Menu
sexta, 23 de abril de 2021
Cidade

Pesquisadores de São Carlos recebem homenagem por contribuição à Ciência

13 Dez 2017 - 13h15Por Redação
Foto: Samuel Vasconcelos - Foto: Samuel Vasconcelos -

Luiz Henrique Capparelli Mattoso e Daniel Souza Corrêa, dois engenheiros de materiais da Embrapa Instrumentação (São Carlos), que se dedicam ao desenvolvimento de pesquisas na área de nanotecnologia serão homenageados nesta quinta-feira, 14, pelo Prêmio Ciência - Tecnologia de São Carlos que venceram, junto com mais três pesquisadores e uma professora do ensino básico. A homenagem será no auditório Bento Prado, na Prefeitura Municipal, às 11h.

Devido ao calendário da Câmara Municipal, a sessão solene para a premiação oficial será no dia 8 de novembro de 2018.

Promovido pela Secretaria Municipal de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável (SMDSCT), com base na Lei Municipal 12.618/2000, do ex-vereador José Paulo Gomes, o prêmio que tem, entre os objetivos, a proposta de reconhecer os talentos de São Carlos, contempla três modalidades - Pesquisador Sênior, Jovem Pesquisador e Professor de Ciência.

Premiado na modalidade Pesquisador Sênior, destinado a profissionais acima dos 40 anos, Mattoso vem oferecendo uma extensa contribuição no desenvolvimento de pesquisas envolvendo a Ciência que calcula tudo em milionésimo de milímetros. São Mais de 20 anos de dedicação, desde que chegou à Embrapa Instrumentação, em 1994, onde ocupou o cargo de chefe-geral de 2010 a 2015.

O engenheiro de materiais de 56 anos, com pós-doutorado no Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, introduziu a área de novos materiais na Embrapa e criou a Rede de Nanotecnologia aplicada ao Agronegócio (Rede AgroNano). É um dos maiores incentivadores da fundação do Laboratório Nacional de Nanotecnologia aplicada ao Agronegócio (LNNA), do qual é o coordenador atual.

Sua contribuição vai além do desenvolvimento de pesquisa, como sensores gustativos para avaliação da qualidade de bebidas e filmes comestíveis para embalagens á base de frutas e vegetais. O pesquisador publicou mais de 330 trabalhos em revistas especializadas indexadas e 22 capítulos de livro e artigos de revisão em enciclopédia, com 9.914 citações e fator H=50 (Google scholar), tendo recebido mais de 1000 citações por ano, nos últimos três anos.

Com o Prêmio Nobel de Química 2000, o professor Alan MacDiarmid, publicou dez artigos em revistas especializadas. Possui 12 patentes, sendo quatro delas no exterior e mais de 630 trabalhos e resumos publicados em congressos e similares.

Mattoso liderou mais de 20 projetos financiados pelas principais agências de fomento do país, pela própria Embrapa e empresas privadas somando captação de recursos superiores a 20 milhões de reais. O pesquisador já recebeu duas dezenas de premiações pelo resultado do trabalho desenvolvido, como o Prêmio Governador do Estado - categoria Invento Brasileiro, pelo desenvolvimento do sensor gustativo à base de polímeros condutores nanoestruturados (Língua Eletrônica).

Já Daniel Souza Corrêa, vencedor do prêmio na modalidade Jovem Pesquisador - destinado aos profissionais com menos de 40 anos, tem doutorado e pós-doutorado realizados no Instituto de Física de São Carlos, da Universidade de São Paulo (USP) e com estágio de pesquisa na Friedrich-Schiller-University Jena (Alemanha) e Harvard University (EUA).

O pesquisador de 36 anos, dos quais sete atuando na área de nanotecnologia da Embrapa Instrumentação, tem mais de 70 artigos publicados em revistas científicas internacionais indexadas (fator H = 20 (Google Scholar)), oito capítulos de livros, entre editoras nacionais e internacionais, aproximadamente 200 trabalhos apresentados em congressos no Brasil e no exterior. Ele tem duas patentes sobre o desenvolvimento de tecnologias para materiais ópticos e para aplicação em fertilizantes, depositadas no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Corrêa é bolsista de produtividade em pesquisa - nível II- do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), há seis anos, e atua como professor colaborador da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), sendo credenciado em dois programas de pós-graduação da instituição, ministrando disciplina e orientado alunos de doutorado, mestrado e graduação.

Já recebeu dois prêmios pela participação em congressos e conferências no exterior. O pesquisador coordenou e participou de diversos projetos de pesquisa financiados pelas principais agências de fomento do país e alguns projetos com empresas tecnológicas. "Esse reconhecimento é muito importante, porque há um esforço árduo para conseguir que a pesquisa básica passe por um desenvolvimento tecnológico que possa de fato favorecer a população", afirma o pesquisador.

Para Tundisi, os pesquisadores da Embrapa se apresentam com relevância no cenário científico e tecnológico. "Mattoso coopera de forma excepcional com a ciência mundial e a do Brasil. Além de cientista de alto nível contribuiu com grande esforço e dedicação à consolidação da Embrapa Instrumentação, dando grande suporte à Instituição. Daniel também contribuiu excepcionalmente como pesquisador, colaborando sobremaneira com o avanço científico na pesquisa de instrumentação e agropecuária do Brasil", destaca.

PRÊMIO C&T

De acordo com o secretário da SMDSCT, José Galizia Tundisi, o prêmio tem a proposta de divulgar a excelência dos cientistas de São Carlos, por meio do reconhecimento do Município e da Câmara Municipal ao trabalho realizado; estimular os cientistas e professores de Ciência de São Carlos a prosseguirem em seu trabalho de alta qualidade; estimular as próprias instituições a reconhecerem o mérito de seus cientistas, além de divulgar para a população a importância da Ciência para o desenvolvimento do município e do Brasil.

Além de Mattoso, também foi premiada na modalidade Pesquisador Sênior a professora do Departamento de Engenharia de Materiais (DEMa) da UFSCar, Ruth Herta Goldschmidt Aliaga Kiminami. A categoria Jovem Pesquisador contemplou três profissionais. Além de Corrêa, ainda foram selecionados a bióloga da área de Genética e Biologia Molecular Bianca Baccili Zanotto Vigna, da Embrapa Pecuária Sudeste, e o professor Piter Gargarella, também do DEMa.

Mariana Prado Borges, da Escola Municipal de Ensino Básico (Emeb) Carmine Botta, venceu na modalidade Professor de Ciência.

Selecionados com base na análise de currículo, os premiados da modalidade Pesquisador Sênior e Jovem Pesquisador vão apresentar monografias sobre o trabalho de pesquisa que desenvolvem em suas instituições. Segundo Tundisi, os trabalhos serão publicados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia e distribuídos nas escolas, universidades e institutos de pesquisa.

"O propósito desta divulgação é ampliar a informação científica produzida pelos pesquisadores e ao mesmo tempo difundir sua excelência. A monografia apresentada pelo professor de Ciências será publicada em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação (SME) e a SMDSCT. Sua finalidade é difundir as ideias e projetos apresentados nas escolas e para os professores de ciências do município de São Carlos", explica o secretário.

A primeira edição do Prêmio Ciência e Tecnologia de São Carlos recebeu inscrições de nove candidatos na modalidade Pesquisador Sênior e 11 na categoria Jovem Pesquisador, oriundas da UFSCar, USP, das duas unidades da Embrapa, em São Carlos - Instrumentação e Pecuária Sudeste; Fundação Parque de Alta Tecnologia de São Carlos (ParqTec) e Centro Universitário Central Paulista (Unicep).

O professor Tundisi lembra que o prêmio será concedido anualmente, por ocasião do aniversário de São Carlos, comemorado em 4 de novembro. O secretário adiantou que vai incluir os professores de Ciência das escolas estaduais e os clubes de Ciências dessas escolas para concorrer ao prêmio na edição do próximo ano. "A SMDSCT deverá envidar esforços para uma retribuição em recursos financeiros, por meio de parcerias", sinalizou Tundisi.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias