Menu
quinta, 12 de dezembro de 2019
Voluntários para procedimentos gratuitos

Pesquisa da UFSCar trata pacientes com dor no joelho

29 Ago 2019 - 07h16Por Redação
Pesquisa da UFSCar trata pacientes com dor no joelho - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Uma pesquisa de doutorado da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está recrutando voluntários que tenham dor no joelho para verificar a influência de dois tratamentos específicos na redução da dor, na melhora da função física e da força muscular e na qualidade de vida das pessoas afetadas. O estudo é realizado pela pesquisadora Gabriela Souza de Vasconcelos, no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Fisioterapia (PPGFt) da UFSCar, sob orientação do professor Fábio Serrão, do Departamento de Fisioterapia (DFisio) da Universidade.

O projeto foca na dor anterior do joelho, região da parte da frente da articulação. "A dor anterior do joelho é uma das formas mais comuns de dor nessa articulação e tem impacto negativo sobre a vida das pessoas", destaca Vasconcelos. Esse tipo de dor, também chamada de dor patelofemoral, está associado a sintomas como dor difusa na região anterior do joelho, de início lento, agravado por atividades que aumentam o estresse na articulação, como correr, agachar, subir e descer escadas e ficar na posição sentada ou ajoelhada por longos períodos.

De acordo com a pesquisadora, estudos realizados até o momento, com pessoas que têm dor anterior do joelho, focaram o tratamento no fortalecimento dos músculos do quadril e do joelho e seus resultados se mostraram mais benéficos do que o fortalecimento isolado da articulação. "Além disso, o último consenso sobre essa lesão confirmou que a associação de exercícios de fortalecimento dos músculos do quadril e joelho é o procedimento fisioterapêutico que possui a melhor evidência para a diminuição da dor e melhora da função física", complementa ela.

Segundo Vasconcelos, embora o fortalecimento dos músculos do quadril e joelho possua bons efeitos clínicos, a maioria dos protocolos de exercícios não segue as diretrizes do American College of Sports Medicine (ACSM), que indica o padrão para esse tipo de tratamento, e não são devidamente descritos, dificultando a prática clínica e em pesquisas. "Além disso, estudos recentes têm demonstrado que esses pacientes possuem um déficit de potência nesses músculos. Mas não se sabe se a adição de exercícios de potência a um programa de fortalecimento muscular resultaria em benefícios superiores, principalmente em relação à dor e à função física", pondera Vasconcelos.

A partir disso, a atual pesquisa pretende realizar dois tratamentos - um apenas com treinamento de força e outro com treinamento de força e potência - para avaliar a influência deles em aspectos como redução da dor, melhora da função física e da força muscular e na qualidade de vida em pessoas que têm a dor anterior do joelho. Para isso, o projeto convida voluntários, homens ou mulheres, entre 18 e 40 anos, que tenham dor no joelho (unilateral ou bilateral); que não tenham feito cirurgias no joelho; que não tenham histórico de lesão ou dor no quadril e na coluna lombar; que não tenham sinais ou sintomas de lesões meniscais ou ligamentares; e que não tenham qualquer alteração neurológica ou musculoesquelética que interfira ou contraindique os procedimentos da pesquisa.

Os voluntários receberão tratamentos gratuitos três vezes por semana durante três meses, e passarão por avaliações antes e após o tratamento. Os procedimentos serão realizados no Laboratório de Avaliação e Intervenção em Ortopedia e Traumatologia do DFisio, na área Norte do Campus São Carlos da UFSCar. Interessados devem entrar em contato o mais breve possível, pelos telefones (16) 3306-6575 e (51) 99537-2276 ou pelo e-mail pesquisadornojoelho@gmail.com.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias