Menu
quarta, 03 de março de 2021
Brasil

PFL Paulista estima economia de 0,43% no consumo de energia no horário de verão 2016/2017

06 Out 2016 - 11h06Por Redação
Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas - Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas -

Em 43º sua edição, o horário de verão 2016/2017 deve proporcionar uma redução de 0,43% no consumo de energia nos 234 municípios que compõem a área de concessão da CPFL Paulista, distribuidora do Grupo CPFL Energia. Em volume, a economia prevista é de 50.554 MWh, suficiente para atender a demanda de uma cidade do porte de Campinas por seis dias. O horário de verão começa a zero hora de 16 de outubro de 2016.

Com a entrada em vigência do horário de verão, os relógios devem ser adiantados em uma hora em dez estados nas regiões Sul, Sudeste, Centro-Oeste e no Distrito Federal. O horário de verão terá duração de 126 dias, com o término à zero hora do dia 19 de fevereiro de 2017.

O principal objetivo da medida é melhorar o aproveitamento da luz natural. Com os dias mais longos, é possível reduzir o consumo de energia elétrica e diminuir a demanda no horário de pico do consumo, das 18 às 21 horas, reduzindo os custos da operação do sistema elétrico para todos os consumidores (menos térmicas são ligadas) e economia na conta de luz.

Geralmente, as pessoas chegam em casa a partir das 18h, início da noite, após o expediente do trabalho. Logo, uma das primeiras ações é acender a luz de suas residências. Na mesma hora, entram em operação a iluminação pública e os luminosos comerciais, por exemplo. Esse aumento de carga coincide com as atividades da indústria, gerando pico de consumo.

Ao se deslocar o horário oficial em uma hora, dilui-se por um período maior o momento de entrada em funcionamento desses equipamentos. No período do horário de verão, as cargas das residências e de iluminação pública passam a subir após as 19h, quando o consumo industrial começa a cair. Dessa forma, o ganho, além da economia, está em afastar os riscos de sobrecarga no momento que o sistema atinge o seu pico de carga coincidente.

No caso da CPFL Paulista, a previsão é de que haja uma redução de 4,4% na demanda de energia durante o horário de pico. A economia de 50.554 MWh também suficiente para atender uma cidade do porte de Piracicaba por nove dias. Veja outros exemplos abaixo:

Cidade               dias

Ribeirão Preto    11

Americana                   15

S.J Rio Preto      18

Bauru                  21

São Carlos                  22

Franca                26

Araraquara                  27

Botucatu             31

Araçatuba          41

Itatiba                  50

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias