Menu
segunda, 27 de setembro de 2021
Cidade

Cidade da Energia se torna realidade em São Carlos

?A Cidade da Energia é um projeto que não se restringe ao desenvolvimento local. É um projeto de desenvolvimento do país?, disse o prefeito Oswaldo Barba

29 Jun 2010 - 17h50Por Redação São Carlos Agora

Com a presença do ministro do Turismo, Luiz Barretto, do secretário-executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Elias, e do presidente da Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas), Luiz Aubert Neto, foi oficializada, na terça-feira (29), a liberação de R$ 19,7 milhões, que serão utilizados em obras de infraestrutura da Cidade da Energia.

Essa fase consiste na duplicação de 7 km da rodovia Guilherme Scatena, acesso ao futuro empreendimento, que terá investimentos estimados em mais de R$ 80 milhões. O evento, que aconteceu no auditório Bento Prado Jr., no Paço Municipal, na manhã de terça-feira, também contou com a presença do presidente da Câmara, Lineu Navarro, do chefe da Embrapa Instrumentação, Álvaro Macedo, entre outras autoridades.

Aubert Neto reafirmou o compromisso da Abimaq na implantação da Cidade da Energia. Ele assinalou que “o projeto coloca o Brasil em evidência na produção de energia renovável”. A Abimaq inaugurou um escritório na avenida São Carlos, 2.547, entre a avenida Dr. Carlos Botelho e rua 28 de Setembro.

Na opinião do chefe da Embrapa Instrumentação, a Cidade da Energia é um exemplo de parceria bem sucedida entre poder público, iniciativa privada e institutos de pesquisa. “A demanda por energia renovável é crucial na sociedade e essa parceria consolidará o pioneirismo de São Carlos na produção científica”, comentou Álvaro Macedo.

O ex-prefeito Newton Lima, responsável pelo início do processo de implantação da Cidade da Energia, também esteve presente no evento e fez questão de agradecer os parceiros. “Quando a Abimaq nos procurou, há dois anos, isso parecia um sonho distante, mas a determinação de São Carlos e da parceria com o governo federal, Embrapas e Universidades, transformou o sonho em realidade”, relembrou Newton Lima.

Negócios - O ministro do Turismo destacou a importância das parcerias entre governo federal e municípios. Luiz Barretto endossou que “a Cidade da Energia fomentará o turismo de negócios na região”. Barretto assinou ainda um convênio para liberação de recursos – no valor de R$ 1,8 milhão, sendo R$ 1,6 milhão do Ministério e R$ 170 mil da Prefeitura – para a terceira etapa do Boulevard São Carlos. As etapas anteriores já estão em andamento e somam investimentos de R$ 2,17 milhões com recursos do Governo Federal e da Prefeitura de São Carlos. Também anunciou a liberação da verba para recapeamento de várias vias de acesso aos atrativos turísticos da cidade no valor de R$ 1,07 milhão, R$ 975 mil do governo federal e R$ 100 mil da Prefeitura.

Já o secretário-executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia, Luiz Antônio Elias, confirmou que as parcerias entre União e municípios também são importantes para aproximar a população do conhecimento científico com projetos como a Cidade da Energia. “A Cidade da Energia é um projeto de inclusão social que, no futuro, será um instrumento de geração de emprego e renda”, disse.

“A Cidade da Energia é um projeto que não se restringe ao desenvolvimento local na produção de energia renovável. É um projeto de desenvolvimento do país”, completou o prefeito Oswaldo Barba.

ETE – A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Monjolinho também receberá recursos do Ministério da Ciência e Tecnologia. Serão R$ 3,2 milhões para o gerenciamento do lodo produzido pela ETE. Um termo de referência foi assinado entre o MCT, SAAE e USP para o gerenciamento, que inclui redução do volume do lodo, disposição adequada do resíduo em aterros e destinação à agricultura para produção de adubo, utilização de gás metano para secagem do lodo e redução de custos de investimentos na destinação do lodo.

Segundo o presidente do SAAE, Eduardo Cotrim, com essas ações, o custo para o município com o tratamento do lodo diminuirá 100%, além do volume de produção de resíduos que cairá em 80%. “O gerenciamento do lodo é problema para todas as estações de tratamento de esgoto e São Carlos está conseguindo uma ótima solução, em termos de custo e meio ambiente”.

Broa – O projeto “Viva o Broa”, uma parceria dos municípios de São Carlos, Brotas e Itirapina, para revitalização da represa do Lobo terá mais uma etapa. O Ministério da Ciência e Tecnologia celebrou convênio com a prefeitura de Brotas para iniciar o projeto de Capacitação em Educação Ambiental, Pesquisa e Monitoramento na Bacia Hidrográfica do Ribeirão do Lobo.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias