quarta, 10 de agosto de 2022
Demandas da população

FGV finaliza entrevistas com formadores de opinião para o plano de mobilidade urbana

Objetivo foi garantir a participação social com a coleta de diferentes visões, sugestões, percepções e reclamações sobre a visão de futuro para São Carlos

28 Jun 2022 - 15h38Por Redação
FGV finaliza entrevistas com formadores de opinião para o plano de mobilidade urbana - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A Fundação Getúlio Vargas (FGV), instituição responsável pela elaboração do Plano de Mobilidade Urbana de São Carlos, finalizou a etapa das entrevistas com formadores de opinião.

“Conhecer as demandas da população permite estabelecer objetivos que respondam a essas expectativas de forma clara, contribui com a definição de metas para se alcançar os objetivos e também estabelece um ordenamento das ações prioritárias para os horizontes de implantação”, explica o coordenador de projetos da FGV, Manoel Reis.

De acordo com o secretário de Transporte e Trânsito, Paulo Luciano, o objetivo dessa etapa do Plano foi garantir a participação social dos principais formadores de opinião com a coleta de diferentes visões, sugestões, percepções e reclamações sobre a visão de futuro para São Carlos. “A equipe da Fundação realizou um levantamento dos problemas enfrentados atualmente e a expectativa de mobilidade urbana de São Carlos”, afirmou o secretário.

Os resultados das entrevistas servirão de base para a elaboração dos objetivos e metas que nortearão o Plano de Mobilidade Urbana de São Carlos.

Confira as próximas etapas do Plano de Mobilidade Urbana de São Carlos:

- Elaboração da Visão de Futuro: durante as entrevistas, a Fundação obteve respostas para a seguinte pergunta: “Como você imagina a São Carlos do futuro? As respostas serão utilizadas para construção da visão da cidade, que deverá sintetizar o futuro desejado pela população. A visão de futuro da cidade é a base das expectativas da sociedade e deve ser traduzida em objetivos e metas mensuráveis e factíveis em horizontes de curto, médio e longo prazos;

- Definição das prioridades e dos objetivos: nesta etapa, baseando-se na visão de futuro e nas expectativas sobre mobilidade identificadas durante as entrevistas, são definidas as áreas prioritárias de intervenção para o Plano de Mobilidade Urbano, bem como objetivos específicos para cada uma dessas áreas;

- Análises Técnicas / Diagnóstico: em paralelo às atividades anteriores, análises técnicas da etapa de diagnóstico do projeto também estão em andamento, como por exemplo a elaboração da matriz origem-destino (Matriz OD), ferramenta fundamental para o planejamento da mobilidade urbana. No caso de São Carlos, a Fundação Getúlio Vargas está trabalhando com dados de telefonia celular para a construção da Matriz OD.

Leia Também

Últimas Notícias