Menu
sábado, 15 de maio de 2021
Cidade

Presidente do SAAE afirma que vazamentos e falta de água serão solucionados o mais rápido possível

São Carlos Agora entrevistou com exclusividade Sérgio Pepino, indicado por Paulo Altomani como presidente do SAAE.

09 Jan 2013 - 15h30
Sérgio Pepino, presidente do SAAE São Carlos. (Foto: Tiago da Mata /SCA) - Sérgio Pepino, presidente do SAAE São Carlos. (Foto: Tiago da Mata /SCA) -

Na tarde de ontem (08) o São Carlos Agora entrevistou com exclusividade o novo presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) de São Carlos. Sérgio Pepino, respondeu diversas reclamações que a nossa redação recebe diariamente sobre problemas de vazamento de água e falta de água em várias regiões da cidade.

Sérgio afirmou que assumiu o SAAE, no dia 2 de Janeiro, com diversos problemas que ele classificou como crônicos ou pontuais, entre eles:

- Problemas nas bombas do Córrego do Feijão, que são responsáveis por 30% a 35% da água superficial capitada, das três bombas uma estava quebrada, a outra queimada e a outra com problemas elétricos.
- Bombas de reserva, "quebra-galho", estão funcionando no lugar das "grandes bombas".
- Mais de 300 pontos de vazamento.
- Má manutenção dos equipamentos.Falta de manutenção.
- Quatro das seis retroescavadeiras estão quebradas.
- Três caminhões quebrados; entre outros problemas.

"Com todos esses problemas de manutenção de equipamentos e máquinas, e buracos para todos os lados, se tornou um caos. Se as máquinas não estão funcionando, não se tapa os vazamentos. Então de fato são problemas gravíssimos que pegamos no SAAE", afirmou o presidente.

Outro problema que Sérgio enfrentou depois de assumir a autarquia foi à interrupção de energia por 2h30 na capitação de água do Feijão e na capitação do Espraiado. "Esse tempo corresponde às 24h de abastecimento. A água que passou, passou, não recupera mais. E agora vai levar dias para recuperar o nível dos reservatórios e como a cidade tem pontos altos e pontos baixos, nos pontos altos a caixa tem que estar em um nível alto para chegar às pessoas".

http://media.saocarlosagora.com.br/uploads/falta-agua.jpgCidade Aracy

"Ainda no dia 2, o prefeito Altomani me avisou que o Cidade Aracy estava há três dias sem água. Lá encontramos canos quebrados, adutora com vazamento, registros fechados, que não deveria estar fechados, e isso fez com que a caixa d'água do Aracy chegasse a zero e o povo ficasse sem água. Fizemos uma medida emergencial no próprio dia 2, durante toda a noite duas carretas pipa e dois caminhões pipa, em um intervalo de uma, duas horas, levando água para encher os reservatórios. Durante a semana tapamos alguns vazamentos que existiam, conseguimos restabelecer o poço do CEAT, que abastece o Aracy e voltar o fornecimento de água. Mas ainda temos que fazer a troca de uma bomba e após isso o abastecimento deve ser normalizado".

Falta de água no final da tarde

Sobre a falta de água em algumas regiões da (alto do Santa Felícia, São José, Vila Nery, Jardim São Paulo, Aracy, entre outros) no final da tarde e início da noite, o presidente do SAAE explicou que devido ao alto consumo e a baixa produção, as caixas chegam à níveis baixos e as regiões mais altas, sem pressão, acabam ficando com o abastecimento comprometido.

"Esse problema de pressão, de faltar água nas regiões mais altas, vamos corrigir também. A água terá uma boa pressão na cidade inteira, corrigido através de booster. Vamos manter os reservatórios sempre cheios. Esse é um projeto nosso em médio prazo. Hoje sem pressão, a água acaba não chegando em determinados pontos", explicou Sérgio.


Queima de bombas

São Carlos tem hoje, além da captação do Córrego do Feijão e da Espraiada, 28 poços. Sérgio explica que além das bombas em funcionamento, o SAAE tem bombas de reserva, menores, mas que até efetuar a troca leva um certo tempo pois é um processo demorado.

"Quando queima uma bomba em um poço nós temos algumas de reserva, mas ela está a mais de 100 metros de profundidade, você tem que tirar todo esse encanamento, fazer a troca, tornar colocar tudo de novo e isso leva alguns dias e durante esse tempo ficou sem produzir ali e nós ainda não estamos com todos os reservatórios interligados, que é o que pretendemos fazer a médio prazo, pois se uma bomba apresentar problemas a gente manda água de outro lugar para abastecer aquele e assim não termos problema de falta de água", explicou.

Sérgio afirmou ainda que por estarmos em uma época de muitos raios, às vezes um raio queima uma chave e às vezes queima uma bomba, e que algumas queimas foram conseqüências de raios.

Bombas paradas

De acordo com Sérgio, o SAAE tinha três bombas no Córrego do Feijão danificadas, que em alguns dias entram em funcionamento; uma bomba de grande porte no Aracy danificada, que já foi reformada e aguarda a empresa responsável fazer a instalação, e para isso precisa restabelecer primeiro as do Feijão, para garantir o abastecimento do Aracy enquanto o poço estiver parado; uma bomba com problemas no Santa Felícia e uma no CEAT que acabou de ser recuperada.

http://media.saocarlosagora.com.br/uploads/vazamentoadutoravnery004.jpgVazamentos

Quanto aos vazamentos de água, Sérgio afirmou que novas equipes de obras já estão em serviço para sanar os problemas apresentados por toda a cidade. Ele ainda explicou o motivo de tantos vazamentos.

"Onde geralmente dá vazamento, as redes são velhas, canos podres, antigos, que precisam ser trocados, mas não se tem tempo para fazer essa troca, a urgência é tapar o vazamento e depois programar a troca desses canos. Mas pense só, em um fim de mandato a turma toda parou um pouco né, por causa das festas de final de ano, então já tinha muitos vazamentos, o pessoal parou, aumentou mais ainda. Agora começa uma equipe nova, você tem que reformular tudo, então vai certo tempo, mas já estamos em serviço procurando o mais rápido possível sanar esses problemas".

Para tapar um vazamento Sérgio explica que: "É necessário uma retroescavadeira, cortar o asfalto, abrir o buraco, tirar todo o barro, verificar o problema, ver a melhor forma de tampar esse furo, se é pequeno ou grande, existem formas diferentes, aí é feito a correção do problema, depois o local é fechado e posteriormente um caminhão vai para asfaltar de novo o local, então é um processo demorado e nós temos muitos buracos pela cidade".

Ele explicou ainda que o SAAE prioriza os locais que apresentam vazamentos maiores. "Temos um funcionário que percorre esses furos, verifica e dá prioridade para os maiores, onde o desperdício é maior", portanto toda notificação que o SAAE recebe é verificada e colocada em um cronograma de serviço.

Boas notícias

As boas notícias dadas pelo presidente do SAAE é que ontem duas bombas deveriam entrar em funcionamento, e em quatro ou cinco dias uma terceira também começa a funcionar. "Quando essas três bombas de grande porte estiverem em funcionamento nós reestabelecemos a produção, após isso, em mais alguns dias nós conseguimos encher os reservatórios e a distribuição de água começa voltar ao normal".

Quantos aos vazamentos Sérgio afirmou que antigamente o SAAE tinha apenas duas equipes para consertar vazamentos pela cidade, agora as equipes foram dobradas. "Agora são quatro equipes em serviço, trabalhando com o maior empenho possível para acabar com esse problema".

Apelo

Sérgio Pepino faz um apelo à população para que economize água, principalmente quem mora nos lugares mais baixos da cidade, onde não tem o problema de falta de água. Ele explica que o SAAE está passando por um momento crítico, está funcionando com bombas "quebra-galhos", mas que o quanto antes os problemas serão resolvidos.

 "Nós herdamos esses problemas, não é culpa nossa e nem do prefeito, é culpa do sistema todo que estava bem deteriorado. Por isso pedimos a compreensão da população e paciência. As coisas aqui no SAAE são tudo muito grandes, as peças, os motores vêm de fora, não se encontra aqui na praça, e até para fazer a troca é demorado, mas esperamos resolver todos esses problemas o mais rápido possível", finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias