Menu
domingo, 12 de julho de 2020
Prevenção por conta própria

Mantendo o isolamento, cidadãos realizam mutirão de limpeza em bairros periféricos em São Carlos

26 Mai 2020 - 07h53Por Marcos Escrivani
Lixo em sacos plásticos: limpeza nas margens do Córrego Gregório de olho na saúde pública - Crédito: Marcos EscrivaniLixo em sacos plásticos: limpeza nas margens do Córrego Gregório de olho na saúde pública - Crédito: Marcos Escrivani

O excesso de entulhos, de lixo doméstico e a possibilidade de acúmulo de água e um futuro criadouro do Aedes aegypti (mosquito que transmite a dengue, zika vírus e febre Chikungunya), além de ser uma questão de saúde pública, moradores residentes no Azulville e no Jardim Dona Francisca realizaram um mutirão de limpeza pública na semana passada e limparam as margens do Córrego Gregório no trecho que compreende a Avenida Madre Marie Blanche até a rua Roberto Martinez.

Obedecendo o distanciamento para evitar o contágio do novo coronavírus, alguns moradores realizaram a limpeza e poda em árvores que causavam perigo a pedestres em algumas calçadas nos bairros. “Saímos com foices, tesouras e sacos de lixo, comprado por comerciantes e moradores dos bairros e fizemos uma limpeza. Não somente para uma questão de saúde pública e um melhor visual dos bairros. Mas também uma questão de preservar nossa qualidade de vida”, comentou o instalador de sistemas de segurança, Valdecir Martins, 49 anos. “Tudo começou quando presenciamos um senhor que caminhava pela calçada e se machucou com o galho de uma árvore e se feriu”, disse.

Durante a limpeza, realizada em um final de semana, Valdecir disse que além de móveis abandonados, foram tirados mais de 20 sacos de lixos das margens do córrego. “Queremos esclarecer que todos os protocolos de segurança foram tomados. Temos ciência da Covid-19, mas não podemos deixar que os bairros fiquem inundados de sujeira”, comentou.

FISCALIZAÇÃO

O fato do lixo amontoado naquela região da cidade, Valdecir informou que os principais culpados são os moradores que não respeitam as áreas verdes e depositam indiscriminadamente o lixo. “Não há respeito por ninguém”, disse.

Porém cobrou da Prefeitura Municipal uma melhor fiscalização e campanhas educativas para que haja uma conscientização das pessoas.

“Reza a lenda que somos a Cidade da Tecnologia. Mas aqui há muitos porcões que não respeitam a higiene pública. Deveria ter um mecanismo para tentar evitar que isso continue a acontecer”, relatou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias