Menu
sexta, 26 de fevereiro de 2021
Cidade

Roselei solicita informações sobre contrato entre Ecopag e a Prefeitura

01 Mar 2016 - 16h54Por Redação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

O vereador Roselei Françoso (Rede) apresentou à câmara municipal nesta terça-feira, 1, requerimento solicitando informações relacionadas ao cartão Ecopag.

Segundo o vereador em maio de 2015 foi protocolado requerimento apontando os problemas relacionados ao cartão ticket refeição, Ecopag, dos servidores municipais efetivos. Obtendo como resposta da empresa, por meio da Secretaria Municipal de Administração e Gestão de Pessoas, que os problemas estavam sendo criados pelos próprios comerciantes que não estavam cientes das normas de resgate da empresa.

Em agosto de 2015, foi realizada a 31ª audiência pública e reunião com participação da Prefeitura, por meio das SMAGP e Secretaria Municipal de Fazenda, além de, alguns comerciantes credenciados, representante do SINDSPAN e o vereador Walcinyr Bragatto (PV). A empresa Ecopag não enviou representantes para nenhum dos eventos, relata Roselei.

"Agora cerca de 6 (seis) meses após esses acontecimentos, fomos novamente procurados por comerciantes descontentes com o serviço e que estão comunicando seus consumidores que não estão mais aceitando o cartão Ecopag, pois os atrasos nos pagamentos continuam e não podem suportar esse prejuízo", declara o vereador.

Para Roselei "a situação merece atenção e providências urgentes, visto que os servidores também estão saindo lesados, pois lhes está sendo descontado o valor do ticket refeição e não estão podendo usufruir como bem de direito, tendo em vista que vários locais não estão mais aceitando o cartão. Seu uso está ficando cada vez mais limitado".

O parlamentar questiona que ações foram tomadas com relação ao contrato com a empresa e quais parâmetros levaram a administração a efetivarem a renovação e ainda sua majoração em mais de 25%. Considerando que o contrato prevê reajuste somente pelo índice IPCA/IBGE vigente, ou pelo seu substituto no caso de extinção daquele (Cláusula 14ª do contrato nº 013/2015) e, tendo em vista que o índice IPCA ficou em torno de 10,7% acumulado nesse período.

"Sabendo os problemas na execução do contrato por parte da empresa em relação aos comerciantes credenciados, quais medidas a Prefeitura pretende adotar nesse momento, tendo em vista que a prorrogação foi para mais 12 (doze) meses de serviço?" finaliza Roselei.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias