Menu
segunda, 22 de outubro de 2018
Polícia

Treinamento mobiliza mais de 90 policiais da Força Tática

20 Mai 2008 - 15h40Por Redação São Carlos Agora
Um treinamento ocorrido na manhã de hoje (20) envolveu mais de 90 policiais da Força Tática de três batalhões que fazem parte do CPI-3 (Comando de Policiamento do Interior) de Ribeirão Preto, o qual 38º Batalhão de São Carlos faz parte. Os policiais pertencentes ao grupo especializado de Choque, simularam uma invasão a uma unidade do sistema penitenciário, que estava tomada por uma rebelião de presos. Apesar de ser um simulado, o tenente Hamilton, comandante da Força Tática de São Carlos, disse que a realidade é praticamente esta. As equipes que adentraram ao prédio, que serviu de cadeia, enfrentaram grandes dificuldades. Nossa equipe de reportagem esteve no local e mostra com exclusividade todo o treinamento.
Eram por volta das 10hs quando as 18 viaturas de Força Tática e os mais de 90 policiais do 13º Batalhão (Araraquara), 33º Batalhão (Barretos) e 38º Batalhão (São Carlos) chegaram ao local, um prédio abandonado na rodovia SP-215 (Domingos Inocentini,) próxima a fábrica de motores da Volkswagen. O prédio já estava preparado com barricadas, pneus em chamas, alvos e bombas escondidas, tudo para simular um ambiente real, da forma que realmente ocorre durante uma rebelião de verdade. Os “falsos” presos eram policiais de São Carlos, que estavam armados com vários legumes, que faziam o papel de pedras, paus e outros artefatos que os presos utilizaram para atingir os policiais. Logo na entrada, a equipe que invadiu o prédio se deparou com uma barricada, o que dificultou a passagem pelo estreito corredor. Enquanto venciam esta barreira, os policiais eram atingidos pelos legumes atirados pelos policiais que faziam o papel de detentos. Para controlar a situação, o choque se utilizou de escudos, bombas de gás lacrimogêneo, som e luz e de efeito moral. Em poucos minutos a rebelião estava controlada e os “presos” contidos na área de contenção, onde foram obrigados a ajoelhar e tirar a camisa, exatamente como ocorre em uma situação real. Após a situação estar contornada, o Corpo de Bombeiros entrou em ação e debelou as chamas que ainda tomavam conta dos pneus e colchões que foram utilizados pelos “detentos” para obstruir a passagem dos policiais.
O tenente Hamilton, comandante da Força Tática de São Carlos, disse a nossa equipe que este tipo de treinamento é importantíssimo, pois capacita e treina o policial para lidar com situações de extrema tensão, como esta. Segundo ele, os policiais de São Carlos estão amplamente capacitados para enfrentar situações deste porte. O tenente declarou ainda, que esse tipo de simulação é freqüente e ocorre em todas as cidades que compõe o CPI-3, porém as equipes de São Carlos, Barretos e Araraquara interferem principalmente em rebeliões de penitenciarias de Araraquara e cadeias da região. Após a simulação, as equipes foram até a região central, mais precisamente defronte a Catedral, onde a população pode perceber que diante de uma situação de extrema gravidade a Polícia Militar da região está preparada para controlar a situação.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias