Menu
segunda, 25 de outubro de 2021
Dicas

5 dicas para encontrar investidores durante a pandemia

05 Out 2021 - 15h16
5 dicas para encontrar investidores durante a pandemia -

Em um momento de crise como a pandemia de COVID-19, algumas empresas podem se deparar com a necessidade de captar recursos ou até procurar crescer a partir da entrada em um novo segmento. Isso acaba movimentando ainda mais o mercado de compra e venda de empresas, especialmente em um ambiente macroeconômico mais instável, que faz com que ativos distressed estejam em alta.

O mercado de distressed acaba sendo atrativo para investidores que querem adquirir ativos problemáticos a um preço menor em um momento de incertezas. O seu trabalho é, posteriormente, recuperar a empresa adquirida renegociando dívidas. Essa é uma opção de venda caso o empreendedor esteja passando por dificuldades em seu caixa e não queria deixar com que a crise em sua companhia se torne em uma bola de neve.

Outra oportunidade na pandemia também é procurar crescer uma empresa que está iniciando e possui uma solução inovadora para o momento atual, em que há maior busca por tecnologia e digitalização dos negócios. Nesse caso, as startups estão em alta, e investidores podem estar buscando aplicar recursos para aproveitar a aceleração do mercado.

Seja qual for a situação, é preciso saber quais são as opções de venda e qual o melhor tipo de investidor para o perfil de cada negócio. Abaixo damos algumas dicas para que você saiba qual escolher a alternativa ideal na hora encontrar investidores na pandemia:

  1. Avaliar o tipo de investidor

Ao colocar uma empresa à venda é importante saber qual é o tipo de investidor que você deve buscar de acordo com o perfil e objetivo do seu negócio. Normalmente em uma situação de crise há investidores que estão buscando oportunidades no mercado. Ainda assim, eles podem ter objetivos diferentes, sendo um investidor que quer comprar uma organização concorrente, que está interessado em entrar em um novo segmento, ou ainda um investidor estrangeiro que quer iniciar um negócio no Brasil. Normalmente, esses investidores buscam uma participação majoritária em uma empresa, o que pode significar um bom aporte para o negócio que está à venda.

  1. Oportunidade via fundos de investimento

A venda para fundos de investimento pode ser também um bom negócio para quem está buscando arrecadar capital sem querer vender totalmente a empresa. Os fundos normalmente compram apenas uma parte da companhia, o suficiente para dar um respiro em termos de recursos. Isso pode ser positivo também para fazer uma transação de venda ainda melhor com a empresa mais valorizada no futuro. Ou seja, a arrecadação de capital ajuda a reerguer o negócio e a prepará-lo para uma alienação posterior dentro de uma perspectiva maior de crescimento e de rentabilidade.

Os fundos de investimento também se interessam por empresas que estão em crescimento, como startups. Assim, eles ajudam no aporte de capital que faz com que o negócio amadureça e expanda e, diante de uma perspectiva mais estratégica, o fundo planeja a sua retirada com a venda da participação através de uma boa oportunidade, o que é chamado de desinvestimento.

  1. Busca por um sócio

Um sócio-investidor também pode ser uma boa alternativa caso a estratégia seja dividir algumas tarefas e até buscar parceria com alguém que possui mais facilidade de construir relacionamentos com investidores ou possui um perfil voltado à administração de negócios. Em um momento de crise, é importante ter essa complementaridade, além da financeira, encontrando um sócio que ajude a construir um conjunto de habilidades para cobrir todas as áreas da empresa, ajudando a manter a sua sustentabilidade no longo prazo.

  1. Ter a documentação em dia

Para fazer o melhor negócio e encontrar um bom investidor, o empreendedor deve saber que a parte da negociação é super importante para que as sinergias adequadas sejam concluídas. Para isso, mesmo que a companhia esteja passando por um momento de crise ou dificuldade financeira, é importante mostrar que os dados financeiros estão sendo controlados.

Qualquer transação de compra e venda de empresas requer uma negociação que parte do valuation do negócio, ou seja, quanto a companhia vale, e por isso ter a documentação em mãos ajuda muito. Lembrando que os potenciais investidores recebem, normalmente, dois tipos de documentação: a não confidencial, que faz uma breve apresentação sobre a empresa sem detalhar dados que possam ser usados por concorrentes; e a confidencial, mostrada apenas na hora da negociação através da assinatura de um contrato de confidencialidade.

  1. Fazer road shows

A apresentação da empresa por meio de road shows tem o objetivo de atingir um número de potenciais investidores muito maior, tanto no Brasil quanto estrangeiros, e que podem fazer a melhor oferta para que o empreendedor decida qual será a transação "vencedora" de acordo com seu objetivo. Assim, todos os perfis de investidores são mapeados com o objetivo de atrair o maior número possível de compradores interessados na companhia.

Tudo isso deve ser feito através de um acompanhamento profissional de uma assessoria especializada em compra e venda de empresas, como a Capital Invest, que oferece consultoria em M&A, auxiliando empreendedores a prepararem suas empresas para a venda com maior valor e menor risco.

Fonte: Capital Invest - assessoria especializada em fusões e aquisições.

Leia Também

Últimas Notícias