Menu
quinta, 13 de dezembro de 2018
Polícia

Número de furto de veículos cresce 55% em São Carlos em 2008

31 Jan 2009 - 13h47Por Redação São Carlos Agora
0 - 0 -
No ano passado ladrões de carros furtaram quase um veículo por dia na cidade de São Carlos. Os números revelados ontem pela Secretaria de Segurança Pública (SSP) mostram que esse tipo de crime teve um aumento de 55% no ano passado, onde ocorreram 335 casos contra 217 em 2007. O roubo de carros cresceu 7,1% e foram registradas 30 ocorrências em 2008 e 28 no ano anterior.

Outro tipo de crime que preocupa os moradores de São Carlos é o roubo, principalmente os cometidos contra residências. Em 2008 foram registrados 409 casos contra 340 em 2007, resultando em um aumento de 20%.

O número de assassinatos em São Carlos se manteve estável, com 15 casos registrados em 2008 e 2007.

Os furtos qualificados tiveram queda de 3,3%, quando foram registrados 2.897 casos, contra 2.993 em 2007.



Estado fecha 2008 com redução recorde de homicídios

O Estado de São Paulo encerrou o ano de 2008 com o menor índice de homicídios dolosos (intencionais) de sua história recente. Desde 1999, quando a criminalidade atingiu os maiores níveis no Estado e foram registrados 12.818 homicídios desta natureza, a taxa de homicídios dolosos por 100 mil habitantes não fechava o ano com um índice tão baixo: 10,6. Em comparação com aquele ano, a queda é de 70%. A informação é da Coordenadoria de Análise e Planejamento (CAP), da Secretaria da Segurança Pública, que divulgou, na manhã desta sexta-feira (30), a Estatística da Criminalidade do ano de 2008.

Os homicídios dolosos vêm caindo anualmente no Estado desde 99 e, neste ano, a queda foi de 10,04% em comparação com 2007. O índice já está dentro da casa dos 10 homicídios por 100 mil habitantes – nível de países desenvolvidos, considerado aceitável pela Organização Mundial de Saúde da ONU. Com o número, que representa menos da metade da média nacional, que é de 24,5, São Paulo ajuda a reduzir o índice de homicídios dolosos do país.

Durante apresentação das estatísticas criminais, realizada nesta sexta-feira, no auditório da SSP, o coronel Daniel Rodriguero, subcomandante da Polícia Militar, ressaltou que “as quedas dos índices fazem parte de um processo de longo prazo da segurança no Estado e da integração das polícias de São Paulo no combate à criminalidade”. “Os números mostram uma queda de centenas de homicídios dolosos de 2007 para 2008. Foram 451 pessoas a menos que morreram no estado”, explicou Paulo Bicudo, delegado geral adjunto.

Em 2008, o número de homicídios culposos (sem intenção) supera o de homicídios dolosos (intencionais), com 4.979 casos contra 4.426. Desde março de 2007, a Secretaria da Segurança Pública e as polícias realizam operações Direção Segura para reduzir o número de mortes por acidentes de trânsito.

Com a entrada em vigor da nova Lei de Embriaguez ao Volante, que habilitou a polícia a utilizar bafômetros na fiscalização dos motoristas, no segundo semestre de 2008, a PM intensificou a fiscalização, com operações mais freqüentes, e adquiriu 470 novos bafômetros, em um investimento de R$ 2,7 milhões por parte do Governo do Estado. Com isso, comparando com o ano de 2007, o número de homicídios culposos, cuja grande maioria decorre de acidentes de trânsito, apresentou queda de 3,63%, enquanto que o número de lesões corporais culposas, feridos no trânsito na maior parte dos casos, teve 6,06% de redução.

O roubo de veículos é outro que apresenta queda em relação a 2007: 13,41%. Se comparados à frota de veículos de cada um desses anos, os números também apontam diminuição. Se levado em conta o crescimento da frota de veículos do Estado, a redução do número de roubos e furtos de veículos é ainda maior: 62%. Enquanto a frota paulista aumentou em 6 milhões de veículos desde 1999, o número de unidades furtadas ou roubadas diminuiu. Em relação a 1999, os roubos de veículos tiveram queda de 60,25%, enquanto que furtos de veículos reduziram 43,32%.

Somados, os veículos roubados e furtados em 2008 totalizam 159.199. O trabalho policial, porém, conseguiu recuperar uma boa parte desses bens e devolvê-los aos seus proprietários: foram 62.096, que representam 39% do total.

A produtividade das polícias no ano passado pode ser constatada ainda pelas 102.333 prisões realizadas ou pelas mais de 75 toneladas de drogas e mais de 20 mil armas apreendidas, por exemplo. “A atividade de tráfico, por exemplo, é policial. O aumento no número de casos registrados, de 10.525 em 1999 para 24.963 em 2008, mostra a excelência no trabalho policial”, explicou o coronel Rodriguero.

Os furtos em geral apresentaram queda de 7,45% em relação a 2007. O número de extorsões mediante seqüestro também mantém a tendência de queda, que começou nesse caso a ser registrada em 2005. No último ano, foram 60 casos, contra 94 de 2007 – diminuição de 36,17%.

O número de latrocínios caiu em comparação ao ano de 1999 - de 670 casos para 267 em 2008 - e se mantém constante desde 2006, quando foram registradas 266 ocorrências dessa natureza. Segundo o capitão Marcio da Silva, assistente da CAP, “a Secretaria busca diminuir esse número ano a ano e os dados mostram que a queda é acentuada se comparada ao ano de 1999”. Esse tipo de crime acontece geralmente quando o ladrão percebe qualquer esboço de reação da vítima. “Por isso, não vale a pena o enfrentamento em um momento de roubo”, recomenda Paulo Bicudo.

Fonte: SSP/SP
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias