terça, 05 de julho de 2022
Em seis meses

Curso da Embrapa São Carlos chega a quase 20% dos municípios brasileiros

Durante esse período, 4200 pessoas de todos os estados do país se inscreveram para a capacitação

19 Mai 2022 - 09h22Por Redação
Curso da Embrapa São Carlos chega a quase 20% dos municípios brasileiros - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Adaptado para o formato virtual por causa da pandemia da Covid-19, o Curso de Tecnologia Pós-Colheita em Frutas e Hortaliças, organizado pela Embrapa Instrumentação (São Carlos - SP), tem alcançado números expressivos, seis meses após ser disponibilizado - gratuitamente - na plataforma e-campo, no endereço https://www.embrapa.br/e-campo/tecnologia-pos-colheita-em-frutas-e-hortalicas, em 18 de novembro de 2021.

Durante esse período, 4200 pessoas de todos os estados brasileiros se inscreveram para o 7º curso, são 1023 dos 5570 municípios do País representados (18,36%). O ranking das cidades indica Petrolina - PE como o 1º lugar no número de inscritos – 67, seguida por São Paulo – SP com 43, São Carlos – SP com 39, Juazeiro – BA com 37, Belém – PA com 33 e Campo Novo do Parecis – MT com 30.

“O que chama a atenção é a presença de algumas regiões tradicionais, principalmente na produção de frutas para exportação, casos de Pernambuco e da Bahia, mas também pessoas de estados como Pará e Mato Grosso, muito pujantes na produção agropecuária em outros segmentos”, comenta o pesquisador Marcos David Ferreira, coordenador do curso.

Interesse extrapola fronteiras

O conteúdo diferenciado em módulos sobre Rastreabilidade, Colheita, Beneficiamento, Nanotecnologia na pós-colheita, Análise não destrutiva da qualidade e Produtos Minimamente Processados (PMPs) fez o interesse extrapolar as fronteiras, com inscritos de Portugal, Moçambique, Cabo Verde, Angola, Argentina, Uruguai, Paraguai, Colômbia, Peru, Equador e Honduras.

“Já contabilizamos 23 inscritos desses 11 países, inclusive de língua espanhola, mesmo com o conteúdo em Português. Cursos com essa temática, fora do Brasil, chegam a custar entre R$ 3 mil e R$ 12 mil, por isso oferecemos essa oportunidade para quem pretende se aprimorar sem precisar pagar, visto que obtivemos apoio financeiro de uma emenda parlamentar do deputado federal Vitor Lippi”, acrescenta o pesquisador da Embrapa.

CRESCIMENTO DE 4000%

O curso contou com a contribuição de 45 conteudistas e instrutores (oito Centros de Pesquisa da Embrapa e instituições públicas e privadas), que ajudaram a produzir seis apostilas, num total de 395 páginas (podem ser salvas em PDF para leitura posterior ou impressão), dez vídeos de práticas em laboratório; duas visitas técnicas virtuais; nove podcasts; dez infográficos; 15 animações gráficas (whiteboards), além de 46 videoaulas.

A pessoa pode escolher um ou mais módulos de seu interesse, já que são independentes e oferecem certificados individuais; quem cumprir a carga horária de 68 horas receberá um certificado para o curso completo. “Já ultrapassamos o crescimento de 4000% nas inscrições em relação à edição presencial de 2019 que teve 100 participantes e, para isso, também foram decisivos fatores como adequação da linguagem, materiais audiovisuais e complementares que são oferecidos aos participantes”, finaliza Marcos David.

Leia Também

Últimas Notícias