Menu
terça, 13 de abril de 2021
Cidade

TCE finaliza relatório da primeira gestão de Airton Garcia

O Relatório de Instrução emitido pelo TC mostra equilíbrio entre receita e despesa

05 Mar 2021 - 18h49Por Redação
Mário Luiz Duarte Antunes, secretário Municipal de Fazenda. - Crédito: DivulgaçãoMário Luiz Duarte Antunes, secretário Municipal de Fazenda. - Crédito: Divulgação

O Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE) divulgou essa semana o último Relatório de Instrução (12/2020) relativo ao período da gestão 2017/2020, ou seja, da primeira administração do prefeito Airton Garcia.

O relatório mostra que apesar das dificuldades impostas pela pandemia em 2020, os pagamentos foram realizados em dia. Os recursos aplicados na educação e na saúde ultrapassam os índices exigidos pela legislação.

 Da análise do comportamento das receitas arrecadadas e despesas liquidadas, a situação foi favorável, em virtude do superávit demonstrado.

A arrecadação, apesar da crise econômica pela qual o país passa desde 2020, foi próxima do previsto, ficando somente (– 0,7%). Da previsão acumulada de R$ 949.747.772,26, fechou em R$ 942.766.836,00.

Já na análise da despesa, da execução orçamentária, o TC ressalta que das receitas arrecadadas e despesas liquidadas, foi observado uma situação favorável. “Isso demostra que empenhamos menos que o previsto. A despesa e a dívida consolidada perante a receita corrente líquida estão devidamente ajustadas de acordo com TC”, explica Mário Luiz Duarte Antunes, secretário de Fazenda.

Quanto aos restos a pagar o Tribunal de Contas afirma não ser necessário a emissão de nenhum alerta ao município de São Carlos já que a dívida com os restos a pagar processados caiu de R$ 19.560.936,67 para R$ 11.578.774,74. “Diante das baixas ocorridas até o período em parâmetros que evidenciam uma tendência de redução integral do montante de restos a pagar, observava-se uma situação financeira ajustada”, texto extraído do item 2.7 do Relatório de Instrução do TC.

Quanto ao limite prudencial estabelecido pelo Tribunal de Contas, 51,03%, que é o percentual de despesa com pessoal permitindo, em dezembro de 2020 o município não ultrapassou o que estabelece Lei, fechando o ano com 48,6%.

A Dívida Consolidada liquida ficou em R$ 142.332.169,12, 15,9% da Receita Corrente Líquida que foi de R$ 892.818.442,97, portanto devidamente ajustada ao limite da Lei de Responsabilidade Fiscal que é de 120% da receita, ou seja, a dívida é inferior ao que o município poderia contrair.

Na análise de operações de crédito – exceto ARO, o percentual apurado também está devidamente ajustado ao limite de 16% da Receita Corrente Líquida.

Analisando as despesas assumidas nos quatros últimos bimestres de 2020 ficou demonstrado que a Prefeitura de São Carlos tem disponibilidade financeira frente às despesas contraídas. “Esse é o artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal, um dos que se não cumpridos pode dar improbidade ao prefeito. O Tribunal faz uma comparação no 4º ano da administração entre a disponibilidade liquida no mês de abril e a disponibilidade no mês de dezembro para verificar se ocorreu a utilização da máquina no período eleitoral. São Carlos não recebeu nenhum alerta no relatório”, esclarece Antunes.

O TCE reconheceu definitivos os seguintes resultados: aplicação no ensino (27,94%); o percentual por lei é o investimento de 25% do orçamente na educação municipal. Já na saúde o percentual exigido é de 15%. Em 2020 a Prefeitura de São Carlos investiu 28% do orçamento na área. O orçamento para o exercício de 2020 foi de R$ 949.747.772,26.

Por fim o Tribunal de Contas do Estado analisa a execução orçamentária, que no ano de 2020, foi encerrada com um superávit de 2,94% (R$ 24.620.411,26).

De acordo com o prefeito Airton Garcia foi necessário um controle rígido dos gastos, apesar da COVID-19 e tudo que envolve a pandemia até agora. “Nunca deixamos de oferecer os serviços à população, inclusive em 2020 a demanda aumentou, mas com transparência e um trabalho de excelência desenvolvido pelo nosso secretário de Fazenda, vamos superando as dificuldades”.

“Estamos colhendo os resultados de um trabalho de muito controle e austeridade. O último Relatório de Instrução de 2020 demonstra que estamos no caminho certo, com muita responsabilidade na administração dos recursos públicos”, avalia Mário Luiz Duarte Antunes, secretário Municipal de Fazenda.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias