Menu
quarta, 24 de fevereiro de 2021
Entrega será em novembro

Coca admite imprevistos e incômodos, mas garante que obras no Calçadão estão em “ritmo normal”

15 Out 2019 - 12h52Por Marcos Escrivani
Coca admite imprevistos e incômodos, mas garante que obras no Calçadão estão em “ritmo normal” - Crédito: Marcos Escrivani Crédito: Marcos Escrivani

“Não tem como fazer omeletes sem quebrar os ovos”. Com esta frase o secretário municipal de Transportes e Trânsito Coca Ferraz tentou justificar alguns incômodos e imprevistos causados a consumidores e comerciantes estabelecidos no Calçadão da rua General Osório. Atualmente duas quadras passam por remodelações e previsão de entrega é para a primeira quinzena de novembro.

Na manhã desta terça-feira, 15, Coca Ferraz, Benedito Marchesin, presidente do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) e José Fernandes Domingues, presidente da Associação Comercial e Industrial de São Carlos (Acisc) receberam a imprensa e forneceram informações sobre as obras.

“Tudo está dentro da normalidade”, disse Coca ao São Carlos Agora. “Não ocorreram atrasos, mas imprevistos. No subsolo foram atingidas ligações da rede de água, mas funcionários do Saae trabalham pesado. Quero salientar que a primeira etapa das obras (da rua 9 de Julho até a rua Episcopal) será concretada no final de semana. Na próxima semana será feito o mesmo serviço na segunda etapa (da rua Episcopal até a Avenida São Carlos). Posteriormente entrará os serviços de plantio de árvores, bancos, iluminação, câmeras de segurança e piso. Até novembro tudo estará entregue”, garantiu.

INCONVENIENTES

Coca admitiu que a segunda etapa das obras entre a Episcopal e Avenida trouxeram inconvenientes aos comerciantes e clientes, devido aos problemas nas redes de água e de esgoto. “Mas para tentar minimizar o problema, colocamos pedrinhas para melhorar o acesso e não prejudicar o comércio”, salientou. “Como notamos estes problemas nas redes de água, optamos ainda por não plantar árvores de grandes portes. A proposta agora é que sejam plantados coqueiros.

Marchesin que acompanhava a entrevista concordou com Coca, salientando que as obras do Saae estão dentro do cronograma. “Já entregamos o primeiro trecho. Agora estamos na segunda etapa de trabalho e para evitar imprevistos, iremos deixar um técnico acompanhando os trabalhos para que não ocorra outros problemas e ocorra algum tipo de atraso”, afirmou, observando que no trecho entre a Episcopal e Avenida São Carlos os trabalhos da autarquia iniciaram-se segunda-feira, 14. “Até o final da semana tudo será entregue de acordo com o cronograma pré-estabelecido”, garantiu.

CARROS?

Indagado sobre a possibilidade de veículos transitarem em fila indiana nas duas quadras, Coca não quis criar polêmicas. “Inicialmente, no projeto inicial, estávamos propensos a esta decisão. Mas após muitas discussões democráticas, optamos por um projeto flex, ou seja, terá fluxo de pedestres e carros. Mas tudo será discutido pós-obras. Temos que ter ciência que deverá ter espaço para que viaturas da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros e do Samu tenham espaço para trafegar no local. Isso é questão de segurança. Quanto a carros de passeio, ficará para depois. Poderá transitar, por exemplo, quando o comércio estiver fechado”, ponderou.

ENCHENTES

Com relação ao combate às enchentes, aproveitando o fato das obras alterarem o visual do Calçadão, Coca informou que todo o piso será em concreto. “O piso é mais resistente. Sem contar que a canalização das águas pluviais das lojas que eram jogadas diretamente na via, vão direto para um sistema de drenagem. Isso aumentou em três vezes a coleta da água”, garantiu.

COMÉRCIO

O presidente da Acisc José Fernando Domingues disse que a entidade acompanha as obras e tem orientado as autoridades municipais sobre os incômodos que as obras têm trazido aos clientes e comerciantes.

“Pedimos que fosse deixado um espaço para o consumidor circular e minimizar o prejuízo. Temos ciência ainda que o momento é de desconforto aos comerciantes, mas tudo será superado em alguns dias e temos que pensar positivo pois as obras deverão ser entregues até dia 20 de novembro e estou muito otimista. Temos acompanhado de perto e tudo está dentro do cronograma. O comércio no centro será forte e iremos atrair consumidores da região com a remodelação. Basta ter um pouco de paciência, pois o benefício será para todos”, finalizou.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias