Menu
sexta, 15 de novembro de 2019
Saúde

Hospital Universitário lança serviços de telemedicina para São Carlos e região

18 Jun 2019 - 12h35Por Redação
Hospital Universitário lança serviços de telemedicina para São Carlos e região - Crédito: Gisele Bicaletto/CCS Crédito: Gisele Bicaletto/CCS

O Hospital Universitário Prof. Dr. Horácio Carlos Panepucci (HU) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) está oferecendo à rede pública de saúde de São Carlos e região serviços de telemedicina, que envolvem tele-educação, teleconsultoria e telediagnóstico. As ofertas são gratuitas e têm por objetivo melhorar a qualidade do ensino e dos atendimentos em saúde prestados pelo HU para a comunidade. A novidade foi tema de reunião entre o HU e o Departamento Regional de Saúde (DRS III) de Araraquara, que abrange 24 municípios.

A telemedicina trata do uso das tecnologias de informação e comunicação para o fornecimento de dados e atenção médica a pacientes e a profissionais de saúde situados em locais distantes. Os serviços ofertados pelo HU-UFSCar são em três frentes: a teleconsultoria é um canal direto entre os profissionais e teleconsultores em diversas especialidades. O profissional pode tirar dúvidas simples, discutir casos clínicos ou pedir orientações sobre processos de trabalho. O objetivo é apoiar os agentes de saúde na tomada de decisão sobre diagnósticos, terapias e definição prognóstica, com base no melhor nível de evidência científica e proporcionando, assim, o aperfeiçoamento contínuo do profissional e dos atendimentos. Até o momento, as especialidades clínicas disponibilizadas pela equipe do HU são: Cardiologia; Endocrinologia; Geriatria (cuidados paliativos); Clínica médica; Oncologia (cuidados paliativos); e Nefrologia. Também há uma equipe multiprofissional que prestará teleconsultoria nas especialidades de Disfagia adulto e Reabilitação auditiva (Fonoaudiologia); de Cuidados Paliativos (Terapia Ocupacional); e de Enfermagem (curativos). Além disso, há consultoria para o exame de Eletrocardiograma.

Outro serviço é o de telediagnóstico, que possibilita e emissão de laudos de exames a distância, diminuindo custos com deslocamento de pacientes e aumentando a resolubilidade da Atenção Básica. E, por fim, há iniciativas de tele-educação, com cursos, aulas, treinamentos e capacitações para profissionais em diversas temáticas. Ações de tele-educação já são promovidas para a equipe do próprio HU e também da UFSCar, como os Grupos de Interesse Especial (SIGs), que são sessões educacionais entre profissionais de saúde para o aprofundamento do conhecimento nas diversas temáticas da Medicina. Essa atividade é promovida pela Rede Universitária de Telemedicina (Rute), à qual o HU está vinculado.

Flávia Pileggi, Gerente de Ensino e Pesquisa do HU, afirma que a oferta dos serviços da telemedicina é uma diretriz da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que administra o HU, por meio das unidades e-Saúde instaladas nos hospitais da rede. "Através dos serviços prestados por essa unidade, o HU pretende contribuir tanto para a melhoria de suas práticas internas, quanto para a qualidade do cuidado com a saúde da população", diz Pileggi.

Rodrigo Santos Aguiar, médico do HU, destaca que a telemedicina combate o isolacionismo que muitos médicos enfrentam em territórios distantes dos grandes centros. "A teleconsultoria, por exemplo, é uma ferramenta de aperfeiçoamento permanente em que a busca por soluções de problemas é amplificada e dividida por uma rede multidisciplinar de retaguarda e, por isso mesmo, com maiores chances de sucesso", defende o médico que já teve experiências com a teleconsultoria em outros locais.

OFERTA DOS SERVIÇOS

Todas essas ações são realizadas pela unidade e-Saúde do HU-UFSCar, que está integrada ao Programa Nacional de Telessaúde Brasil Redes, instituído em 2007 e redefinido em 2011, e coordenado pelas secretarias de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES) e da Atenção à Saúde (SAS) do governo federal.

O sistema de tele-educação poderá ser utilizado por professores, pesquisadores, estudantes e profissionais de saúde. Os serviços de telediagnóstico e teleconsultoria são voltados a profissionais de saúde e de nível superior, com registro profissional ativo e que estejam com o cadastro atualizado no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES).

Os interessados devem preencher este formulário online (https://forms.gle/drV6vKHVn1fgSK1Y6) que levará para o atendimento adequado conforme a demanda. As respostas da teleconsultoria têm prazo de até 72 horas para serem enviadas ao solicitante. No telediagnóstico, inicialmente, serão avaliados apenas laudos de eletrocardiograma, que serão analisados duas vezes por semana. 

Em parceria com a Secretaria Geral de Educação a Distância (SEaD) da UFSCar, a equipe do e-Saúde do HU está construindo uma plataforma digital para reunir todos serviços. Até que esse trabalho seja finalizado, o acesso pode ser feito pelo link do formulário online.

REUNIÃO COM O DRS

Uma equipe com seis representantes do DRS III participou de reunião no HU-UFSCar para que os profissionais do Hospital apresentassem os trabalhos e a proposta dos serviços para as cidades que compõem a regional. Ficou alinhada a disponibilização das ações de tele-educação, teleconsultoria e telediagnóstico para os municípios e a realização de reuniões de sensibilização nas cidades que serão indicadas pelo DRS e que devem começar no próximo mês.

As reuniões serão conduzidas pela equipe do HU com o intuito de mostrar aos profissionais de saúde a contribuição que esses serviços podem trazer para a qualidade do trabalho desenvolvido por eles. A ideia é que os encontros sejam projetos-piloto que serão aplicados nos demais municípios que integram o DRS-Araraquara. Para Rodrigo Aguiar, sensibilizar o profissional a utilizar a teleconsultoria como auxílio tecnológico nas demandas do dia a dia da Atenção Básica é muito importante. "A utilização da ferramenta permite melhoria da qualidade dos atendimentos no SUS, com resultados positivos na resolubilidade do nível primário de atenção; expressiva redução de custos e do tempo de deslocamentos; fixação dos profissionais de saúde nos locais de difícil acesso; maior agilidade no atendimento prestado; e otimização dos recursos dentro do sistema como um todo", ressalta o médico.

Antonio Martins de Oliveira e Sonia Souza Silva, respectivamente, Diretor e Diretora de Planejamento do DRS III, participaram da reunião e acreditam que os serviços promoverão melhoria da qualidade do atendimento na Atenção Básica. "O suporte dos especialistas contribuirá para que a Atenção Básica seja resolutiva e reduza gradativamente os encaminhamentos desnecessários, gerando maior vínculo entre as equipes de Atenção Básica e usuários, bem como redução nos gastos e gargalos na atenção de média complexidade", concluem.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias