Menu
quarta, 16 de junho de 2021
Brasil

Estado de SP tem queda em todos os índices criminais em abril e no quadrimestre e recorde de prisões

28 Mai 2015 - 10h21Por Secretaria de Segurança Publica

O Estado de São Paulo apresentou queda em todos os principais indicadores de criminalidade, entre eles os roubos e furtos em geral e de veículos, durante o primeiro quadrimestre do ano e no mês. Os quatro índices juntos tiveram redução de 9,03% nos quatro primeiros meses do ano. Os latrocínios e os homicídios dolosos também diminuíram, com 15% e 9,11% casos a menos no período, respectivamente. Nos últimos 12 meses, a taxa de mortes intencionais caiu para 9,65 ocorrências a cada 100 mil habitantes – até hoje, o patamar mais baixo atingido pelo Estado.

O secretário da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, concedeu entrevista coletiva, nesta segunda-feira (25), para comentar sobre os dados das estatísticas de criminalidade de abril e do quadrimestre.

Com relação aos crimes contra o patrimônio, isoladamente, os roubos de veículo caíram 23,98% em quatro meses. O indicador contabilizou 27.450 casos contra 36.107 no mesmo período de 2014. É o menor número para o primeiro quadrimestre desde 2011, quando houve 24.745. Em abril, as ocorrências dessa natureza caíram 26,14%, quando foram registrados 6.623 casos. O indicador está em queda há 11 meses, no Estado.

Os roubos em geral já acumulam queda de 3,52% em 2015, considerando os quatro primeiros meses do ano. O número de registros caiu de 106.813 para 103.048, com 3.765 casos a menos no período. Após alta em março, os roubos confirmaram a tendência de queda e voltaram a cair em abril: a diminuição foi de 7,99%, sendo que o número de boletins de ocorrência passou de 27.711 para 25.497 na comparação com o mesmo mês de 2014.

O recuo também aconteceu com os furtos em geral, que no quadrimestre tiveram 9,32% registros a menos que no ano passado. O total de casos caiu de 179.369 para 162.644, chegando ao menor número para os quatro meses desde 2002, quando houve 153.549 furtos.

Apenas em abril, a diminuição foi de 8,7%. As ocorrências passaram de 46.018 para 42.014 no mês passado, o total mais baixo para a série histórica de abril desde 2010.

Os furtos de veículo caíram 8,95% entre janeiro e o mês passado, chegando a 38.444 registros. No mesmo período de 2014, o número de casos foi de 42.223. Considerando apenas abril, houve recuo de 14,04% nas ocorrências, que passaram de 10.932 para 9.397 – o índice mais baixo para o mês desde 2012, quando houve 9.308 casos.

Sobre roubos e furtos de celulares, o secretário destaca que a SSP  irá combater a venda de aparelhos desbloqueadores de celular e peças de celular, da mesma forma que foi feito no ano passado em relação à Lei dos Desmanches. 

No quadrimestre, os roubos a banco tiveram alta de 10,61%, com aumento de sete casos em relação ao mesmo período de 2014, quando houve 66 registros. Os roubos a carga apresentaram alta de 8,4% em abril, variação que representa uma inversão de tendência com relação a março, quando o indicador teve amento de 32,38%.  De março para abril, houve queda de 13,42%.

PROTEÇÃO À VIDA

A taxa de homicídios dos últimos 12 meses – de maio de 2014 a abril de 2015 –, ficou novamente abaixo do limite considerado “endêmico” pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que é de 10 mortes a cada 100 mil habitantes. O índice foi de 9,65 casos a cada grupo de 100 mil residentes em São Paulo, o mais baixo desde o início da série histórica em 2001. O Estado tem a menor taxa de mortes intencionais do país, segundo o 8º Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Alexandre de Moraes ressaltou que com essa queda houve novamente um recorde em relação ao índice de homicídios. “Desde que a taxa começou a ser medida, em 2001, é o menor patamar do Estado”, falou. 

Os homicídios dolosos caíram 9,11% no primeiro quadrimestre deste ano, chegando a 1.376 registros, o número representa o segundo menor índice de toda a série histórica, ficando atrás apenas de 2011, quando foram registradas 1.364 mortes intencionais. De janeiro a abril de 2014, houve 138 casos a mais, ou seja, 1.514.

Apenas no mês de abril, houve redução de 10,16%, com as ocorrências passando de 364 para 327, o segundo menor número para o mês desde 2008.  O total de vítimas de mortes intencionais também caiu no mês passado, passando de 387 para 359 – queda de 7,2%.

Os latrocínios caíram em todos os meses deste ano e o primeiro quadrimestre já acumula redução de 15% nos registros. Nesse período, houve 119 casos, 21 a menos que os quatro meses iniciais de 2014, quando houve 140. Em abril, a diminuição foi de 8,11% e as ocorrências baixaram de 37 para 34, sendo três a menos. Nos dois comparativos, o total é o menor desde 2012.

“Se nós pegarmos todos os meses de janeiro a abril, em todos houve queda de latrocínios. A nossa meta é diminuir cada vez mais”, disse Moraes.

Com recuo de 12,01%, os estupros também estão em queda no quadrimestre. O total de ocorrências caiu de 3.598 para 3.166, ou seja, 432 casos a menos. Mensalmente, houve a 23ª queda desse crime nos últimos 24 meses. O total passou de 909 para 742 em abril, num recuo de 18,37%.

Nas duas comparações, o índice atual é menor desde 2009, quando entrou em vigor a nova lei de estupro (12.195/2009), que incluiu nessa natureza outras classificações de crimes, como o atentado violento ao pudor.

As extorsões mediante sequestro apresentaram recuo de 41,18% de janeiro a abril, passando de 17 para 10 registros, o menor índice registrado no período desde 2001, quando começou a série histórica. No mês passado, houve queda de 50% – de quatro para duas ocorrências.

PRODUTIVIDADE POLICIAL – RECORDE DE PRISÕES

O trabalho das polícias paulistas alcançou em quatro meses mais um recorde no número de prisões no primeiro quadrimestre desde o início da série histórica, em 2001. A quantidade aumentou 6,84% e o número de ocorrências com detenções passou de 54.032 para 57.728. Em abril, houve alta de 9,19%, com 14.714 registros, também um recorde.

Os flagrantes de tráfico de entorpecentes também aumentaram entre janeiro a abril. O total passou de 12.971 para 14.673 nesse período – alta de 13,12%, com 1.702 casos a mais.  Apenas em abril, houve aumento de 20,19%, com os casos aumentando de 3.155 para 3.792.

Em abril, foram, ainda, apreendidas 1.560 armas de fogo – 42 a mais que o mesmo mês do ano passado, quando 1.518 armas foram retiradas das ruas. O aumento é de 2,77%. Os dados constam das estatísticas da criminalidade divulgadas mensalmente pela Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP) da Secretaria da Segurança Pública.

Comments system Cackle

Leia Também

Últimas Notícias