Menu
quarta, 08 de abril de 2020
Direito Sistêmico

A empresa e sua visão sistêmica

06 Dez 2019 - 07h00Por (*) Dra. Rafaela Cadeu de Souza
A empresa e sua visão sistêmica -

O que é sistema? Podemos encontrar a seguinte definição: “conjunto de elementos concretos, ou abstratos, intelectualmente organizados”, pelo dicionário on line.  E visão sistêmica? Da mesma forma, podemos verificar que sua definição pode ser: Visão sistêmica consiste na habilidade em compreender os sistemas de acordo com a abordagem da Teoria Geral dos Sistemas, ou seja, ter o conhecimento do todo, de modo a permitir a análise ou a interferência do mesmo.”

Pois bem, a empresa é constituída de seus fundadores e de seus funcionários e colaboradores. As três leis sistêmicas desenvolvidas pelo alemão Bert Hellinger, que são: Hierarquia, Pertencimento e Equilíbrio entre o dar e receber, são de extrema importância nas relações sejam elas familiares ou empresariais.

A empresa é um ser vivo, ela também nasce e pode morrer, precisa de cuidados como seus proprietários concedem a si mesmos. Ela também necessita enquanto pessoa jurídica, cuidar das suas relações, do equilíbrio principalmente entre o que fornece e o que recebe. Caso algum funcionário seja demitido injustamente, o lugar dele poderá torna-se um enorme problema. O respeito por quem desenvolve um projeto, com dedicação que pode custar sua vida pessoal, caso não tenha seu reconhecimento devido, ocasiona um desequilíbrio nesse sistema.

A lei sistêmica da compensação de danos é às vezes vista por meio das ações trabalhistas ou por meio de questões tributárias. Uma ação trabalhista pode falir uma empresa, pois pode tomar toda sua capacidade. O que existe além da lei prevista na Consolidação das Leis Trabalhistas? No Direito pós-moderno não podemos mais usar somente a letra da lei como forma de resolução de conflitos, e assim, o Direito Sistêmico vem contribuir, com essa abertura, podemos ter outro olhar, favorecer os entendimentos e com a assunção de responsabilidades, e uma comunicação eficaz, quantas soluções podem ser encontradas?

Entender que a empresa é um sistema, e que necessita também cumprir todos os seus deveres, para receber seus direitos, respeitar quem veio antes, equilibrar os recebimentos e pagamentos, a torna “saudável”, próspera, em direção à vida e ao crescimento, e isso depende de seus gestores principais.

Muitos já viram situações de empresas falirem depois que os proprietários, por exemplo, passam por uma situação de dissolução de vínculos familiares, e com isso, toda a empresa se esvai ao mesmo tempo. Como ficam os funcionários, os fornecedores, os impostos? Essa responsabilidade ao ser assumida pelos envolvidos já torna tudo um pouco mais ameno, soluções podem aparecer, mas não como mágica, e sim por atitudes, e que respeitem as leis sistêmicas. Este é uma breve visão da aplicação do Direito Sistêmico na solução de questões empresariais, em prol da manutenção das empresas e seus empregados, que favorecem a sociedade como um todo, ou, como um “SISTEMA”.

(*) A autora é Advogada Sistêmica, inscrita na OAB/SP 225.058 e Presidente da Comissão de Direito Sistêmico da 30ª Subseção de São Carlos.

Esta coluna é uma peça de opinião e não necessariamente reflete a opinião do São Carlos Agora sobre o assunto.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias