Menu
terça, 25 de junho de 2019
Agressão, desrespeito e desavenças

Versões diferentes e polêmica entre vereador e ativista de São Carlos

10 Jan 2019 - 18h05Por Marcos Escrivani
Versões diferentes e polêmica entre vereador e ativista de São Carlos - Crédito: Redes Sociais Crédito: Redes Sociais

Uma polêmica aconteceu na manhã desta quinta-feira, 10, no Cemitério Municipal Nossa Senhora do Carmo e na base avançada da Guarda Municipal e envolveu o vereador Paraná Filho (PSB) e Nelsinho Pereira, um ativista que posta em sua página no Facebook, problemas que atingem a população, como ruas esburacadas, vazamentos de água e mais recentemente o estado de abandono que estaria o cemitério Nossa Senhora do Carmo.

Supostas agressões, desavenças, desrespeito e duas versões diferentes e que acabou em registro de boletim de ocorrência no 1º e 4º DPs e será alvo de investigação pela Polícia Civil.

Nelsinho Pereira afirmou ter sido vítima de agressão por parte do parlamentar. No documento policial, ele garante que teria ido na base avançada da Guarda Municipal, na Praça da Independência registrar um BO e quando chegou ao local quatro pessoas, dentre elas o vereador e sem motivos aparentes, passaram a agredi-lo com chutes e socos. Uma das guardas municipais presente teria contido os agressores.

Nelsinho relatou às autoridades policiais que estaria no Cemitério Nossa Senhora do Carmo acompanhando a limpeza, uma vez que teria cobrado a Prefeitura Municipal quando Paraná se aproximou e deu um tapa em sua mão, derrubando o seu celular no chão. Depois de um chute no aparelho, danificando-o.

Na base avançada da GM, Nelsinho voltou a dizer que teria sido agredido pelo vereador e que teve seu celular furtado.

PARANÁ GARANTE QUE NÃO AGREDIU E QUE FOI DESRESPEITADO

Na tarde desta quinta-feira, 10, o São Carlos Agora entrou em contato com o parlamentar que refutou todas as acusações. Garantiu ainda que não agrediu Nelsinho Pereira e que teria sido desrespeitado pela suposta vítima.

Em nota oficial, o parlamentar confirmou que foi até o cemitério, mais precisamente no velório do seu concunhado Alexandro B. da Silva, que foi assassinado na manhã de quarta-feira, 9, no Cidade Aracy.

Segundo Paraná, por volta das 10h30 teria sido abordado por Nelsinho que teria colocado o celular em seu rosto, passando a agredi-lo verbalmente e fazer vídeos.

“O referido cidadão argumentava que havia pedido a retirada de duas árvores na rua Santa Gertrudes na Vila Izabel e que até essa data as mesmas ainda não haviam sido retiradas”, disse. Paraná afirmou que já tinha feito um requerimento e aprovado pela Câmara e endereçado ao Departamento de Áreas Verdes.

Apesar das explicações, Paraná disse que Nelsinho continuou a fazer gravações, proferir palavras de baixo calão e começou a dançar e rebolar de forma desrespeitosa, pois estava em um velório.

“Porém, cerca de 2 minutos depois, em mais um ato totalmente desprovido de sensibilidade com os familiares que estavam ali velando seu ente querido, Nelson Pereira voltou rebolando e dançando novamente e, satirizando o fato de ter gravado um vídeo de minha pessoa”, disse, em um trecho do texto.

Em sua explicação, Paraná afirmou ainda que a partir daí começou a ouvir gritos e correria em direção a Base Avançada da GM. Temendo ter algum parente seu envolvido, foi ver do que se tratava, quando viu Nelsinho e outras pessoas em luta corporal. O parlamentar relatou que Nelsinho estava agressivo, que conseguiu imobiliza-lo e pediu ajuda da GM.

“Em nenhum momento lhe agredi ou fiz com que lhe agredissem ou mesmo pactuei com que lhe agredissem, muito pelo contrário, impedi que houvesse ainda mais agressões de ambas as partes, posto que, Nelson Pereira também agredia as pessoas que ali estavam”, afirmou o vereador.

A VERSÃO DO VEREADOR

Abaixo, a íntegra da versão fornecida pelo vereador Paraná Filho ao São Carlos Agora

“Nessa manhã de quinta-feira (10) fui até o Cemitério Municipal Nossa Senhora do Carmo afim de acompanhar o velório de meu concunhado Alexandro B. da Silva que foi brutalmente assassinado na madrugada de ontem (09) no bairro Cidade Aracy.

Por volta das 10h30 fui abordado dentro do velório pelo cidadão Nelson Pereira que, colocando o seu aparelho celular em meu rosto, passando a me gravar e a me agredir verbalmente em frente a meus familiares.

O referido cidadão argumentava que havia pedido a retirada de duas árvores na rua Santa Gertrudes na Vila Izabel e que até essa data as mesmas ainda não haviam sido retiradas.

Argumentei que, minha parte como vereador já tinha sido feita por meio do Requerimento nº 0817/18 Processo nº 1544/18 que foi aprovado pelo Plenário da Câmara Municipal e endereçado ao Departamento de Áreas Verdes da Secretaria Municipal de Serviços Públicos, que respondeu que, a retirada das arvores já estavam na programação.

Disse ainda, que agora só me restava cobrar o Secretário Mariel Olmo e o Diretor Jurandir Ferrante.

Ressalto que, minha assessoria já havia enviado cópias do requerimento com as respostas da Prefeitura Municipal de São Carlos para Nelson Pereira acerca do caso.

Porém, nada disso adiantou e o cidadão Nelson Pereira que continuou a gravar e a me xingar com palavras de baixo calão, dirigiu-se ao estacionamento de veículos que fica em frente a Base Avançada da Guarda Municipal dançando e rebolando de forma desarrazoada, posto que, estava em um velório.

Porém, cerca de 2 minutos depois, em mais um ato totalmente desprovido de sensibilidade com os familiares que estavam ali velando seu ente querido, Nelson Pereira voltou rebolando e dançando novamente e, satirizando o fato de ter gravado um vídeo de minha pessoa.

Nesse exato momento, eu conversava com uma funcionária do cemitério por nome Priscila, quando ouvi alguns gritos e vários homens que estavam no local correndo atrás de Nelson Pereira por não tolerar tamanho desrespeito em meio a um velório, em um momento de dor e tristeza das pessoas que estavam ali velando o ente querido.

Nelson Pereira correu e entrou na Base Avançada da Guarda Municipal, onde havia duas Guardas Municipais. Daí então, fui rapidamente até o referido local para ver se havia alguém da minha família envolvida naquela situação, posto que, naturalmente, no velório de Alexandro estavam dezenas de pessoas de minha família, primos, tios, tias, cunhadas, irmãos, etc. posto que este era meu concunhado.

Quando entrei no local, Nelson estava em luta corporal com algumas pessoas e quando tive oportunidade, o imobilizei e tirei as demais pessoas que estavam em luta corporal com ele.

Antes de soltá-lo da imobilização, pedi ajuda para a Guarda Municipal e para alguns homens que estavam no local para conte-lo, posto que Nelson Pereira estava muito agressivo.

Em nenhum momento lhe agredi ou fiz com que lhe agredissem ou mesmo pactuei com que lhe agredissem, muito pelo contrário, impedi que houvesse ainda mais agressões de ambas as partes, posto que, Nelson Pereira também agredia as pessoas que ali estavam.

Mesmo diante do desrespeito praticado por Nelson Pereira com as famílias que estavam ali velando seus entes queridos, não acredito que a violência tenha sido a atitude correta adotada por ele e por quem com ele manteve luta corporal.

Sou contra todo e qualquer tipo de violência.

Vereador Paraná Filho”

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias