Menu
segunda, 08 de março de 2021
Crie um aplicativo como uma garota

Equipe premiada da USP São Carlos explica como desenvolveu proposta para alfabetização

Quatro estudantes premiadas em desafio internacional vão relatar a experiência na próxima quinta-feira, 28 de janeiro, a partir das 19 horas, durante evento online da série “ICMC Ao Vivo: Diálogos Construtivos"

27 Jan 2021 - 07h40Por Denise Casatti
O aplicativo já tem até um mascote, Beto, criado por Ana Laura - Crédito: DivulgaçãoO aplicativo já tem até um mascote, Beto, criado por Ana Laura - Crédito: Divulgação

Uma proposta de aplicativo que pode ajudar na alfabetização de adultos fez quatro alunas da USP conquistarem o primeiro lugar em uma competição internacional. O reconhecimento, obtido em dezembro, surpreendeu o time feminino, que agora vai relatar essa experiência em um evento online na próxima quinta-feira, 28 de janeiro, a partir das 19 horas.

É quando Ana Laura Chioca Vieira, Luísa Moura, Luiza Machado e Marina Machado, alunas do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, participarão do quinto evento da série ICMC Ao Vivo: Diálogos Construtivos.

Além de explicar como elas criaram a proposta do aplicativo e quais são os desafios para colocar a ideia em prática, as garotas vão falar sobre os muitos mitos que envolvem o desenvolvimento de um aplicativo e as barreiras que costumam impedir que o público feminino se engaje nesse tipo de iniciativa.

Gratuito e aberto a todos os interessados, o evento não demanda inscrições prévias e será transmitido pelo canal ICMC TV no Youtube. As participantes também responderão às dúvidas do público, que poderá enviar suas questões por meio do chat.

APLICATIVO PARA ALFABETIZAÇÃO

O projeto de criar uma solução para contribuir com a alfabetização de adultos tem data de nascimento. Surgiu nos dias 17 e 18 de outubro do ano passado, quando foi realizado o SheHacksBr, um desafio de tecnologia para universitárias.

Um pouco antes do evento, as quatro alunas do ICMC combinaram que formariam uma equipe para participar da competição. No evento, descobriram que o objetivo era criar uma ferramenta tecnológica destinada a melhorar a qualidade de vida da população.

Durante uma reunião para troca de ideias, surgiu a questão do analfabetismo. Mas como criar um aplicativo para promover a alfabetização? Em busca dessa e de outras respostas, as garotas foram consultar pedagogas e investigar o tema.

Assim nasceu o ABC, um projeto de aplicativo para democratizar o acesso aos conhecimentos básicos que habilitam a plena leitura e a escrita, voltada para atender aos 62 milhões de adultos brasileiros que são funcionalmente analfabetos: pessoas que podem ler sentenças curtas, escrever o próprio nome, mas são incapazes de ler livros.

O aplicativo já tem até um mascote, Beto, criado por Ana Laura. A ideia é que, por meio de vídeos e dicas, Beto ajude o público a navegar pelo alfabeto de novos conhecimentos. Ao longo do caminho, será possível também avaliar o progresso do aprendizado respondendo a questões (quiz) e realizando exercícios.

A proposta criada pelas garotas em outubro ficou em terceiro lugar no SheHacksBr. Devido ao bom resultado, elas foram uma das quatro equipes convidadas pela Agência USP de Inovação a participar da competição internacional promovida pela Arizona State University e pela empresa social Devex, em que conquistaram a primeira colocação na categoria “comunicação de impacto”.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias