Menu
segunda, 21 de outubro de 2019
Alta responsável

HU promove reunião com unidades que integram a rede de atenção em Saúde Mental de São Carlos

11 Out 2019 - 12h57Por Redação
HU promove reunião com unidades que integram a rede de atenção em Saúde Mental de São Carlos - Crédito: Marilia Corbini Crédito: Marilia Corbini

O Hospital Universitário "Prof. Dr. Carlos Horácio Paneppucci" (HU) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) realizou quinta-feira, 10, uma reunião com as unidades que integram a Rede de Atenção Psicossocial (RAPs) de São Carlos. O objetivo foi estabelecer junto com os profissionais da rede um fluxo de alta responsável dos pacientes atendidos na área de Saúde Mental.

A alta responsável trata-se da transferência do cuidado de um paciente de uma instituição para a outra, envolvendo familiares, cuidadores e diferentes equipamentos de saúde. "Com a alta responsável, a continuidade do cuidado é garantida para evitar reinternações e crises e para promover o manejo adequado do paciente", afirma Eduardo Gomes de Oliveira Júnior, Chefe da Unidade de Atenção à Linha do Cuidado Psicossocial do HU-UFSCar.

Participaram do encontro profissionais do Hospital e representantes das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), das Unidades Básicas de Saúde (UBSs), das Unidades de Saúde da Família (USFs), do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPs) - 1 e 2, Infantil e Álcool e Drogas -, do Conselho Tutelar e da Secretaria Municipal de Saúde de São Carlos.

Além de abordar o fluxo dos pacientes para a alta responsável, a reunião também foi importante para aproximar as unidades da RAPs de forma que a Rede não fique fragmentada. "A Rede tem que ter a noção do que está acontecendo com o paciente, de forma que ele não fique abandonado dentro dela", defende Oliveira Júnior, destacando que só a atuação integrada da Rede pode promover o manejo integrado do paciente, com o acompanhamento adequado e evitando hospitalizações.

Desde 2017, o HU conta com oito leitos destinados à internação na área de Saúde Mental, sendo uma referência regional nesse tipo de atendimento. Durante a reunião foi pactuado que os pacientes psiquiátricos que chegarem ao HU serão acolhidos e a equipe do Hospital vai identificar a unidade da rede a qual pertence o paciente. "A partir disso, um representante dessa unidade virá ao Hospital para participar da construção do projeto terapêutico desse paciente, com o intuito de tentar atender suas demandas e, também, para tentar identificar onde a rede pode ter falhado no atendimento", explica o representante do HU. De acordo com Oliveira Júnior, essa conduta vai permitir que sejam traçados objetivos que, quando atingidos, vão propiciar a alta responsável. "O paciente recebe a alta e é encaminhado para outro serviço da rede que estará ciente de suas necessidades e de quais demandas já foram atendidas e, assim, poderá fazer o acompanhamento mais próximo para evitar novas crises, surtos e reinternações", detalha.

Outro exemplo do fluxo pactuado na reunião é o do caso de pacientes que dão entrada nas UPAs. Nessas situações, a UPA entrará em contato com o CAPs para conhecer o histórico da pessoa e tentar o manejo que evite a internação. Para atender essa orientação de atendimento, as unidades da RAPS receberam da Prefeitura Municipal de São Carlos um Protocolo Farmacológico de Agitação Psicomotora, que tem indicações medicamentosas para tratar os pacientes que chegam em crise. "Se os procedimentos indicados não resolverem e o médicos da UPA estiverem com dúvidas, eles entram em contato com o HU para tentarmos ajudá-los. Após isso, o médico do Pronto Atendimento avalia se o paciente precisará ser encaminhado para internação no HU [via Central de Regulação da Oferta de Serviços de Saúde - CROSS] ou se o manejo será com medicamento e encaminhamento para o CAPs", explica Oliveira Júnior.

Thiago Luiz Campione Barboza, Chefe da Seção de Saúde Mental da Secretaria Municipal de Saúde de São Carlos, afirma que, após a reunião de ontem, vai "disponibilizar as equipes dos Centros de Atenção Psicossocial para acompanhar o processo de internação de forma integral, otimizando o cuidado, inclusive no período pós-internação, com ações necessárias para que o paciente se mantenha estável". Para Barboza, o encontro organizado pelo HU foi primordial no sentido de pactuar um fluxo melhor, proporcionando um atendimento mais adequado na área de Saúde Mental do Município.

"A partir da reunião e de todos os encaminhamentos pactuados, acreditamos que haverá uma melhora no fluxo de internação no Município, facilitação do manejo do paciente psiquiátrico dentro da RAPs e a integração da rede que é fundamental", conclui o Chefe da Unidade de Atenção à Linha do Cuidado Psicossocial do HU-UFSCar.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias