Menu
terça, 11 de maio de 2021
Cidade

Poder de consumo dos são-carlenses cresce 238% em 10 anos

04 Set 2012 - 15h05
0 - 0 -

Estudo revelado pela IPC Marketing, empresa que mostra como e quanto os moradores de cada município brasileiro vão gastar no ano, mostra que o poder de consumo dos são-carlenses para 2012 é de R$ 4,71 bilhões, um aumento de 238% na comparação com os números de 2002, quando a estimativa de consumo era de R$ 1,39 bilhão.

A cidade ocupa a 80ª posição no ranking do país e a 23ª no Estado em consumo. Num ranking divulgado pela revista Isto É, edição 2234, deste final de semana, São Carlos aparece entre as 10 cidades do Estado de São Paulo que mais cresceram no poder de consumo nos últimos 10 anos. Na análise dos números per capita, os são-carlenses gastam, ao ano, R$ 20.811. Último censo do IBGE com dados de 2012 estima que a população do município é de 226.322 habitantes, números compatíveis com cidades de porte populacional como Ribeirão Preto, que com 619.746 habitantes, a cidade tem um poder de consumo de R$ 13,78 bilhões, R$ 22.234 per capita. São José dos Campos, que possui 643.603 habitantes, tem um poder de consumo de R$ 13,16 estimados para 2012, o que significa R$ 20.447 anuais por habitante. Com 600.692 habitantes, Sorocaba tem um poder de consumo de R$ 11,69 bilhões. O consumo per capita é de R$ 19.460.

As despesas da população urbana, segundo o ranking IPC, foram classificadas em categorias como alimentação no domicílio, fora dele, bebidas, manutenção do lar, transportes urbanos, veículo próprio, gastos com medicamentos, entre outros.

Do ranking das cidades do interior que mais evoluíram no poder de consumo nos últimos 10 anos também aparecem Jundiaí (377.183 habitantes) e R$ 9,03 bilhões de poder de consumo, São José do Rio Preto (415.769 habitantes) e R$ 8,78 bilhões de poder de consumo, Piracicaba (369.919 habitantes) e R$ 7,54 bilhões, Franca (323.307 habitantes) e R$ 5,52 bilhões, Taubaté (283.899 habitantes) e R$ 5,45 bilhões de consumo estimado para 2012 e Limeira (280.096 habitantes), R$ 4,71 bilhões de consumo e R$ 17.065 per capita.

"Sobre os números de São Carlos temos dois retratos. O primeiro é que o bom momento da economia do Brasil, nos governos Lula e agora com a presidenta Dilma, refletiu positivamente na economia de São Carlos e o segundo é que o poder de consumo da população desperta o interesse de novas empresas em investir na cidade", comenta o secretário de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia, Antônio Carlos Thobias Júnior.

O secretário enumerou investimentos que são realizados na cidade e que têm a influência da questão econômica local. Recentemente, São Carlos viu a inauguração da Havan com a geração de 200 empregos e R$ 20 milhões em investimentos. Semana passada, a rede de hotéis Blue Tree anunciou o investimento de R$ 35 milhões na construção de um hotel e de um centro de convenções às margens da rodovia SP-318 (Thales Lorena Peixoto Júnior), o Grupo Segurador BB Mapfre vai investir, ao longo dos próximos anos, R$ 55 milhões. O Tenda Atacado, que vai inaugurar loja às margens da Washington Luís, no final de setembro, vai gerar 300 empregos, o Tonin Atacadista deve investir R$ 25 milhões e contratar 150 trabalhadores diretos, entre outros empreendimentos que já anunciaram a instalação na cidade ou que estudam vir para a cidade.

Massa salarial - Segundo o secretário de Trabalho, Emprego e Renda da Prefeitura, Emerson Domingues, a média salarial do trabalhador são-carlense é de R$ 1.707,30. Araraquara tem média salarial de R$ 1.459,72 e Ribeirão Preto R$ 1.551,74. De acordo com ele, para atender a demanda por profissionais qualificados, a Prefeitura investe na qualificação profissional com o ProJovem Trabalhador, que já preparou 1.500 jovens entre 2010 e 2011, o Planteq, que qualificou 182 no mesmo período, o Time do Emprego (87 qualificadas entre 2011 e 2012), o projeto ATO (inclusão de pessoas com deficiência) - 205 pessoas qualificadas no mesmo período e mulheres construindo autonomia com 250 mulheres em formação para construção civil. "O poder de consumo desperta o interesse do investidor, mas qualificação profissional é determinante para a instalação de uma empresa. Contando os programas desenvolvidos pelas secretarias de Trabalho, Educação, Cidadania, Infância e Juventude e Fesc podemos afirmar que a cidade já qualificou 21 mil pessoas", ressalta.

Entenda o IPC - O IPC Maps é atualizado anualmente pela IPC Marketing Editora, que disponibiliza informações demográficas e de potencial de consumo de todos os municípios brasileiros. O IPC Maps é o único que apresenta em números absolutos o detalhamento do potencial de consumo em 22 categorias de produtos nos 5.565 municípios do Brasil.

Link da matéria da Isto É:

http://www.istoe.com.br/reportagens/234287_A+FORCA+DO+INTERIOR

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias