domingo, 23 de janeiro de 2022
Prevenção

Combate à violência contra a mulher ganha força em São Carlos

Programa foi lançado oficialmente na noite de domingo (5) na Igreja São Nicolau de Flue

06 Dez 2021 - 14h42Por Redação
Evento que marcou o lançamento do Programa de Cooperação e o Código Sinal Vermelho de combate e prevenção à violência contra a mulher - Crédito: DivulgaçãoEvento que marcou o lançamento do Programa de Cooperação e o Código Sinal Vermelho de combate e prevenção à violência contra a mulher - Crédito: Divulgação

O Programa de Cooperação e o Código Sinal Vermelho de combate e prevenção à violência contra a mulher, cuja lei é de autoria do presidente da Câmara Municipal, vereador Roselei Françoso (MDB), foi lançado oficialmente na noite de domingo (5) na Igreja São Nicolau de Flue.

A Prefeitura de São Carlos preparou uma campanha publicitária com o intuito de auxiliar mulheres a identificarem os sinais de violência e a buscarem ajuda. Entre as formas de solicitar ajuda está a de exibir um sinal vermelho desenhado na palma da mão para que atendentes de estabelecimentos comerciais, como as farmácias, possam acionar a Polícia Militar pelo 190 ou disque denúncia 181.

A proposta foi apresentada ao presidente da Câmara pela presidente do MDB Mulher de São Carlos, Rosangela Ribeiro de Almeida. De acordo com ela, existe um trabalho do partido na esfera nacional juntamente com a Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) com o intuito de difundir a ideia.

A Lei 20.221 de julho de 2021 autoriza a Prefeitura de São Carlos a promover ações para a integração e cooperação com o Poder Judiciário, o Ministério Público, a Defensoria Pública, a Rede de Atendimento às Mulheres Vítimas de Violência, ligada à Secretaria Municipal de Cidadania e Assistência Social, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).

“Nós montamos aqui, na nossa comunidade, um grupo de psicólogos e advogados para acolher essas vítimas de violência, mas também fazer um trabalho junto do agressor”, disse o padre Robson Caramano. O padre relatou o drama sofrido pela comunidade com o feminicídio ocorrido no último dia 6 de novembro que vitimou Marisa de Souza dentro de uma farmácia ao lado da igreja.

“Precisamos trabalhar duro na conscientização para que não aconteçam mais crimes de feminicídios, ou que pelo menos, minimizem”, destacou o secretário de Comunicação, Mateus Aquino, responsável pelo desenvolvimento da campanha publicitária.

“A ideia deste programa, é que as mulheres tenham mais um canal de atendimento. Neste momento começaremos com as farmácias e os profissionais já cientes irão conduzir esta mulher da melhor forma possível”, explicou a secretária de Assistência Social e Cidadania, Vanessa Barbuto.

Para Danyelle Marini, do Conselho Regional de Farmácia e parceira do programa na capacitação dos funcionários de farmácias, a campanha é muito importante. “Para se ter ideia, 17 milhões de mulheres brasileiras sofrem algum tipo de agressão por ano, isso significa que uma em cada quatro mulheres tiveram alguma agressão física ou psicológica e muitas não sabem onde procurar um suporte”, frisou.

“Gostaria de reforçar que a PM está à disposição para receber estas denúncias. A mulher que está sofrendo violência não está sozinha, ela tem um aparato que pode auxiliar”, reforçou a capitã Karina, comandante da 2ª Companhia da Polícia Militar de São Carlos.

“Começaremos essa conscientização nas farmácias, onde mais de 450 colaboradores passarão por formação, posteriormente trabalharemos para que redes de hotéis, bares, restaurantes possam ter essa formação também”, destacou Roselei Françoso.

“Não existe nada mais importante do que a vida das pessoas. Esse programa será de extrema importância para nossa cidade, para a conservação da vida de muitas mulheres”, ressaltou o vice-prefeito de São Carlos, Edson Ferraz.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Últimas Notícias