Menu
sábado, 31 de julho de 2021
Cidade

Estudantes visitam 4 mil residências para orientar população sobre coleta seletiva

08 Set 2011 - 17h00
0 - 0 -

Um grupo de 15 estudantes das universidades USP, UFSCar e Unicep participou, nessa semana, do cadastramento das residências atendidas pelo programa de coleta seletiva de São Carlos. Os universitários percorreram 60 bairros da cidade para informar à população os dias em que os cooperados da Coopervida passam recolhendo os recicláveis. O objetivo da campanha, que se encerrou na quinta-feira (8), é melhorar a prestação do serviço nos bairros, assim como diagnosticar as regiões em que há deficiências no trabalho de coleta.

O projeto "Identificação das residências e estabelecimentos parceiros do Programa Municipal de Coleta Seletiva" teve a iniciativa da Coordenadoria de Meio Ambiente, em conjunto com o Departamento de Apoio à Economia Solidária, da Secretaria de Trabalho Emprego e Renda e o apoio do Banco do Brasil. A população visitada pelos estudantes recebeu um imã de geladeira com a impressão dos dias da semana. Nele, o morador anota a data em que o bairro é contemplado pelo trabalho da cooperativa. "Atualmente, a coleta seletiva conta com 55 cooperados e atende a 80% da área urbana do município. Todavia, com base na relação entre geração potencial de recicláveis e quantidade coletada, sabemos que apenas parte das residências ou estabelecimentos atendidos pela coleta seletiva contribui regularmente com a doação de recicláveis", destaca Paulo Mancini. O coordenador de Meio Ambiente ressalta que a cooperativa recolhe entre 100 e 120 toneladas de recicláveis por mês. "Com o morador ciente da data em que há a coleta seletiva, a gente espera um aumento na participação dos são-carlenses na campanha", explica.

A engenheira ambiental, Adriana Gonçalves Ferreira, comenta que, a partir dos resultados da campanha será possível mapear e quantificar o universo de parceiros da coleta seletiva, gerando as informações que vão subsidiar ações da Prefeitura como campanhas de sensibilização para a coleta seletiva focadas em determinadas regiões com menor densidade de adesão ao projeto.

"Também pretendemos distribuir placas ou adesivos demonstrando quais são as residências parceiras da coleta seletiva. Essa identificação facilitará o trabalho dos catadores, diminuindo a distância percorrida e ampliando a quantidade de recicláveis coletada", assinala.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias