Menu
sábado, 25 de maio de 2019
Um conto de fadas...

Após desespero e com ajuda do SCA, desempregada consegue trabalho e história tem um final feliz...

13 Mai 2019 - 08h35Por Marcos Escrivani
Após desespero e com ajuda do SCA, desempregada consegue trabalho e história tem um final feliz... - Crédito: Marcos Escrivani Crédito: Marcos Escrivani

Como se fosse um conto de fadas. Mas uma história que terminou com um final feliz. Assim foi a conclusão de uma iniciativa desesperadora da então desempregada há dois anos, Andréa Vieira Oliveira, 41 anos. No dia 7 de maio, uma manhã de terça-feira, ela segurava um cartaz na Avenida José Pereira Lopes, em frente a Electrolux, com os dizeres “estou desempregada. Você pode me ajudar?”. O marido, Lucas Oliveira, 37 anos, também desempregado há 8 meses, fazia bicos em Mirassol. Ambos tem o filho João Lucas, de 3 anos. Todos separados devido à crise econômica.

O São Carlos Agora publicou no mesmo dia uma reportagem contando o drama de vida de Andrea na tentativa de auxiliá-la em busca do seu sonho: um trabalho em São Carlos e com isso unir novamente.

A iniciativa do portal obteve êxito e na tarde do mesmo dia, o empresário Rodrigo Sardi e sua esposa Sara Marino Sardi, sensibilizados, através do fone estampado na reportagem entraram em contato com Andrea e o sonho se tornou realidade.

Na manhã desta segunda-feira, 13, mais precisamente às 8h30, inicia uma nova etapa em sua vida. Ela passa a exercer a função de Auxiliar de Sala na Escola de Educação Infantil Baby Disney, localizada na rua Marechal Deodoro (entre as ruas São Joaquim com a Dona Alexandrina). Andrea será a 32ª funcionária da instituição de ensino.

“Li a reportagem e me tocou o coração. Quis conhecê-la e conversar. Liguei para ela, falei de minha empresa e a Andrea passou por um processo seletivo. Ela tem uma certa experiência e isso contribuiu para que pudéssemos contratá-la. Assim, terá carteira assinada, todos os direitos trabalhistas e poderemos ajudá-la a reiniciar a vida, ao lado de sua família”, disse Rodrigo. “Contei com o apoio fundamental de minha esposa (Sara) que também ficou sensibilizada. Hoje o mercado de trabalho está difícil. Há alguns meses demos duas oportunidades e recebemos mais de dois mil currículos”, pontuou.

FELICIDADE MÚTUA

Indagado sobre o sentimento que fica após tal decisão, Rodrigo afirmou que se sente feliz em poder contribuir no sentido de realizar o sonho de uma pessoa. “Acredito que a Andrea também esteja feliz. Poderá reunir a família e recomeçar a vida. Demos a oportunidade para que ela dê o primeiro passo e com isso recoloca-la no mercado de trabalho. Me sinto realizado como profissional na área de educação e poder contribuir para uma sociedade mais fraterna”, finalizou.

FICHA DEMOROU A CAIR

O São Carlos Agora ouviu novamente a hoje sorridente Andrea. “A ficha demorou a cair”, disse, não acreditando que, após o seu desespero se tornar público em uma reportagem, o resultado fosse quase que imediato. “Eu acreditava que pedir um trabalho segurando um cartaz poderia dar resultado. Mas não no mesmo dia”, disse. “O desejo mais forte por uma oportunidade de trabalho foi superior a vergonha”, explicou. “Ainda mais quando o SCA publicou uma reportagem. Mas, precisava muito do trabalho. E graças a vocês (portal) o senhor Rodrigo Sordi me ligou e apresentou um trabalho digno e sério, com carteira assinada. Na hora não sabia o que fazer. Se eu ria, chorava. Parecia um conto de fadas”, disse, emocionada. “Tenho que agradecer primeiramente a Deus, ao São Carlos Agora e ao senhor Rodrigo por ler a reportagem e entender meu apelo”, disse.

APROVEITADORES

Indagada se outras propostas apareceram, Andrea disse que sim e salientou que aproveitadores utilizaram as redes sociais para aproveitarem-se do seu desespero.

“Algumas propostas foram indecentes. Para trabalhar em casas noturnas. Mas não aceito este tipo de serviço. Outros querendo saber da minha vida. E até me paquerar. Bloqueei todos. Pessoas inescrupulosas que se aproveitam do desespero da gente”, ponderou. “Mas fico feliz por um ter uma imprensa séria como o SCA e empresários como o senhor Rodrigo em São Carlos. Nos dão alento em ter um Brasil mais humano”, disse.

CAMPANHA PARA REINICIO DE UM LAR

Após conseguir uma ocupação profissional após dois anos, a primeira iniciativa de Andrea foi alugar uma casa no Jardim Santa Felícia. “Ela é simples, mas é meu reino. Meu marido retornará para São Carlos e estarei com meu filho”, disse.

Entretanto, Andrea está sem móveis e até alimentos. O motivo é que ainda não tem recursos financeiros para a reconstrução de sua família.

“Quando eu e o meu marido ficamos desempregados, tivemos que vender todos os móveis para pagar nossas contas. Passamos a morar com nossos pais em cidades diferentes e viver de bicos”, explicou Andrea. “Agora a gente recomeça do zero”, emendou.

Diante disso, ela voltou a pedir uma ajuda: “se pessoas que tiver móveis e eletrodomésticos usados e que possam doar. Fogão, cama, guarda-roupas, sofá, geladeira, mesa, cadeira, alimento. Não tenho nada e por isso peço essa ajuda. Antecipadamente agradeço a todos e a Deus por mais esta oportunidade”, finalizou Andrea, em tom mais tranquilo. “A ficha está caindo aos poucos”, encerrou.

Quem puder fazer qualquer doação, pode entrar em contato pelo fone 16 99104-6567 (WhatsApp).

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias