Menu
quinta, 16 de setembro de 2021
Cidade

Alunos da Fadisc expõem crise na tribuna livre da Câmara

02 Fev 2011 - 13h49

A Câmara Municipal recebeu na sessão desta terça-feira (1º.), representantes do Comitê de Mobilização da Fadisc (Faculdades Integradas de São Carlos), que solicitaram apoio para resolver o impasse que envolve aquela instituição privada de ensino superior. Os estudantes Ronaldo Gonçalves e Cassiano Tavares pronunciaram-se na tribuna livre, expondo os problemas enfrentados por professores, funcionários e alunos da Fadisc, informando que cerca de mil pessoas estão sendo prejudicadas e há perspectiva de greve dos docentes.

A tribuna livre é um expediente da sessão, previsto no regimento interno da Câmara, no qual representantes da população, mediante requerimento à Mesa, podem se pronunciar por dez minutos, entre o expediente falado e a ordem do dia.

Os alunos agradeceram o apoio recebido do vereador Júlio César, que apresentou uma moção de apelo ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) solicitando que autorize estudos para que a Fadisc seja estadualizada. A instituição que atualmente oferece oito cursos de Graduação (Administração de Empresas, Ciências Econômica, Direito, Engenharia Civil, Engenharia de Produção, Licenciatura em Computação, Licenciatura em Letras e Secretariado Executivo Bilíngüe), passa por uma crise administrativa, educacional e financeira.

“A estadualização da FADISC ampliaria a oferta do ensino público, gratuito e de qualidade no Estado de São Paulo, em especial com vistas a atender às demandas dos municípios circunvizinhos a São Carlos, por mão de obra qualificada”, afirma Julio César, que cita o disposto no artigo 253 da Constituição do Estado de São Paulo: “A organização do sistema de ensino superior do Estado será orientada para a ampliação do número de vagas oferecidas no ensino público diurno e noturno, respeitadas as condições para a manutenção da qualidade de ensino e do desenvolvimento da pesquisa”. 

PROTESTO – Júlio César foi também autor de moção, aprovada na sessão desta terça-feira, manifestando protesto em relação aos problemas técnicos apresentados pelo SiSU (Sistema de Seleção Unificada) utilizado nas universidades federais. “O sistema mostrou-se lento, ineficaz e inseguro, causando transtornos para todos que utilizaram o portal do MEC para inscreverem-se nas universidades federais do país”, afirma o vereador. Cópias da moção serão encaminhadas às lideranças partidárias na Câmara dos Deputados, Senado Federal e ao ministro da Educação, Fernando Hadad.

 

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias