Menu
segunda, 22 de outubro de 2018
Polícia

Pai do pequenino Lucas oferece R$ 30 mil para quem der informações sobre o filho

05 Jul 2008 - 11h51Por Redação São Carlos Agora
A família e toda Polícia Civil de São Carlos ainda procuram informações que possam levar até o menino Lucas, de 3 anos e 6 meses, desaparecido desde a manhã do dia 21 de junho no Jardim Beatriz, zona sul de São Carlos.O pai do garoto, o engenheiro Antonio Carlos Ratto, 57, disse que está disposto a pagar uma recompensa a quem der informações sobre o paradeiro do seu filho. “Nós não já fizemos de tudo para encontrar o Lucas. Já andamos por vários locais de São Carlos e região a procura de meu filho, mas até agora não conseguimos informações ou recebemos qualquer telefonema que possa nos confortar”, disse Ratto.
Quem tiver informações pode ligar para os telefones (16) 3374-1596 (DIG); 197 (Polícia Civil); 190 (Polícia Militar); 181 (Disque Denúncia).O engenheiro também deu uma declaração onde agradece a todos pela ajuda. “O que eu mais quero é encontrar o meu filho. Eu quero agradecer as pessoas que vem fazendo orações pelo meu menino. Eu fico ao lado do telefone esperando que ele toque e venha a notícia que ele está vivo. Quem fez isso não sabe o que minha família está sofrendo. A Petrobrás pra quem eu presto serviços há mais de 30 anos, vem me auxiliando me deixando nesta hora tão difícil em São Carlos. A empresa entende minha situação. Eu não consigo pensar no trabalho. Este menino é minha vida. Quem fez isto não sabe o mal que fez. Ele é uma criança, mal sabe falar. Eu oro todas as noites e peço para que o meu filho esteja bem. Eu tento, mas não consigo entender o porquê de tudo isto”, diz.
Angústia e desespero-  Desde da manhã do dia 21(sábado), o desaparecimento do menino Lucas Pereira de 3 anos e seis meses, levou ao desespero a família do engenheiro da Petrobrás Antonio Carlos Ratto, 57, que foi afastado da empresa para tentar resolver o problema com o filho.
Lucas reside com os pais em um condomínio fechado no bairro Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro e teria vindo no mês de maio com a mãe, a desenhista de modas Marcelene Érika Pereira, 33 e, outros dois irmãos, à nossa cidade onde residem os familiares.
A Delegacia de Investigações Gerais (DIG) continua investigando o misterioso caso e realiza levantamentos, bem como procura alguma pista que possa levar ao encontro de Lucas, que pode ter sido levado por alguma pessoa.
Marcelene, diz que o filho estaria na casa de sua mãe Otacília Leonardo Pereira, localizada na rua Coronel Leopoldo Prado, 2200, no Jardim Beatriz e uma cunhada ajudava olhar a criança, quando Lucas desapareceu.
Antonio Carlos que deixou seu trabalho na bacia de Campos, nos poços de petróleo em alto mar na plataforma P-16 da Petrobrás, insiste na procura do filho: “Eu nunca vou deixar de procurar meu filho. Ele é minha vida”.
Recompensa- Ainda muito abalado, o engenheiro Antonio Carlos Ratto, 57, diz que devido à falta de informação, ele oferece uma recompensa de R$ 30 mil, para quem ligar à polícia e der informações seguras de onde seu filho possa ser localizado.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias