço ou aposentadoria deve ficar muito atento à simulação apresentada pelo INSS, já que essa contagem pode induzir o segurado ao erro, tanto referente ao tempo de contribuição quanto ao valor de benefício.

Importante ressaltar que ela ajuda bastante o segurado, porém só vai refletir a realidade, se o extrato do CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais) estiver atualizado.

Esse extrato é como se fosse um relatório de informações do contribuinte, onde constam os vínculos empregatícios, as contribuições, os recolhimentos realizados em GPS, na condição de contribuinte individual e/ou prestador de serviço.

A falta de atualização do CNIS pode trazer muitos prejuízos, entre eles, o erro na simulação do tempo de serviço e valores da aposentadoria, já que a simulação leva em conta as informações desse extrato.

É possível ter acesso ao extrato previdenciário nas Agências do INSS, pelo portal meu.inss.gov.br, mediante cadastro de senha, e ainda os correntistas da Econômica Federal e do Banco do Brasil podem ter acesso a algumas informações do CNIS.

Nesses termos, tendo o extrato em mãos, a Carteira de Trabalho, os carnes de contribuição e as Certidões de trabalho, o segurado deve conferir  a simulação. Existindo dados divergentes entre os mesmos, fica claro que a simulação não é confiável e que as informações devem ser corrigidas.

Ainda,  importante esclarecer que a simulação efetuada pelo INSS não considera o tempo de trabalho rural, o tempo de atividade insalubre, em alguns casos também não considera o período de afastamento por incapacidade, períodos laborados como trabalhador doméstico,  períodos em que o empregador deixou de efetuar corretamente os recolhimentos, contribuições efetuadas em valor menor etc.

Assim,  como especialista em direito previdenciário,  deixo o meu alerta: Apesar do serviço de simulação ser uma ferramenta que ajuda o segurado, não é possível confiar totalmente na simulação apresentada pelo INSS, ela deve ser usada como um guia, necessitando de uma análise minuciosa  por parte do segurado ou pessoa qualificada.

rodapepatriciazani

Leia Também

Últimas Notícias