Menu
terça, 30 de novembro de 2021
Tecnologia

ICMC São Carlos classifica dois times para final do “Brasileirão” da Programação

Disputa acontecerá em Gramado, no Rio Grande do Sul e é passaporte para torneio mundial

22 Nov 2021 - 07h07Por Stefhanie Piovezan
Equipe “Gramando no deitado” alcançou a 6ª posição entre os 534 times participantes ( - Crédito: DivulgaçãoEquipe “Gramando no deitado” alcançou a 6ª posição entre os 534 times participantes ( - Crédito: Divulgação

Duas equipes do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, se classificaram para a final da Maratona de Programação, espécie de “Brasileirão” promovido pela Sociedade Brasileira de Computação (SBC). A decisão vai ocorrer entre 31 de março e 2 de abril de 2022, em Gramado (RS), e os melhores colocados garantem vaga no torneio mundial, o International Collegiate Programming Contest.

O ICMC contou com 13 times na seletiva (veja abaixo) e, pelo 6º ano consecutivo, conseguiu emplacar duas equipes na final – o máximo permitido por instituição. Ao todo, 534 grupos participaram da disputa, realizada de forma online no fim de outubro, e 60 avançaram para a próxima rodada.

Regras do jogo – No lugar das quatro linhas, os atletas da competição jogam em um computador com configurações pré-estabelecidas e, em vez de 90 minutos, têm 5 horas para resolver desafios que envolvem teoria, raciocínio lógico e conteúdos que extrapolam as aulas da graduação.

Neste ano, foram lançadas 14 questões e os competidores dos times do ICMC no topo da lista, “Gramando no deitado” e “Se der bom não pergunta como”, marcaram 8 “gols” cada.

“Para bater uma falta é preciso saber chutar, ter técnica, e o mesmo vale para a maratona. Ela requer muito treinamento, trabalho em equipe, paciência e resiliência, já que são várias horas de prova”, diz o professor João Batista do Espírito Santo, que coordena o Grupo de Estudos para a Maratona de Programação (GEMA) do ICMC.

Da base ao mercado internacional – No GEMA, calouros têm aulas com veteranos e, como os estudantes podem participar de mais de uma edição da competição, muitos jogam de novo e aproveitam o conhecimento acumulado para alcançar melhores colocações. A equipe “Gramando no deitado”, por exemplo, ficou em 4º lugar na última final da Maratona.

“Além das vitórias em si, a competição abre portas”, explica João Batista. “Participar da Maratona de Programação e ser classificado para o mundial é garantia de visibilidade junto às empresas de tecnologia. Grandes companhias internacionais olham para essa competição e seus participantes. Além disso, essas empresas usam desafios de programação em seus processos seletivos e, depois do treinamento para a maratona, esses exercícios são facilmente resolvidos”.

Confira a lista com a composição de todos os times do ICMC e sua colocação na seletiva para a final neste link: www.icmc.usp.br/e/ab239.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias