Sex, 24 de Novembro de 2017
Tamanho da Letra: mais menos
13/11/2017 - 16h22   |   Atualizado em 13/11/2017 - 16h23
Redação

Mulher relata momentos de pânico durante assalto em ônibus de sacoleiros de São Carlos

Pânico e atos de terrorismo durante aproximadamente 30 minutos. Este foi o drama vivido por 27 sacoleiros de São Carlos que foram vítimas de assalto e sequestro durante uma excursão a São Paulo na noite de sexta-feira, 10, quando uma dupla armada com revólveres realizaram todo tipo de humilhação nas pessoas que estavam no interior de um ônibus de turismo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O São Carlos Agora teve acesso a uma das vítimas que estava ainda em estado de choque e com detalhes relatou os momentos vividos do coletivo e que definiu com os piores momentos de sua vida. "Só sei chorar. Tenho medo de participar de uma excursão. Vivo a base de calmantes. Não consigo nem dormir", relatou.

A mulher disse inicialmente que o ônibus estava pela rodovia Washington Luís (SP-310) e logo após passar pelo pedágio de Itirapina a dupla, armada de revólveres anunciou o assalto.

Um dos criminosos dominou os motoristas e a guia enquanto que o comparsa ficou nos fundos do coletivo e rendeu os sacoleiros.

"Toda hora eles diziam que iam meter bala na cabeça", afirmou a vítima. "Diziam palavrões e fez duas moças levantarem as blusas. Quando exigiam dinheiro e alguém falava que não tinha, davam coronhadas na cabeça. Muita gente ficou machucada. A guia ficou com um corte na cabeça. Um dos motoristas foi agredido e jogado no chão. Levou vários pontapés".

A sacoleira contou ao SCA que os criminosos não queriam apenas assaltar. "Os dois promoviam o terror e causavam pânico", comentou.

MOTORISTA PERSPICAZ

O ônibus estava em movimento quando o motorista ligou o sinal de alerta. Um dos criminosos percebeu e obrigou ele a desligar. Todavia, quando podia, o profissional do volante fazia ziguezague na pista, quando um caminhoneiro notou o assalto no interior do ônibus e comunicou a Polícia Rodoviária.

Um carro com um terceiro ladrão acompanhava o coletivo e após 30 minutos, quando o assalto estava praticamente concluído, um dos criminosos disse que iriam descer para fugir. Todavia uma viatura se aproximou e impediu a fuga. Houve troca de tiros.

O criminoso com o carro fugiu. Mas um dos bandidos foi ferido e está internado na Santa Casa de Rio Claro. O comparsa que estava no ônibus fugiu. Relatos dão conta que os criminosos residem no Santa Angelina.

De acordo com a vítima todo o dinheiro foi recuperado e devolvido. "Mas estamos abalados psicologicamente. Não temos segurança nem para passear. Quem irá devolver nossa paz de espírito?", finalizou a abalada mulher.

comments powered by Disqus