Menu
terça, 20 de abril de 2021
Operação Palmares

Alunos e professores da USP de São Carlos participam do “Projeto Rondon” em Alagoas

13 Jul 2018 - 08h21Por Redação
Alunos e professores da USP de São Carlos participam do “Projeto Rondon” em Alagoas - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

Entre os dias 13 e 29 de julho, o estado de Alagoas receberá pela terceira vez o Projeto Rondon, que nesta edição estará subordinado ao título “Operação Palmares”, e que tem como foco desenvolver ações que beneficiem as comunidades, principalmente as relacionadas com a melhoria do bem estar social e a capacitação da gestão pública.

Com a participação de dezenas de estudantes universitários e professores, o projeto busca, também, consolidar no universitário brasileiro o sentido de responsabilidade social e coletiva em prol da cidadania, do desenvolvimento e da defesa dos interesses nacionais, contribuindo na sua formação acadêmica e proporcionando-lhe o conhecimento da realidade brasileira.

Nesta edição, o Projeto Rondon receberá mais de 250 rondonistas, dentre professores e alunos universitários, que atuarão em 12 municípios do estado, tendo como centro regional a cidade de Maceió, sendo que cada município receberá 20 voluntários de duas Instituições de Ensino Superior (IES) distribuídos da seguinte forma:

O IFSC/USP estará representado pelo Prof. Otavio H. Thiemann e pelas alunas Jéssica Cristina Ramos e Rassiê Tainy de Paula, juntamente com a Profa. Marcia Cristina Branciforti da EESC/USP e alunos da EESC, IQSC e ICMC e atuará no Município de Olivença, conjuntamente com a delegação da Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNICISAL).

Durante a operação, os rondonistas realizarão diversas atividades sobre os temas de comunicação, saúde, cultura, educação, meio ambiente, trabalho, tecnologia, produção, direitos humanos e justiça. Os estudantes trabalharão, prioritariamente, com agentes multiplicadores, tais como funcionários das prefeituras, professores, agentes de saúde e lideranças locais, o que permitirá maior retenção e disseminação dos conhecimentos a serem transmitidos por eles.

Os rondonistas conduzirão, dentre outras atividades, oficinas de orientação escolar e perigo das drogas para professores da rede pública, um fórum de discussão sobre violência familiar para conselheiros tutelares e capacitação de agentes multiplicadores da cultura e das tradições locais.

Participam da “Operação Palmares” as seguintes instituições de ensino superior: Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT) / Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE) / Centro Universitário do Espírito Santo (UNESC) / Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI) / Centro Universitário do Planalto de Araxá (UNIARAXÁ) / Centro Universitário da Cidade de União da Vitória (UNIUV) / Universidade do Sul de Santa Catarina (UNISUL) / Universidade Federal do Amazonas (UFAM) / Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) / Faculdade de Medicina de São José Do Rio Preto (FAMERP) / Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) / Universidade Federal de Sergipe (UFS) / Escola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho - Fundação João Pinheiro (EG-FJP) / Universidade Estadual de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) / Instituto de Física de São Carlos (IFSC/USP) / Universidade Tiradentes (UNIT) / Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) / Fundação Herminio Ometto (UNIARARAS) / Centro Universitário UNIVEL / Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP/USP) / Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP) / Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI) / Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Ituverava (FFCL).

O PROJETO RONDON

Em julho de 1967, foi realizada a Operação Piloto, ou Operação Zero, que contou com a participação de 30 alunos e 02 professores universitários da Universidade do Estado da Guanabara, hoje Universidade do Estado do Rio de Janeiro, da Universidade Federal Fluminense e da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Durante 28 dias, os Rondonistas realizaram trabalhos de levantamento, pesquisa e assistência médica no Território de Rondônia. No entanto, o Projeto Rondon teve suas atividades encerradas no ano de 1989, retornando somente em janeiro de 2005, na cidade de Tabatinga, no Amazonas.

O Projeto Rondon é uma ação governamental, coordenada pelo Ministério da Defesa que, em parceria com as Instituições de Ensino Superior, visa a somar esforços com as autoridades municipais e as lideranças comunitárias, a fim de contribuir com o desenvolvimento local sustentável e na construção e promoção da cidadania. (Rui Sintra - Assessoria de Comunicação - IFSC/USP)

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias