Menu
domingo, 24 de janeiro de 2021
Cidade

Justiça Trabalhista sugere acordo entre Casa de Saúde e ex-funcionários

24 Nov 2017 - 09h13Por Abner Amiel/Folha São Carlos e Região
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

O salão do Júri do Fórum Criminal de São Caros recebeu nesta quinta-feira, 23, uma audiência pública que visava a conciliação entre a Casa de Saúde e ex-funcionários que não receberam todos os direitos trabalhista. A Justiça do Trabalho estima que a dívida do hospital com ex-funcionários está em torno de R$ 7 milhões e sugeriu acordo entre as partes.

Cerca de 400 funcionários entraram com ação até o dia 30 de outubro desse ano contra o hospital. Ontem pouco mais de 200 trabalhadores, juntos de advogados, participaram da segunda negociação.

A verba para liquidar a dívida com os ex-funcionários viria de parte dos recursos que seriam recebidos com o pagamento da venda do prédio leiloado por R$ 19 milhões a Unimed.

"É uma iniciativa que visa abreviar a solução desses processos, situação complexa envolvendo um grande número de trabalhadores que merece essa atenção diferenciada e nossa ideia é agora é com o que há de remanescente do patrimônio da Casa de Saúde no caso no que foi obtido com alienação do imóvel consigamos quitar o restante do passivo trabalhista", disse a juíza do Amanda Barbosa.

"A própria Justiça Federal está em volta nessa iniciativa, tentando de um modo colaborativo entre todos interessados na solução e o modo cooperativo é que cada um consiga obter a efetividade dos direitos respectivos, tantos tributários quanto trabalhista e nisso entra a importância dessa reunião conjunta que buscando antecipar aos processos por acordo", acrescentou.

Durante a audiência, os ex-funcionários foram informados dos valores que podem receber caso aceitem o acordo. Segundo a juíza, os ex-funcionários devem decidir se aceitam ou não aderi-lo.

Mercedes Bizeta trabalhou por cinco anos na Casa de Saúde e ainda não recebeu os direitos. Ontem ela disse estar disposta aceitar temendo não receber os direitos trabalhistas. "Ou pega ou não vou receber nada", disse, informando que o acordo oferece para ela R$ 20 mil.

Sueli Aparecida Pires Barbosa, que era auxiliar de enfermagem no hospital, também achou que o valor caiu muito do esperado. "Eu esperava receber R$ 51 mil, mas mesmo caindo mais de um terço do valor eu vou fazer acordo, melhor do que ficar esperando".

Na primeira rodada 210 processos foram solucionados. Agora tem 220 em tramitação abertos. A primeira aproximou de R$ 5 milhões, nesta segunda a Justiça do Trabalho espera chegar perto dos R$ 6 milhões o valor do acordo.

PAGAMENTO

Os recebimentos dos valores dependem ainda de um entendimento entre a Prefeitura, que solicitou o prédio que doou para funcionamento de um hospital, e representantes do hospital. Uma audiência foi marcada para o dia 6 de dezembro para se chegar a um consenso.

CÂMARA

Os vereadores Lucão Fernandes e Cidinha Oncológico, da Comissão de Saúde da Câmara, estiverem presentes na audiência. Lucão Fernandes adiantou que conversou com magistrados para fazer uma exposição nesta semana ou na próxima no Legislativo aos vereadores sobre a situação dos ex-funcionários.

CASA DE SAÚDE

A Casa de Saúde suspendeu o funcionamento no dia 26 de julho do ano passado. Mais de 200 trabalhadores atuavam no hospital particular, que atendia por convênios e oferecia consultas mais baratas. Em setembro de 2015, 72 funcionários já tinham sido demitidos sem aviso prévio. Todos eles entraram na Justiça.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias