Menu
terça, 22 de setembro de 2020
Fazer o bem, sem ver a quem

“Comida do Bem” leva alimento para 50 moradores de rua em São Carlos

10 Ago 2020 - 08h06Por Marcos Escrivani
“Comida do Bem” leva alimento para 50 moradores de rua em São Carlos - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Mais um gesto de carinho, amor e solidariedade para com o próximo, cuja meta é levar um pouco de dignidade e conforto humano em época de pandemia da Covid-19.

Este é o propósito do “Comida do Bem”, uma iniciativa que nasceu com a chegada do novo coronavírus e que trouxe muita tristeza e mostrou as mazelas em que se encontra a sociedade.

Cinco voluntários idealizaram o projeto e um deles, a agente educacional Cláudia Solande da Silva, 48 anos, foi a entrevista do São Carlos Agora para revelar alguns detalhes da atividade que alimenta, todos os domingos, aproximadamente 50 moradores de rua.

Ao lado da boleira Luciana Cristina Gonçalves Calado, 41 anos; do operário Clodoaldo Ferreira Calado, 46 anos; da cozinheira Maria Paulino da Costa, 52 anos; e do agente educacional José Ferreira Marta, 44 anos, Cláudia faz um trabalho solidário que completa um ano.

“Eu iniciei nele há poucos memes. Mas sou vicentina em ações sociais da igreja São Nicolau de Flüe há cinco anos. Fiquei comovida com este trabalho e ao ser convidada para fazer parte do ‘Comida do Bem’, aceitei de bom coração. Tem a minha cara”, disse a agente educacional. “É uma forma de ser solidária a quem necessita”, comentou.

AOS DOMINGOS

O “Comida do Bem” depende de doações e durante a semana os voluntários do grupo buscam comover as pessoas nos grupos de WhatsApp. Porém, segundo Cláudia, às vezes colocam dinheiro do bolso para comprar embalagens e carne, salientando que todos os domingos, são feitas marmitas com um cardápio variado.

“Além da carne, há arroz, feijão, macarrão, farofa que são entregues em várias praças”, disse, ao se referir a região do Terminal Rodoviário, na Catedral, na 15 de Novembro, no Mercado Municipal, na Santa Cruz e na Santo Antonio. “Produzimos em média 50 marmitas e todas são entregues. A gente arrecada as doações, cozinha e entregue”, comentou.

PANDEMIA VAI, AÇÃO FICA

Cláudia tem convicção que o mal que hoje assola todo o mundo irá passar e com isso a pandemia da Covid-19 irá embora. “Vamos ter um novo normal e com a Graça de Deus, iremos retomar nosso dia a dia. Mas a meta é continuar com esta ação social e não parar mais. Temos que ajudar essas pessoas que necessitam de nossa ajuda”, comentou.

Por fim, em nome de todos os integrantes do grupo, Cláudia tentou demonstrar o que agrega o Comida do Bem a vida de cada voluntário. “É um sentimento que nos gratifica muito. Temos ciência que o momento é de tristeza, mas saber que podemos ajudar um pouco a matar a fome daquele que precisa de alimento é uma forma da gente demonstrar o amor ao próximo”, finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias