Menu
domingo, 20 de setembro de 2020
Especial Dia dos Pais

“Ele é meu herói. Amor incondicional. Eu cuido dele e ele cuida de mim”

06 Ago 2020 - 06h32Por Marcos Escrivani
“Ele é meu herói. Amor incondicional. Eu cuido dele e ele cuida de mim” - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A série de reportagens especiais alusivas ao Dia dos Pais, comemorado domingo, 9 de agosto, tem sequência com uma história de amor incondicional entre um pai acometido pelo Mal de Parkinson e a filha, que se recupera de um câncer no ovário. Mais que uma história de amor. De entrega, cumplicidade, carinho. O São Carlos Agora idealizou as homenagens em um ano marcado pela pandemia da Covid-19.

Portanto, aos mais sensíveis, prepare o coração já que os protagonistas são Antonio Augusto Baio, aposentado, 72 anos e a filha Tais Helena Fragale Baio, 35 anos, fisioterapeuta. O papai é casado com a também aposentada Dulcinéia Helena Fragale Baio, 69 anos e a filha, com o laminador Moacir Aparecido Molinari, 41 anos. A família reside no centro.

“Ele é meu pai, meu herói. Um amor condicional. Eu cuido dele e ele cuida de mim”, disse Tais ao se referir com ternura ao papai.

GUERREIRA, FAMÍLIA UNIDA

A vida seguia tranquila para Taís até que em 2019, recém-casada e em plena lua de mel, passou mal, com muita dor no peito. Procurou um médico e foi constatado um derrame pleural (água no pulmão). Fez biópsia, passou por cirurgia e drenou o líquido. Posteriormente constatou que tinha câncer maligno no ovário. “Fiz nova cirurgia e foi retirado o ovário, trompas, útero e pedaço do intestino. Isso em março deste ano”, salientou. Desde então passa por quimioterapia, e toma medicamentos. Não corre risco de morte, mas passa por exames regulares e está em franca recuperação. Neste período, conta com importante apoio da Oncovita.

“Não nego que, desde que soube que tinha câncer chorei duas vezes. No primeiro dia, quando soube do diagnóstico e depois, quando caiu todo o pelo do corpo. Hoje estou carequinha”, diz, com bom humor.

Porém, Tais não esquece os momentos mais difíceis desde que é portadora do tumor. “Perdi o chão, mas sempre tive respaldo da minha família. Somos católicos e meus pais me deram força. Eles são meu porto seguro. Me acompanharam desde o primeiro minuto. Minha mãe durante a internação. E em casa, meus pais estão presentes no dia-a-dia. Se a vontade de viver permaneceu e nunca desanimei é graças ao meu papai e minha mamãe”, fala emocionada.

“EU CUIDO DELE E ELE DE MIM”

Fisioterapeuta, Tais brinca ao dizer que ela é a “doutora filha” do ‘seo’ Antonio, já que há seis anos foi diagnosticado com o Mal de Parkinson. Ela, por sua vez, se recupera do câncer no ovário.

“Eu e meu pai somos um só. Eu cuido dele com todo o amor do mundo. Não só com carinho, mas com fisioterapia. E ele me dá todo o apoio que preciso neste momento conturbado. Na verdade, somos um só. Ele é meu herói, meu super-pai. grudada nele”, diz, cheia de felicidade. “Nosso amor é incondicional. Quando ele chega, dou graças a Deus, pois é um sentimento que me enche o coração em poder ver ele. É comemorar o motivo de estar mais um dia junto a ele”.

SURPRESA NA CHÁCARA

Tais e os pais Antonio e Dulcinéia são do grupo de risco nesta pandemia da Covid-19 e a filha garantiu que os cuidados são extremos. “Usamos máscaras, luvas, álcool em gel e, também, o distanciamento de dois metros (no mínimo). Temos medo de sermos infectados e respeitamos esta doença. Nos cuidamos para que ninguém da família sofra com a infecção”, disse Tais.

Mas quando chegar o Dia dos Pais, ela, o marido e os pais irão até a chácara da família e a promessa é um encontro pra lá de especial.

“Todos os dias, são dos nossos pais. Mas como o segundo domingo de agosto é dedicado ao papai e graças a Deus, ele está ao nosso lado. Temos que comemorar e homenagear, pois há famílias que não tem mais este privilégio e tem aquelas famílias que tem, mas não dão o devido valor. Então quero curtir muito meu paizinho”, garantiu.

PAI SOLIDÁRIO

Por fim, Tais fez questão de tornar público uma outra faceta do seu papai: “Ele é um homem honesto, digno, de valores e muito solidário. Doa cestas básicas, leva doações na casa de famílias que necessitam e já ajudou até cobrir casa em sistema de mutirão. Ele faz ações sociais mesmo antes da pandemia. É um orgulho do tamanho do mundo ter um papai assim... Meu amor por ele não cabe no meu peito”...

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias