Menu
quarta, 20 de outubro de 2021
Cidade

TUSP apresenta espetáculo "Insônias de Antônio"

24 Nov 2011 - 14h07

O Teatro da USP (Tusp) e a Pró-reitoria de Cultura e Extensão vão promover, como parte do Circuito TUSP de Teatro 2011, o espetáculo Insônias de Antônio - Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes, nesta quinta-feira, dia 24 de novembro, às 20 horas, no Centro Cultural da USP-São Carlos.

Após o espetáculo, será realizado debate com a participação da Profa Dra. Lucia Shimbo, do Instituto de Arquitetura e Urbanismo (IAU) da USP.

Como Ação Paralela será exibido o documentário Transgressões - SESCTV, às 13 horas, no Centro Cultural. Sinopse: o crítico Jefferson Del Rios narra a mudança dos conceitos pré-estabelecidos na cena teatral a partir da encenação de O Balcão, de Jean Genet. Direção: Amilcar Claro Roteiro: Sebastião Milaré.

Sobre o Grupo Dolores Boca Aberta Mecatrônica de Artes

O Dolores configura-se como um grupo de trabalhadores que exerce, entre todos os percalços, o direito de expressar o mundo que lhe atravessa através da arte. Como trabalhadores, nos movimentamos enquanto classe e assumimos as consequências que esta posição política nos coloca. A afirmação de trabalhadores que fazem arte tem total influência e consequência nas elaborações estéticas, tanto no tempo e na técnica do fazer quanto na leitura simbólica do mundo. Percebemos em nossa caminhada de 10 anos que este processo influi nas lutas e nas possibilidades de uma proposição social diferente desta em que contribuímos com a manutenção, abrindo brechas ou fissuras que inauguram porvires cotidianos junto com a reprodução. Esta contradição posta e assumida dá a chance de saltos de qualidade na construção do caminho da revolução social proposta pela classe trabalhadora. Somos companheiros de movimentos sociais, construímos e assumimos juntos a luta nas suas diversas dimensões. (http://www.doloresbocaaberta.org/) 

Circuito TUSP de Teatro 2011 - De uma margem à outra

O Circuito Tusp de Teatro do segundo semestre de 2011 parte da experiência de coletivos que tem se debruçado em ideias acerca da ocupação descentralizada do território, da ampliação das formas de ocupação dos espaços públicos e não-públicos, na revitalização de espaços e objetos anteriormente compreendidos como descartáveis, no interesse prioritário de estabelecer comunicação estética profícua com a sua realidade vital, com o seu lugar de ocupação territorial, seja ele no centro ou na periferia. Assim, apresentamos o "Circuito Tusp de Teatro: de uma margem a outra", como título e eixo temático não só do programa de circulação de espetáculos especificado, mas como alicerce para a totalidade de nossa programação, propondo aproximações e rupturas com as outras ações conjuntas e locais do Tusp. A experiência do primeiro semestre tanto no CIRCUITO TUSP de teatro: projeto interior, quanto a partir da mostra "Militância Teatral na Periferia" , que ocorreu no Tusp - SP nos apresenta e coloca como centro uma discussão urgente sobre o que seria estar a margem e o que seria estar no centro quando tratamos da produção artística atual e das suas formas de produção, fomento, circulação e comunicação com o espectador. Então, dando continuidade as reflexões sobre a produção artística atual acreditamos que alguns coletivos, tanto da capital quanto do interior podem ser importantes impulsionadores estéticos dessa reflexão, que é mais ampla que pensar o lugar geográfico que ocupo, mas é pensar o lugar que ocupo no lugar que estou, nessa perspectiva podemos ampliar as discussões acerca dos termos centro e periferia e avançar um tanto mais, para além do espaço geográfico.Cabe ressaltar que, paralelamente as ações do Circuito acontece a ação "Teatro no cinema" com uma programação específica da série de episódios "Teatro e Circunstância" realizada pelo SESCTV, com direção de Amilcar Claro e curadoria e roteiro de Sebastião Milaré, tanto na capital quanto no interior.

Espetáculo

Com uma cenografia fenomenal, que demora dois dias para ser montada, visto que, reproduz uma típica favela paulistana, o grupo insere o espectador dentro de um ambiente novo, que interfere decisivamente nas formas de relação entre o ator e o espectador. A partir dos cantos/contos de Marcelino Freire, trabalhadoras do Brasil abrem as portas dos seus barracos para revelarem à que vieram, qual o seu papel, seu lugar dentro de uma Estrutura caótica e desigual.

Apoio: Centro Cultural da USP-São Carlos, SESCTV e Coordenadoria do Campus de São Carlos.

O espetáculo será realizado no Centro Cultural, acesso pela Av. Dr. Carlos Botelho, 1465 - Campus 1 (entrada pela escada externa). Lotação máxima: 60 espectadores. Recomendação etária: 14 anos.

Mais informações:

Contato:

Equipe TUSP de São Carlos: Claudia Alves Fabiano Orientadora de Arte Dramática do Teatro da Usp de São Carlos (TUSP)

Tel.: (16) 3373-8015 - Centro Cultural da USP de São Carlos

Ariane Cristina Zanon - Assistente de Produção do Teatro da USP de São Carlos (TUSP)

Blog: http://tuspdesaocarlos.blogspot.com

Sobre o grupo: www.espacoclario.blogspot.com

Trailer Hospital da Gente: http://www.youtube.com/watch?v=PcAvluNASX0

Entrevista com o Grupo Clariô na TV Gazeta SP: http://www.youtube.com/watch?v=cE_i_DlrR2s GRATUITO

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias