Menu
sexta, 06 de agosto de 2021
Cidade

Anvisa autoriza equipamento inovador no combate ao câncer de pele

Tecnologia foi desenvolvida em empresa do Pólo Tecnológico de São Carlos

05 Dez 2011 - 11h25

Nesta sexta-feira (2/12) a imprensa brasileira destacou a história de um menino inglês que, após cinco anos na luta contra um tipo raro de câncer, apresentou uma significativa melhora em seu quadro clínico depois de se submeter a um tratamento a base de terapia fotodinâmica (TFD). Método que cada vez mais tem mostrado sua eficácia no combate a uma das doenças que mais matam no mundo, a TFD também está disponível no Brasil. Quarto produtor mundial em equipamentos médicos, o País acaba de obter da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o registro para comercializar um produto inovador no combate ao câncer de pele, por meio da TFD.

Denominado Lince, o aparelho foi desenvolvimento pela empresa MM Optics, com sede em São Carlos (230 Km de São Paulo), em parceria com o Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da USP. Inédito no mundo, o equipamento conjuga, em uma única plataforma, a capacidade de realizar de modo integrado o diagnóstico por fluorescência óptica e tratar em seguida a doença através da terapia fotodinâmica. "Estamos falando de um aparelho que torna possível a análise das lesões cancerosas e o tratamento da doença no mesmo dia. Esse procedimento funciona passando um medicamento fotossensível

que é absorvido pelas células tumorais, levando-as à morte quando iluminadas pela luz do equipamento", explica o físico Vanderlei Bagnato, vice-diretor do IFSC.

Tratamento via SUS - Como o desenvolvimento do Lince teve um aporte da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) da ordem de R$ 2,3 milhões, a MM Optics , como contrapartida, uniu-se ao IFSC e ao Hospital Amaral Carvalho (localizado em Jaú - 300 Km de São Paulo - e referência no tratamento de câncer) para a criação do programa "Terapia Fotodinâmica Brasil". Implementado no último mês de julho, o projeto envolve a doação de 100 Linces para centros médicos de todo o País, viabilizando o tratamento gratuito para cerca de 8.000 portadores de câncer de pele no período de um ano. Cidades de vários estados, como a própria Jaú, Niterói (RJ), Teresina (PI), Campinas (SP), Rondonópolis (MT), Salvador (BA), Presidente Prudente (SP),

Santa Bárbara D'Oeste (SP) e São Carlos já estão utilizando o aparelho através do programa, tanto em unidades de saúde privadas como também nas públicas via Sistema Único de Saúde (SUS).

"Durante a fase de testes, 150 pacientes foram tratados e o índice de cura superou 90%. Com a criação do programa, a manutenção desses resultados irá legitimar a terapia. Com isso, e levando em conta as vantagens dessa técnica, estamos otimistas quanto à adoção do Lince pelo Governo Federal dentro do SUS", comemora Fernando Ribeiro, diretor de engenharia da MM Optics.

Flora Bernardi foi uma das primeiras pacientes a testar a tecnologia. Ela tem câncer de pele há dez anos e já realizou diversas cirurgias, enxertos e radioterapia. "A radioterapia é muito mais dolorida. A terapia foto dinâmica é uma coisa mais suportável e o resultado aparece mais rapidamente", conta aliviada a aposentada de São Carlos.

A um custo médio de R$ 13 mil, o Lince é a grande aposta dos executivos da empresa para 2012. Segundo Ribeiro, a expectativa é comercializar em média 20 equipamentos por mês. "Poucos dias depois da divulgação do registro da Anvisa no Diário Oficial, já comercializamos um aparelho e temos vários em negociação. Acreditamos que o Lince terá grande aceitação nos mercados nacional e internacional", prevê o engenheiro da empresa.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias