Sex, 28 de Novembro de 2014

Polícia

Tamanho da Letra: mais menos
04/08/2012 - 12h36   |   Atualizado em 04/08/2012 - 19h23

Polícia Civil vai investigar caso de agressão envolvendo prefeito de Ibaté

No final da tarde e noite de sexta-feira (3), a Polícia Civil confeccionou dois Registros Digitais de Ocorrências (RDO) com acusações sobre uma agressão envolvendo um ex-funcionário da prefeitura municipal, um fiscal e o próprio prefeito de Ibaté José Luiz Parella, 62, que alega ter sido agredido pelo ex-funcionário do hospital municipal Hermínia Morganti, Francisco Caetano de Araújo, 55, o “Paraíba”, que por sua vez diz que no final da tarde teve sua casa invadida pelo prefeito da cidade e por um fiscal, os quais teriam lhe agredido com golpes de tijolos, tentando matá-lo. O prefeito alega que teria agido em legítima defesa e que também teria sido agredido com uma barra de ferro por “Paraíba”. Também envolvido na confusão, o fiscal Celso Roberto Pine, 29, o “Brinquinho”, afirma que também foi agredido e sofreu ferimentos nas pernas e nos braços.

Internação

Ao ser apresentado no Plantão da Polícia Civil de São Carlos, “Paraíba” prestou esclarecimentos e antes mesmo de deixar a delegacia sofreu um mal súbito possivelmente em decorrência dos espancamentos na cabeça e ao dar entrada no Serviço Médico de Urgência (SMU) da Santa Casa de Misericórdia de São Carlos, foi internado em observações, devendo passar por vários exames. O prefeito José Luiz Parella e o fiscal Celso Roberto Pine teriam confeccionado RDO pela Delegacia de Polícia Civil de Ibaté e posteriormente também teriam passado por atendimento médico ainda no município.

Boletim de ocorrência

O delegado Reinaldo Lopes Machado que respondia pelo Plantão da Polícia Civil de São Carlos, falando à reportagem disse que não teve acesso ao depoimento do prefeito de Ibaté. Ele também disse que o ex-funcionário da prefeitura foi apresentado pelo advogado Arlindo Basílio e “Paraíba” apresentava vários ferimentos, principalmente no rosto e cabeça. A autoridade policial determinou que peritos do Instituto de Criminalística (IC) realizassem todo levantamento sobre a suposta invasão na moradia de “Paraíba” e nos supostos objetos que teriam sido usados para a suposta pancadaria, que segundo o delegado, a primeira vista teria conotação política, pois o prefeito alega que teria sido ofendido por “Paraíba”, com xingamentos. Já o ex-funcionário alega que teve sua casa invadida e foi espancado pelo prefeito e pelo fiscal.

Tijolada

Segundo apurado, na noite de sexta-feira, por volta das 19h, acompanhado de seu advogado, o criminalista Arlindo Basílio, o ex-funcionário da prefeitura de Ibaté Francisco Caetano de Oliveira, 55, o “Paraíba”, informou em Registro Digital de Ocorrência (RDO) que por volta 17h, o prefeito municipal José Luiz Parella e o fiscal Celso Roberto Pine, 29, o “Brinquinho”, teriam batido no portão de sua residência localizada na rua Pará, 89, no Jardim Popular, em Ibaté e após ter a entrada negada teriam invadido a moradia de “Paraíba” sem permissão, quando no quintal teria o prefeito dito que ele não iria trabalhar para um certo candidato a prefeitura da cidade que seria contrário ao candidato que ele apóia.

Ainda segundo “Paraíba”, mesmo se sentindo ofendido, teria contestado as ordens do prefeito e passou a discutir com o mesmo, quando teria provocado a fúria de José Parella, que teria arremessado um tijolo em sua direção, alvejando-o fortemente na nuca. Ao cair atordoado pela tijolada recebida, “Paraíba” diz que também teria sido imobilizado por “Brinquinho”, o qual teria o segurado para que o mesmo fosse agredido por José Parella, pelas costas e com uma tijolada. Após as agressões, o prefeito e o fiscal teriam deixado aquela moradia e adentrado em uma caminhonete Saveiro que deixou o bairro.

Defesa

A assessoria de imprensa do Prefeito municipal de Ibaté José Luis Parella emitiu nota informando que houve uma briga e que ele apenas se defendeu das agressões que foram realizadas contra ele.

Também a Polícia Militar de Ibaté compareceu no Plantão da Polícia Civil registrando as alegações do ex-funcionário público, que hoje estaria trabalhando como serviços gerais e deverá colher as alegações do prefeito José Luiz Parella e do fiscal Celso Roberto Pine, 29, o “Brinquinho”. O caso deverá ser analisado pelo delegado Gilberto de Aquino, titular da Polícia Civil de Ibaté e pelo próprio Ministério Público que deverá analisar todas as informações com a Justiça Criminal.

Por Pedro Maciel - Noticentro

comments powered by Disqus