Menu
sexta, 23 de abril de 2021
Cidade

Curso gratuito auxilia as pessoas que desejam parar de fumar

28 Fev 2018 - 08h13Por Redação
Foto: Divulgação - Foto: Divulgação -

O curso como deixar de fumar em cinco dias é mundialmente realizado pela Igreja Adventista do Sétimo Dia, é gratuito e conta com o apoio voluntário de médicos, dentistas, psicólogos, enfermeiras e profissionais de várias áreas para orientar as pessoas a pararem com esse vício que tanto prejudica nossa população.

Nesse ano a Igreja irá realizar o curso no período de 1º a 6 de abril na Avenida João de Lourenço, 249, no Jardim Munique. Os telefones para contato e inscrições limitadas em 120 vagas são 3307-8855 ou WhatsApp 99184-8861 (Elaine).

VÍCIO

O tabagismo é responsável por seis milhões de mortes ao ano em todo o mundo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a estimativa é que o número passe para oito até 2030.

O dado é alarmante e revela que, em poucos anos, seria capaz de 'acabar', por exemplo, com a população de um país com a dimensão da Suíça, que conta com 8.372 milhões de habitantes.

Em todo o planeta existe 1,1 bilhão de fumantes com mais de 15 anos - o que pode indicar que o vício pelo cigarro começa cedo, ainda na adolescência. De acordo com um estudo publicado pela revista científica The Lancet , do Reino Unido, no ano de 2015, ao menos 18,2 milhões de pessoas se renderam ao  tabagismo somente no Brasil.

O tabagismo, principal causa de morte evitável, faz seis milhões de vítimas por ano em todo o mundo

Apesar desse cenário, de 1990 a 2015 - período de 25 anos - houve uma redução no número de fumantes no País. No público masculino, a taxa caiu de 29% para 12%, e no grupo feminino foi de 19% para 8%. O problema, no entanto, é o enorme volume de pessoas que ainda continua viciada em tabaco e as consequências disso à saúde.

Perigos do tabagismo

cigarro é composto por cerca de 4,7 mil substâncias químicas, como metais, gases tóxicos e gases cancerígenos. E, apesar da grande quantidade de componentes, a nicotina é a única que leva à dependência, conforme explica a Dra. Andrea Sette, pneumologista do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, em São Paulo.

Por ser uma substância viciante, quem fuma poderá sentir muita dificuldade em combater a vontade de colocar um cigarro na boca. E o problema começa cedo: logo na primeira tragada, os pulmões absorvem a nicotina, que chega ao cérebro em poucos segundos, e causa uma sensação de bem-estar e de prazer. Diante disso, a pessoa fica dependente e, na tentativa de interromper o vício, enfrenta períodos de abstinência e irritabilidade.

Outro problema relacionado ao hábito de fumar cigarro é que desencadeia uma série de doenças. De acordo com a Dra. Andrea, as mais frequentes são as respiratórias, como a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC) , que atinge por volta de 210 milhões de pessoas em todo mundo, e está diretamente relacionada com enfisema e bronquite crônica. Quem sofre da doença sente dificuldade na respiração por causa do bloqueio do fluxo de ar nos pulmões.

Outra patologia que ganha destaque no assunto é o câncer. Segundo o Ministério da Saúde, 90% dos casos de câncer em fumantes estão relacionados com o pulmão. Mas, é possível, ainda, desenvolver a doença na boca, esôfago, pâncreas, rim, além de outras partes e órgãos do corpo. "Angina, infarto, derrame cerebral também estão relacionados ao fumo", completa a pneumologista.

Com as gestantes, o cuidado deve ser redobrado. "As grávidas fumantes têm mais chances de parto prematuro, de óbito fetal e de desenvolver bebês que podem nascer com doenças respiratórias", enfatiza a Dra. Andrea. Diante disso, abandonar o cigarro é essencial para que não haja nenhuma complicação durante a gravidez.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias