Menu
domingo, 28 de fevereiro de 2021
Cidade

Guarda municipal acusado de agredir skatista é afastado do cargo

Foi aberta um sindicância para apurar o caso.

24 Jan 2013 - 12h11
Major Jorge Luís Negreto, comandante da GM São Carlos. (Foto: Tiago da Mata / SCA) - Major Jorge Luís Negreto, comandante da GM São Carlos. (Foto: Tiago da Mata / SCA) -

Na manhã desta quinta-feira (24) o comandante da Guarda Municipal de São Carlos, o Major Jorge Luís Negreto, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa para comunicar que o guarda que agrediu e jogou spray de pimenta em jovem no Parque do Bicão na última terça-feira, foi afastado do cargo. Uma sindicância foi aberta para apurar o caso.

Segundo o comandante já foi instaurada uma sindicância para apurar os fatos. "O que chegou até nós é o mesmo o que chegou à imprensa, uma imagem aparentemente editada e por isso foi aberto a sindicância, para apurar o caso. Há informes de boletim de ocorrência, espero que haja realmente pois podemos identificar vítimas e testemunhas, até porque se não houver vítimas e testemunhas, só com a imagem do vídeo não conseguiremos concluir nada", afirmou o major.

Sobre o guarda municipal, o comandante afirmou que ele já foi afastado e aguarda a apuração do caso. "Ele foi afastado das suas atividades, não está em casa até porque seria uma irresponsabilidade nossa e uma improbidade administrativa. Ele está exercendo uma outra atividade. Não podemos simplesmente já penalizá-lo, pois estaríamos pré-julgando e isso é proibido legalmente", explicou.

Imagem reprodução do Youtube.O assunto sobre o armamento da Guarda também foi questionado na entrevista. Quando questionado, se caso a GM já estivesse armada, se o guarda teria sacado a arma assim como sacou a ampola de spray de pimenta, o major foi taxativo em dizer que qualquer resposta seria uma tentativa de adivinhação. "A gente não pode afirmar isso, nem que sim, nem que não, estaríamos tentando adivinhar alguma coisa".

Sobre a abordagem da GM, o comandante afirmou que a Guarda não pode fazer abordagens, como Polícia, a não ser em caso de flagrante, o que segundo ele, qualquer um pode fazer. "A Guarda Municipal não tem poder de polícia para fazer uma abordagem, a não ser que seja um flagrante. No caso específico, se estavam fazendo o uso de entorpecente o guarda poderia fazer a abordagem, mas, como ele estava em menor número deveria ter pedido apoio para fazer a abordagem na sequencia".

Quando questionado sobre o que realmente teria acontecido no local, se havia uso de entorpecentes ou se o guarda havia abordado o rapaz devido ao um xingamento, que foi descrito nos comentários do vídeo, o comandante foi taxativo em dizer que a sindicância é que vai apurar o que realmente ocorre.

"Foi aberto uma sindicância para apurar o caso". (Foto: Tiago da Mata / SCA)"Como disse, foi instaurada uma sindicância exatamente para apurar o caso. O que eu posso dizer é o que vocês e o que eu vi, que foi o vídeo no Youtube e os comentários. Se eles estavam fazendo o uso de entorpecentes ou não é a sindicância que vai nos dizer. Se caso eles estivessem, o guarda poderia abordar, não só ali mas em qualquer lugar, em flagrante qualquer um do povo pode abordar.

Sobre uma possível falha do guarda ao fazer a abordagem e o uso de força excessiva, Negreto afirmou que falha todos podem cometer, mas que são treinado para não cometer. "Ninguém escapa da falha, se houve uma falha foi individual e não de treinamento. Treinamento todos tiveram", concluiu o Major Jorge Luís Negreto, comandante da GM São Carlos.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias