Menu
sexta, 26 de abril de 2019
Ataque à dengue

Prefeitura apresenta plano de ações contra o Aedes aegypti

23 Jan 2019 - 07h06Por Redação
Prefeitura apresenta plano de ações contra o Aedes aegypti - Crédito: Divulgação Crédito: Divulgação

A Prefeitura de São Carlos, por meio da Secretaria de Saúde, apresentou na manhã desta terça-feira, 22, na Câmara Municipal, ao presidente do Legislativo, Lucão Fernandes e aos vereadores Sérgio Rocha, Robertinho Mori, Luis Enrique (Kiki), Azuaite Martins de França, Elton Carvalho, Edson Ferreira, Roselei Françoso, Cidinha do Oncológico, Moisés Lazarine e Leandro Guerreiro, o plano de ações contra o mosquito Aedes aegypti.

Os secretários Marcos Palermo (Saúde), Mariel Olmo (Serviços Públicos), Mateus de Aquino (Comunicação) e a instrutora e coordenadora da equipe municipal de Combate às Endemias, Denise Scatolini, falaram do trabalho realizado para reduzir o número de casos na cidade e a meta para esse ano. Em 2018 foram registradas 755 notificações da Dengue, sendo que 26 casos foram confirmados, sendo 16 autóctones e 10 importados. De Chikungunya foram 55 notificações, com 3 casos confirmados importados. Para Zika foram registradas 6 notificações, mas nenhum caso positivo e para Febre Amarela 10 notificações, porém ninguém contraiu a doença.

“Agora em 2019 já registramos 2 casos importados de Dengue. Nos meses mais quentes, de condição favorável à reprodução do inseto, devemos intensificar as ações de combate. Esse ano temos uma preocupação há mais já que a cidade de Araraquara encerrou o ano de 2018 com 1.131 casos confirmados. Em 2019, até 17 de janeiro, foram confirmados outros 24 casos de Dengue na cidade vizinha”, alertou Denise Scatolini.

A proximidade geográfica e o intenso trânsito entre os dois municípios preocupam, além do sorotipo 2 já registrado em Araraquara. “São Carlos não teve registro do sorotipo 2, a população está suscetível. O risco do vírus tipo 2 se instalar na cidade é alto e isso pode significar um grande número de casos graves da doença”, finaliza a instrutora e coordenadora da equipe municipal de Combate às Endemias.

O presidente da Câmara Municipal ficou satisfeito em saber que o combate ao mosquito vem sendo alvo de ações de rotina em São Carlos e elogiou o trabalho desenvolvido, que inclui vistoria em imóveis, bloqueio-controle de criadouros em situações de casos suspeitos de Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, bloqueio de nebulização em casos confirmados, vistoria e pesquisa larvária em imóveis especiais e pontos estratégicos.

Lucão alertou que as ações de combate não devem estar somente a cargo do poder público, mas também da população, ressaltando que “cada cidadão também pode ser um agente de controle de endemias”. Ele destacou a importância da conscientização da população adotar em suas residências medidas de combate a possíveis criadouros do mosquito transmissor da doença.

Após a reunião, o secretário de Saúde, Marcos Palermo, destacou o respaldo da Câmara e ressaltou a intenção de melhorar o trabalho de combate à dengue. Embora, conforme frisou, São Carlos seja referência no trabalho preventivo, há um déficit de pessoal no serviço, o que demanda a abertura de concurso público para a continuidade das ações. “A contratação de agentes públicos para trabalho de prevenção demanda investimento pequeno, se comparado ao gasto decorrente de uma epidemia da doença”.

Durante a reunião na Câmara Municipal, também foram abordadas questões como a limpeza urbana, o engajamento da população nas ações antidengue e campanha publicitária para alertar as pessoas para o risco do aumento das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti.

O secretário de Serviços Públicos, Mariel Olmo, falou sobre os mutirões realizados em parceria com a pasta da saúde. “Realizamos a retirada de inservíveis, de possíveis criadouros, de muito lixo, porém as áreas de maior risco de criadouros estão sendo monitoradas e as informações avaliadas para a realização de novos mutirões de limpeza”.

Mateus de Aquino, da Comunicação, anunciou que está finalizando uma campanha publicitária de combate ao Aedes aegypti. Os materiais serão veiculados em emissoras de TVs, rádios, internet e redes sociais. “É uma campanha de conscientização de cuidado com a cidade. É preciso sensibilizar a comunidade”, afirmou o secretário de Comunicação.

O município também está realizando o ADL (Avaliação de Densidade Larvária), mais conhecido como LIRAa, levantamento determinado pelo Ministério da Saúde com avaliações em janeiro, abril, julho e outubro. O objetivo do trabalho é avaliar os níveis de infestação do mosquito na cidade.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias