Menu
segunda, 19 de abril de 2021
Cidade

Comerciantes da Larga não descartam demissões e fechamento de estabelecimentos após novo horário de estacionamento

Indignados, eles revelaram ao São Carlos Agora que decisão da Prefeitura Municipal foi autoritária. “Não fomos nem comunicados”

24 Out 2017 - 16h06
Foto: Marcos Escrivani - Foto: Marcos Escrivani -

Mais uma polêmica envolve o setor de trânsito em São Carlos. Desde sexta-feira, 20, vigora em parte da Avenida Dr. Teixeira de Barros (a Rua Larga), na Vila Prado, um novo horário de estacionamento para veículos: de segunda-feira à sábado, das 6h às 19h e aos domingos e feriados, das 6h às 16h. Após este período, os carros que pararem às margens do canteiro central (em ambos os sentidos), podem ser multados.

As novas placas de sinalização foram colocadas a partir das 15h e os comerciantes, desde então, mostram-se indignados com tal iniciativa. Em entrevista ao São Carlos Agora na tarde desta terça-feira, 25, Rafael Palma Martins Ribeiro, 31 anos e Arthur Henrique Verdadeiro Silva, 25 anos, afirmaram que a decisão foi autoritária. "Os comerciantes não foram nem comunicados", resumiram.

Segundo eles, a previsão diante do novo horário de estacionamento é a pior possível. "A perspectiva é que o movimento caia aproximadamente 60% e não descartamos a possibilidade de estabelecimentos comerciais encerrarem atividades. Estamos em época de crise e atitudes assim não contribuem em nada. Eu particularmente, emprego nove famílias. E se o horário não retornar como era antes, não sei o que será no futuro", disse Arthur. "Nós nos sentimos abandonados. Nos matamos para pagar aluguel, salários e impostos e recebemos isso em retribuição?", indagou.

A POLÊMICA

Rafael e Arthur disseram que em 2015, época da administração Paulo Altomani (PSDB) foi feito um acordo entre moradores, comerciantes e Poder Público no sentido de limitar o horário de estacionamento na Rua Larga em toda sua extensão e em ambas as vias. Inicialmente das 6h às 21h e posteriormente estendido até às 23h. "Havia pancadões que duravam a madrugada inteira. Além de alcoolismo, droga, atos de vandalismo e briga. Então, com o intuito de reprimir tais ações, foi proibido estacionar no período noturno. Por dois anos, não houve problemas", garantiu Rafael. "Também somos contra isso", emendou.

Segundo o comerciante, de forma autoritária e sem avisar, na sexta-feira, 20, os horários de estacionamento foram mudados repentinamente. "Foi uma surpresa. Agora não é permitido estacionar às margens do canteiro central após às 19h durante a semana e após às 16h aos domingos e feriados. O curioso é que da Travessa 9 até a 12h, permanece das 6h às 23? Por que?".

Segundo ele, a Prefeitura Municipal e a Associação Comercial e Industrial de São Carlos (Acisc) não fizeram uma reunião sequer com os comerciantes da Rua Larga.

"É um grande prejuízo para todos que trabalham nesta avenida. Há dezenas de estabelecimentos comerciais que funcionam até às 23h, como pizzarias, lanchonetes, sorveterias, supermercados e até escola técnica. Como limitar estacionamento até às 19h? Sem contar que em dezembro o comércio fica aberto até às 22h devido às vendas de Natal", desabafou Rafael.

NOVOS CAPÍTULOS

Durante a entrevista ao SCA, Rafael e Arthur informaram que as iniciativas dos comerciantes da Rua Larga vão muito mais além. Eles garantiram que será feito um abaixo-assinado com o intuito que retorne o horário antigo na Larga.

"Até às 23h é um horário bom para todos. Não tem cabimento uma atitude deste tipo. Ainda mais feita sem nenhum tipo de aviso. Foi uma decisão sem nexo", afirmou Rafael. "Considero isso um grande descaso da Prefeitura Municipal e da Acisc, pois proporcionamos empregos para muitas famílias, geramos recursos municipais e pagamos nossos impostos. Além de movimentar a economia", garantiu o comerciante.

"Reafirmo: somos terminantemente contra os pancadões. Queremos apenas que retorne o horário antigo (até às 23h) e que possamos continuar a trabalhar normalmente como fazíamos anteriormente", finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias