Menu
segunda, 16 de setembro de 2019
Cidade

São Carlos aguarda liberação do Ministério da Saúde para iniciar vacinação contra o sarampo em crianças

19 Ago 2019 - 18h43
São Carlos aguarda liberação do Ministério da Saúde para iniciar vacinação contra o sarampo em crianças - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Após a confirmação de um caso positivo de sarampo no município, a Vigilância Epidemiológica de São Carlos aguarda liberação do Ministério da Saúde para iniciar a vacinação em crianças com 6 meses a menores de 1 ano (11 meses, 29 dias).

Dentro do calendário vacinal do SUS a primeira imunização é indicada para crianças de 12 meses de idade e a segunda dose aos 15 meses. Se você tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose da vacina. Quem comprova as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente. De 30 a 59 anos é necessário comprovar apenas uma dose.

 “Quem está com a vacinação em dia, principalmente crianças que já tomaram as duas doses recomendadas pelo calendário do SUS, não precisa tomar outra dose agora. Os adultos que foram vacinados na infância ou que tem 29 anos e duas doses carimbadas na carteira de vacinação também não. Agora se você é adulto e não tem confirmação de que foi vacinado, orientamos para que procure uma unidade de saúde para receber a imunização. Quem tem 60 anos ou mais a vacina não é indicada”, explica Kátia Spiller, supervisora da Vigilância Epidemiológica de São Carlos.

Mas a supervisora ressalta que essa aplicação antecipada que deve ser feita nas crianças de 6 meses a menores de 1 ano, chamada de dose zero, não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. “A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente se a primeira dose for antecipada”, reforça Spiller.

O quadro do município neste momento é de um caso positivo, um negativado e cinco aguardando resultados de exames do Instituto Adolfo Lutz.  “Já realizamos as ações de bloqueio com aplicação de mais de 600 doses de vacinas em todos os comunicantes relativos aos casos com suspeita. Não aguardamos resultado de exame, tem caso suspeito, já realizamos o bloqueio. Até a próxima quarta-feira (21/8), o Ministério da Saúde e o Governo do Estado já devem incluir São Carlos na lista dos municípios em alerta com relação ao sarampo e liberar a vacinação antecipada para as crianças. Hoje temos a vacina em todas as unidades e saúde e mais 2.500 doses em estoque, porém vamos necessitar da liberação de mais doses”, acredita Kátia Spiller.

Pelo Programa Nacional e Estadual de Imunizações, atualmente estão disponíveis duas vacinas que contêm os componentes do sarampo e da rubéola: a vacina Tríplice Viral – SCR, que protege para o Sarampo, a Caxumba e a Rubéola, e a vacina Tetra Viral - SCR- Varicela, que protege para o Sarampo, a Caxumba, a Rubéola e a Varicela.

Cinquenta municípios do Estado de São Paulo já estão vacinando contra sarampo bebês com idade entre 6 meses a menores de 12 meses que residem ou têm viagens programadas para cidades com casos confirmados da doença. Os casos entre crianças menores de 6 meses de idade representam 13,9% dos 1.319 casos confirmados no Estado, até o momento. Do total, 75,5% estão concentrados na capital, com 997 casos. 

Dentro do calendário do SUS já foram aplicadas 6.482 doses da Vacina Tríplice Viral (SCR) esse ano em São Carlos, com cobertura até o momento de 85,71% (dose 1) e 65,35% (dose 2).

TRANSMISSÃO – A transmissão do vírus ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. O sarampo é tão contagioso que uma pessoa infectada pode transmitir para 90% das pessoas próximas que não estejam imunes. A transmissão pode ocorrer entre 4 dias antes e 4 dias após o aparecimento das manchas vermelhas pelo corpo. 

SINTOMAS - Os sintomas iniciais apresentados pelo doente são: febre acompanhada de tosse persistente, irritação ocular, coriza, congestão nasal e mal-estar intenso. Em torno de  3 a 5 dias podem aparecer outros sinais e sintomas, como manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas que, em seguida, se espalham pelo corpo. Após o aparecimento das manchas, a persistência da febre é um sinal de alerta e pode indicar gravidade, principalmente em crianças menores de 5 anos de idade. 

A suscetibilidade ao vírus do sarampo é geral e a única forma de prevenção é a vacina. Apenas os lactentes cujas mães já tiveram sarampo ou foram vacinadas possuem, temporariamente, anticorpos transmitidos pela placenta que conferem imunidade geralmente ao longo do primeiro ano de vida.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias