Menu
quinta, 22 de outubro de 2020
Inovação e Empreendedorismo

Projetos de novos materiais para a área da Saúde são vencedores do Desafio UFSCar

Empreendedores buscam inserir no mercado soluções tecnológicas sustentáveis alternativas para cicatrização e imobilização

01 Jul 2018 - 08h30Por Redação
Marina Trevelin e Gustavo Valio em evento de premiação na UFSCar - Crédito: Tatiane Liberato/AIn-UFSCarMarina Trevelin e Gustavo Valio em evento de premiação na UFSCar - Crédito: Tatiane Liberato/AIn-UFSCar

O Desafio UFSCar de Inovação e Empreendedorismo premiou dois projetos em sua primeira edição - um na categoria startup e outro na categoria licenciamento - que envolvem aplicação de materiais para a área da Saúde. A competição de modelo de negócios da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) objetivou levar efetivamente à sociedade os avanços tecnológicos resultantes de estudos, pesquisas, esforços acadêmicos e empreendimentos de alunos, docentes, técnico-administrativos e participantes externos com vínculo com a Universidade, através de atividades de capacitação, além de orientação individualizada. Os projetos vencedores foram conhecidos no evento de encerramento do Desafio UFSCar, que aconteceu no último dia 7 de junho.

Na categoria startup, o vencedor foi o doutorando do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) da UFSCar Gustavo Valio, que apresentou uma solução tecnológica alternativa para o gesso ortopédico, com o objetivo de melhorar a experiência dos pacientes que precisam de imobilização, além de facilitar o trabalho do profissional, eliminando a sujeira do ambiente e, praticamente, com o mesmo custo de processo. O vencedor afirma que o Desafio foi essencial para que ele pudesse aprender sobre as diversas frentes que precisam ser trabalhadas no desenvolvimento de uma ideia ou projeto. "O Desafio UFSCar me mostrou parte do caminho que precisava ser planejada e percorrida para tirar o bHealed do papel", diz Valio, afirmando que todas as etapas foram e serão importantes para sua empresa - desde a elaboração do modelo de negócios, o pitch e os materiais de apoio compartilhados - e desejando que a capacitação e auxílio da Agência de Inovação da Universidade perdurem nas edições futuras. "A iniciativa deve continuar para ajudar a dar forma e colocar à disposição da sociedade o que há de melhor na UFSCar", destaca ele.

No caso do projeto vencedor na categoria licenciamento, os pesquisadores e empreendedores Marina Trevelin e Clever Chinaglia focaram no desenvolvimento de um modelo de negócios para uma de suas tecnologias desenvolvida dentro do Laboratório de Materiais Vítreos (LaMaV) da UFSCar e licenciada pela empresa criada pelos próprios pesquisadores com o objetivo de comercializar biomateriais - a Vetra. "O nosso modelo de negócios busca fornecer uma nova geração de biomateriais para regeneração de diversos tecidos do corpo humano, como pele, osso e nervos de uma maneira mais rápida e segura", diz Trevelin. De acordo com a pesquisadora, a "manta de vidro bioativo para regeneração de feridas foi a tecnologia mais convergente com o objetivo e experiência dos empresários, por conta de seu diferencial sustentável". Nesse sentido, participar da primeira edição do Desafio UFSCar foi uma experiência rica e gratificante, segundo Trevelin, pois as atividades possibilitaram a eles verificar áreas em que poderiam melhorar para fortalecer a apresentação da startup e de seus produtos, além da possibilidade de conhecer mentores, investidores e diversas personalidades do setor empresarial. "A criação de networking é crucial para podermos crescer como empreendedores e também para gerar importantes parcerias", defende ela.

Os ganhadores receberam um pacote de serviços da Amazon no valor de 5 mil dólares, além de espaço de uso no Onovolab (plataforma para o desenvolvimento de projetos inovadores, em São Carlos) por três meses, participação gratuita no programa de capacitação da Fast Track Ventures também por três meses, uma bolsa do Programa Integrado de Capacitação em Finanças oferecida pelo Sebrae e um troféu entregue pela Reitora da UFSCar, Wanda Hoffmann, que, na ocasião do encerramento, cumprimentou os participantes, apoiadores e patrocinadores do Desafio. "Neste momento existem ganhadores, mas não existem perdedores. Existem pessoas que trilham o futuro com coragem, mesmo diante de tantas incertezas atuais no Brasil. A missão da universidade é formar pessoas, gerar e estar na fronteira do conhecimento e, portanto, buscar inovação. Muito obrigada por estarem na UFSCar", declarou Hoffmann, durante a premiação.

MAIS SOBRE O DESAFIO UFSCAR

O Desafio UFSCar de Inovação e Empreendedorismo - primeiro evento tramitado na modalidade "projeto de inovação" pela Universidade - contou com o patrocínio da Alfatek Rolamentos e Ferramentas, Ca and Ma Componentes Eletrônicos, FAI.UFSCar, Onovolab, Poli 3D e Tokenlab, além do apoio institucional da Agência de Desenvolvimento Paulista (Desenvolve SP), do Fórum Nacional de Gestores de Inovação e Transferência de Tecnologia (Fortec), do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP) e da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

A primeira fase do Desafio UFSCar contou com a inscrição de 90 equipes - em um total de 241 participantes -, que estiveram presentes no encontro presencial público em novembro de 2017 para interação e troca de experiências, além da realização da primeira versão do modelo de negócios em uma maratona de canvas. Durante a segunda fase - entrega do modelo de negócios simplificado -, os participantes receberam feedbacks de profissionais do mercado sobre seus projetos. Já na terceira fase, foram oferecidas capacitações aos participantes sobre teste de conceito, análise de mercado, planejamento financeiro, fontes de financiamento, apresentação de pitch e propriedade intelectual.

Além disso, foi realizado um evento de treinamento de pitch e networking em março de 2018 - o Open Mic Day -, que visou favorecer o amadurecimento dos projetos. A partir daí, 20 equipes elaboraram um plano de negócios detalhado e, dentre elas, foram definidas as 10 equipes finalistas, então levadas ao desenvolvimento de marcas e ações de mercado. Para a definição das equipes finalistas, 20 avaliadores com experiência no mercado foram convidados a considerar os critérios: potencial de globalização e para benefício da sociedade; viabilidade econômica e de desenvolvimento; inovação e originalidade; além do comprometimento da equipe.

No evento de encerramento, os finalistas dos projetos (Agricultura de precisão para pequenos produtores; Carvão ativado; Compósitos vidro-mineral; Ecosystal3d comunicação sustentável; Impressão 3D: próteses ortopédicas para todos; Kidsnet: o portal das crianças; Manta de vidro bioativo para regeneração de feridas; Material para indústria ortopédica; e Pulseira com sensores) apresentaram seus pitches a uma banca de jurados composta por sete investidores que, após avaliação, definiu os vencedores da primeira edição do Desafio UFSCar de Inovação e Empreendedorismo. Mais informações estão disponíveis no site https://inovaufscar.wixsite.com/desafioufscar

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias