Menu
sábado, 06 de março de 2021
Cidade

Antiga UPA na avenida São Carlos serve como abrigo para suspeitos e viciados em drogas

16 Set 2016 - 08h51Por Pedro Maciel
Foto: Pedro Maciel - Foto: Pedro Maciel -

Lixo, cacos de vidros, preservativos, armários, paredes destruídas, lâmpadas quebradas e muita sujeira. Isto é o que se pode verificar no antigo prédio da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), onde também abrigou o Pronto Socorro Municipal (PSM) na avenida São Carlos, no centro de São Carlos.

O São Carlos Agora voltou ao prédio após nova solicitação de comerciantes e moradores da região que se sentem ameaçados e intimidados principalmente no período noturno por quando moradores de rua, viciados de drogas e pessoas suspeitas procuram abrigo no prédio que segue abandonado e sem segurança. Às vezes ocorrem brigas entre os frequentadores.

DEPÓSITO DE LIXO

Com uma frágil proteção confeccionada com tapume de madeira e telhas de amianto, o prédio também se transforma em depósito de lixo. No ano passado o SCA esteve no prédio e chegou a realizar filmagem sobre os danos que se constatava e a prefeitura passou a enviar Guardas Civis Municipais para fiscalizar o local e diziam que vários estudos estariam sendo realizados para que o prédio que pertence a Prefeitura Municipal de São Carlos fosse utilizado para departamentos ligados a área de saúde.

Entretanto, após um ano, o local continua sendo destruído e nem mesmo a segurança do local foi mantida. A prova foi que integrantes da reportagem não teve nenhum problema em entrar para registrar o descaso, uma vez que suspeitos arrombaram o tapume e desta feita não só usaram drogas e fizeram sexo, como atacaram o prédio de uma empresa ao lado e tentaram arrancar a fiação para vender o cobre.

INTERIOR DO PRÉDIO

No interior do prédio que abrigava salas de injeções, suturas, consultas, pequenas cirurgias, sorologia, gesso, internações e de acompanhantes de pacientes e crianças que necessitavam ficar internadas por algumas horas foram encontradas somente destruição e muita sujeira que favorece doenças, inclusive a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que transmite a dengue, zika vírus e a febre chikungunya. Na sala de injeções que seria um local limpo e com muitos enfermeiros, hoje restou um balcão em que estavam as gavetas com injeções e apenas uma placa que informa ser crime desacatar funcionário público.

COMERCIANTES

Um comerciante que teve seu prédio atingido por pessoas suspeitas que pernoitam no antigo prédio da UPA da avenida São Carlos diz que já cansou de esperar por providencias de autoridades municipais. "Eu já estive com o prefeito, com vereadores, secretários municipais e pessoas ligadas a prefeitura pedindo que ocupassem o antigo prédio da UPA que está jogado a marginalidade e nada foi feito neste cinco anos. "Realmente é uma vergonha para uma cidade como São Carlos abandonar um prédio público no centro e pagar exorbitantes alugueis para abrigar secretarias. Isto é um descaso com o nosso dinheiro e pior vem nos trazendo muita insegurança. A situação preocupa os moradores e comerciante de toda esta região porque garotas e rapazes trabalham nesta área e estão sujeito a violência. Quando estou deixando meu comércio percebo a movimentação de suspeitos caminhando pela avenida com destino ao prédio da UPA. Se a prefeitura que tem a obrigação de preservar o local não está nem aí para o que é nosso aonde vamos parar?", indaga outro comerciante revoltado.

Ele teve seu prédio furtado por marginais que teriam saído da UPA para promover furto de fiação para comprar crack. Fotografou os danos e acionou a Polícia Militar, bem como informou que irá registrar o crime na Polícia Civil e novamente vai pedir providencias.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias