Menu
segunda, 08 de março de 2021
Homenagem póstuma

“Uma pessoa de extrema capacidade de comunicação, deu muita visibilidade a São Carlos”, diz diretor do Ciesp sobre Juquita

Gerson Edson Toledo Piza faleceu no domingo, 24, aos 74 anos, em decorrência de complicações na saúde

27 Jan 2021 - 07h31Por Redação
Posse da diretoria em 2007: Juquita (2º à esquerda) faleceu domingo, 24 de janeiro - Crédito: DivulgaçãoPosse da diretoria em 2007: Juquita (2º à esquerda) faleceu domingo, 24 de janeiro - Crédito: Divulgação

A morte do empresário e radialista Gerson Edson Toledo Piza, o Juquita, causou grande comoção. Sua simpatia e o reconhecimento ao seu trabalho foram destaques nas inúmeras manifestações expressas nas redes sociais. Juquita morreu neste domingo, 24, aos 74 anos, em decorrência de complicações na saúde. Ele estava internado na Santa Casa de São Carlos.

“O Juquita era uma pessoa de extrema capacidade de comunicação. Além de gostar de interagir, tinha grande habilidade de aglutinar pessoas e uma enorme rede de contatos. Ia muito ao CIESP São Paulo, onde tinha importantes relacionamentos e vivenciava com gosto aquele ambiente. Com isso, trouxe muita visibilidade para São Carlos”, destaca Emerson Chu, diretor titular do Ciesp São Carlos.  

Juquita era diretor de Plenária do Ciesp São Paulo, diretor adjunto do Departamento de Ação Regional da Fiesp e membro do Conselho do Ciesp São Carlos, do qual também foi diretor durante 13 anos. Visionário, deu os primeiros passos em direção à construção da sede própria da entidade no município. Articulou, rifou carros e cumpriu importantes etapas para viabilizar a obra, ao lado do empresário Sergio Pepino, que deu continuidade à iniciativa quando esteve à frente da Diretoria.

Proprietário da extinta Intersom FM, Juquita sempre foi um entusiasta da comunicação e incentivador do desenvolvimento industrial na região. Seja como membro da Diretoria do Ciesp São Carlos, ou como diretor em São Paulo, realizou grandes feitos pela indústria.

“O Juquita foi um dos primeiros empresários que conheci quando cheguei a São Carlos, em 2011, por recomendação do então diretor regional do SENAI-SP, Prof. Walter Vicione Gonçalves. Logo percebi a relevância que o Juquita tinha no contexto empresarial, por sua capacidade de comunicação e articulação. Em 2013 tivemos a chance de homenageá-lo, convidando-o para ser Paraninfo em nossa formatura dos Cursos de Aprendizagem Industrial. Foi um grande amigo, que deixou sua marca na história do Senai São Carlos, sempre em defesa da indústria”, ressalta o diretor do Senai São Carlos, Marcio Vieira Marinho.

DEPOIMENTOS

Juquita deixou marcas em diversos aspectos. Ora polêmico, ora divertido, sempre bem-humorado, tirava sorrisos e cumprimentos por onde passava. O advogado especializado em Direito Empresarial e Relações Sindicais, Antonio Sasso Garcia Filho fez uma bela descrição do empresário.

“Gerson Edson de Toledo Piza, ou simplesmente “Juquita”, como era conhecido, foi um grande empreendedor e um grande comunicador na nossa querida São Carlos. Sua trajetória na sociedade são-carlense foi multifacetária, mas à frente da Intersom FM, conduziu por anos o icônico “Jornal da Intersom”. Sempre sorrindo, com seu jeito alegre e descontraído, criou um estilo próprio, inconfundível, em termos de radiodifusão na nossa cidade. Parte deixando filhas e netos e levando consigo as saudades já presentes de quem teve o privilégio de conviver com ele em vida”, comenta Sasso.

O senador italiano Fausto Longo, que por muitos anos ocupou cargos na FIESP, também se manifestou: Sua ausência será muito sentida. Seja em São Carlos, na FIESP, no CIESP, no mundo do jornalismo ou do rádio. Generosidade era sua marca. Juquita era sempre gentil e acolhedor. Nossos sinceros sentimentos de solidariedade à sua família”, publicou em sua rede social.

AFETO E AMIZADE

No grupo de associados do Ciesp São Carlos no WhatsApp foram várias as manifestações de amizade e afeto. “Juquita foi um grande companheiro. Sábio aglutinador, de rara sensibilidade política. Deixará saudades”, afirmou o diretor presidente da Discasa, Luiz Fernando Oliveira Ferreira.

“Foi uma pessoa ímpar, batalhadora e tinha um coração enorme. Fará muita falta”, escreveu o advogado Paulo Diniz. Outras mensagens relembram a amizade estabelecida ao longo de anos. “Juquita foi, sem dúvidas, um grande aglutinador, sempre simpático e muito ativo. Só tenho boas lembranças deste companheiro”, escreveu José Paulo Aleixo Coli, vice-presidente da Latina Eletrodomésticos.

“Perdemos uma simpática e acolhedora pessoa. Que Deus o acolha com carinho. Oremos por sua família”, disse o diretor da NSF Tecnologia em Instalações Comerciais, Diniz Amilcar Matias Fernandes.

COMPANHEIRO DO CIESP

O vice-diretor do Ciesp São Carlos, Marcos Henrique dos Santos, ressaltou que Juquita foi um grande companheiro da entidade e reforçou a importância de suas iniciativas para a indústria.

“Conheci o Gerson no início de minha carreira profissional, quando prestei serviços à Top Master, empresa da qual ele era sócio, juntamente com os irmãos. Acompanhei sua trajetória à frente da Intersom FM e, alguns anos depois, convivi com ele no CIESP, onde pude constatar como era querido nos ambientes que frequentávamos. Figura carismática, não era raro a pergunta inevitável quando eu chegava sozinho nas reuniões do CIESP São Paulo: ‘cadê o Juquita?’. Defensor de São Carlos e incentivador de seu desenvolvimento, conhecia muito a história da cidade, de suas famílias e de pessoas ilustres. Com uma memória impressionante, sempre relatava os fatos com detalhes. Como bom garfo que era, também dividimos momentos de boa comida e muita risada em eventos do CIESP e do Rotary, mas especialmente no convívio do grupo Cantina da Ivone e em alguns cafés nas manhãs de domingo no Posto Jatão. Neste momento de perda, que fique a lembrança dos bons momentos e que Deus dê conforto à sua família”, ressaltou Santos.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias