Menu
domingo, 20 de setembro de 2020
Cidade

Fábrica de biossimilares da Orygen será em São Carlos

08 Set 2014 - 21h36
0 - 0 -

A Orygen, joint venture entre os laboratórios nacionais Biolab e Eurofarma, anunciou nesta sexta-feira, 5 de setembro, a instalação de sua fábrica nacional para a produção de anticorpos monoclonais na cidade de  São Carlos,  a 250 km da capital paulista, em uma área de 200 mil metros quadrados.

Para que o projeto seja viabilizado, contudo, a prefeitura de São Carlos, juntamente com a Câmara Municipal, deverá providenciar a mudança da área escolhida de rural para industrial. A prefeitura deve apresentar um projeto de lei para essa mudança na próxima semana. O objetivo é que a aprovação aconteça até outubro.

Os anticorpos monoclonais são produzidos por células vivas e o sucesso clínico e comercial destes agentes biológicos está transformando a indústria farmacêutica global. À medida que as patentes dessas drogas expiram, existem oportunidades substanciais para que se façam versões altamente semelhantes desses biológicos, designados biossimilares. O interesse no desenvolvimento de biológicos e biossimilares no Brasil tem sido incrementado pelas possibilidades oferecidas com a expiração das patentes nos próximos anos.

Uma vez construída a planta produtiva da Orygen, a empresa planeja iniciar a operação com um total de 110 profissionais dos quais cerca de 50 estarão diretamente envolvidos com os processos técnicos, 28 nas linhas de produção, 20 no controle e garantia de qualidade e 12 em atividades de suporte operacional. Estima-se que mais de um terço de todos os profissionais serão mestres e doutores.

A Investe São Paulo, agência de promoção de investimentos ligada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, apoiou a Orygen principalmente no contato com instituições estaduais e concessionárias de serviços públicos. Os projetos ligados à saúde são atendidos com prioridade pela Agência.

“Esse é um momento histórico não só para o Estado como para o País, pois a nacionalização dos biossimilares vai diminuir o déficit de nossa balança comercial nesse setor e facilitar a disponibilidade de medicamentos importantes no SUS. Estamos em contato com a Orygen desde novembro de 2012 e trazer este projeto para o Estado nos enche de orgulho”, explicou o presidente da Investe SP, Luciano Almeida.” A escolha da Orygen por São Carlos foi acertada uma vez que a cidade conta com parques tecnológicos, centros de pesquisa, universidade e mão de obra voltada para a indústria farmacêutica”, completou.

Para a execução do projeto a Orygen fechou uma parceria tecnológica com a Pfizer Inc. cujo acordo de colaboração está em análise pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Após a aprovação do acordo e celebração dos convênios acessórios, a Pfizer iniciará o processo de transferência de tecnologia para a produção de até cinco anticorpos monoclonais para a Orygen, os quais incluem os biossimilares Adalimumabe, Bevacizumabe, Infliximabe, Rituximabe e Trastuzumabe, utilizados no combate a doenças como câncer e doenças autoimunes.

Para a construção da fábrica, a Orygen conta com o apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e da Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP). A estimativa é de que a planta comece a operar em 2017, com os primeiros medicamentos saindo da fábrica em 2018.

Segundo o diretor científico da Orygen, o bioquímico inglês Andrew Simpson, a Pfizer já está em fase avançada do desenvolvimento desses medicamentos. ”A disponibilidade dos anticorpos da Pfizer no Brasil para a distribuição pelo SUS trará um ganho enorme aos pacientes portadores das doenças que estes anticorpos tratam“, disse.

Para o prefeito da cidade, Paulo Altomani, “o investimento da Orygen será muito importante para a economia e a saúde da cidade, além de gerar muitos empregos. Trata-se de uma empresa de alta tecnologia que, com a autorização da Pfizer, irá produzir anticorpos para o tratamento de câncer e artrite. São Carlos será uma cidade evoluída na área da medicina”, comentou.

Altomani e Simpson reuniram-se na quinta-feira, 28 de agosto, com o gerente geral da Investe SP, Wanius Ribeiro, e os representantes da Companhia Paulista de Força e Luz (CPFL), do Departamento de Águas e Energia Elétrica (DAEE), da Companhia Gás Brasiliano e do Serviço Autônomo de Água e Esgoto São Carlos (SAAE). O objetivo da reunião foi avaliar o fornecimento dos serviços de energia, água, luz e tratamento de dejetos. As instituições garantiram a disponibilidade dos serviços voltados para a implantação da empresa no município.

 

Estratégia

Há dois anos a Orygen tem a intenção de instalar uma fábrica de medicamentos no Brasil, e a parceria com a Pfizer foi fundamental para a realização desse projeto.

A produção de biossimilares é estratégica para o governo brasileiro, que atualmente importa os medicamentos para distribuição no Sistema Único de Saúde (SUS). Desde 2012, o Ministério da Saúde vem discutindo acordos com diversas empresas brasileiras para a nacionalização desses produtos com apoio do BNDES.

A ideia seria reduzir o déficit da balança comercial de equipamentos médicos e medicamentos, que gira em torno de R$ 25 bilhões ao ano.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias