Menu
segunda, 18 de janeiro de 2021
Cidade

Aluguel de caçamba de entulho deve subir até 300% a partir desta quarta-feira

Aumento se deve a interdição pela CETESB de área de descarte, que antes era gratuita.

23 Abr 2013 - 21h57
Caçambeiros afirmam que preço do aluguel da caçamba terá reajuste de mais de 120%. (Foto: Tiago da Mata / SCA) - Caçambeiros afirmam que preço do aluguel da caçamba terá reajuste de mais de 120%. (Foto: Tiago da Mata / SCA) -

Os empresários do ramo de caçambas de entulho se reuniram no final da tarde desta terça-feira (23) com o prefeito municipal de São Carlos, Paulo Altomani (PSDB), para discutir os novos rumos do descarte de resíduos de construção civil na cidade.

Na última sexta-feira (19) os caçambeiros foram informados pela Prefeitura que a entulheira do Aracy, onde eram despejadas as caçambas, havia sido fechada pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (CETESB). Sendo assim a única área licenciada para receber estes resíduos é uma área particular pertencente a empresa AMX Ambiental, que está cobrando pelo descarte.

Hoje os caçambeiros se reuniram com Altomani para tentar conseguir uma área com a Prefeitura ou uma nova forma de não pagar o preço pedido pela AMX que varia de R$ 20 a R$ 80 por metro cúbico, dependendo do material.

Porém, sem área licenciada, a Prefeitura ficou de mãos atadas e caçambeiros decidiram repassar o valor cobrado para a população. "A única área que tínhamos licenciada foi interditada pela CETESB. Hoje a única área licenciada é particular e os caçambeiros terão que negociar com a empresa", afirmou o prefeito Altomani.

Após a reunião o prefeito falou com a imprensa e repassou a situação atual da Prefeitura quanto ao assunto. "Nós estamos encontrando um termo de acordo com os caçambeiros, a nossa entulheira hoje está interditada pela CETESB e nós temos um prazo de 30 dias para licenciar uma nova área para descarte de resíduos de construção civil e outros materiais. Durante esse tempo nós vamos abrir uma licitação, vamos abrir uma carta convite para três empresas, para estarem recebendo esses resíduos, hoje temos apenas uma empresa licenciada que é a AMX. Após o licenciamento de novas áreas, deverá ter um acordo entre os caçambeiros e o dono das empresas que ganharem a licitação para colher os resíduos que estão sendo gerados na nossa cidade", explicou ele.

Foto: Tiago da Mata / SCAAltomani informou ainda que está estimulando os caçambeiros a criarem uma cooperativa de reciclagem de resíduos de construção civil, o que pode ajudar a diminuir o descarte. Além disso a Prefeitura está buscando licenciar uma área para o descarte dos resíduos produzidos pela própria Prefeitura.

"O entendimento final aqui é que a Prefeitura está estimulando os caçambeiros a criarem uma cooperativa, essa cooperativa vai se entender com a empresa que tem o terreno licenciado, que é a AMX e tem outras empresas em Rio Claro, Araraquara, eles vão ver o que é mais viável para eles. A Prefeitura vai tentar licenciar um novo terreno junto à CETESB para recolher os resíduos gerados pelas obras da própria Prefeitura, não só resíduos de construção como também de podas de árvores, então teremos um terreno para a Prefeitura poder depositar os seus resíduos", afirmou Altomani.

Caçambeiros

Sem terreno para descarte gratuito das caçambas, os caçambeiros serão obrigados a pagar à AMX para realizar os descartes, assim, os preços cobrados serão repassados para a população.

"Em função do valor que nós teremos que pagar para descarregar a caçamba, a partir de amanhã, dia 24, nós vamos repassar esse valor cobrado para o consumidor que vai pedir a caçamba. Então para o gerador de entulho nós vamos repassar esse valor que será cobrado para descarregar a caçamba", afirmou o empresário (caçambeiro) Eduardo Araújo.

Foto: Tiago da Mata / SCA.O valor das caçambas que hoje varia entre R$ 80 a R$ 100 terá um aumento que deve oscilar entre 120% a 300%, dependendo do material, afirmam os caçambeiros.

Eduardo afirmou ainda que o prazo dado pela Prefeitura para os caçambeiros descarregarem na AMX sem custo servirá somente para as caçambas já alugadas e que a partir de amanhã (24) os novos preços serão repassados aos clientes.

"É bom a gente deixar claro também que o prazo que o prefeito nos deu, de até o dia 5 de maio, para estar descartando os materiais sem custo são para as caçambas já alugadas. Ou seja, o aluguel de uma caçamba é de 7 dias, portanto alugando amanhã, contanto com um feriado na semana que vem, esse prazo já estará esgotado quando essa caçamba for recolhida. Temos que lembrar ainda que ficamos uma semana sem recolher as caçambas pois não tinhamos local para descarte, então estamos com os trabalhos atrasados e bem prejudicados", afirmou.

Preços cobrados pela AMX

- Resíduo tipo A (entulho, alvenaria, areia, cerâmica): R$ 20,00 por metro cúbico.
- Resíduo tipo B (madeira, papel, ferro, vidro, metal): R$ 20,00 por metro cúbico.
- Resíduo tipo C (gesso, telha fibracimento/amianto): R$ 100,00 por metro cúbico.
- Material volumoso (placas de concreto de grande porte): R$ 30,00 por metro cúbico.
- Massa verde (poda de árvores, galhos, grama): R$ 80,00 por metro cúbico.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias