Menu
sábado, 21 de abril de 2018
Polícia

Greve da Polícia Civil é suspensa após proposta do TRT

14 Ago 2008 - 09h59Por Redação São Carlos Agora
A Polícia Civil suspendeu a paralisação iniciada nesta quarta-feira (13/08), segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Representantes da corporação aceitaram a proposta apresentada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 2ª Região. Na audiência de conciliação ficou acertado, no entanto, que a categoria permanecerá em estado de greve. Definiu-se também que o governo paulista não tomará atitudes de retaliação contra o movimento.
Na próxima quarta-feira, uma comissão composta por representantes de associações policiais, sindicatos e governo se reunirá no TRT para deliberar sobre a melhoria dos salários, tendo em conta a atual estrutura de cargos. O encontro será mediado por um representante da Assessoria Econômico-Social do TRT e terá a participação do Ministério Público do Trabalho.
O presidente do Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo, José Martins Leal, afirmou que a categoria manterá as mesmas reivindicações que vêm sendo apresentadas. "A proposta é a mesma. Nós precisamos de melhoria salarial urgentemente", afirmou. O sindicato não soube informar a adesão de policiais à greve.Crítica
Antes da decisão, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), criticou a greve da Polícia Civil em todo o Estado e desmentiu a informação do diretor sindical Álvaro Guerra de que há doze anos não são concedidos aumentos à categoria. "Entre 1998 e 2008 os gastos com pessoal duplicaram e o volume de pessoal aumentou entre 12 a 13%. Então teve aumento sim", afirmou o governador
A direção da Associação dos Delegados do Estado de São Paulo (Adesp) esperava a adesão de pelo menos 70% dos cerca de 3,2 mil delegados do Estado. "A adesão é parcial e pequena, sem prejuízo", avaliou, porém, o governador. Os policiais civis querem reestruturação da corporação, valorização das carreiras e reajuste salarial. Segundo eles, a defasagem chega a 200%.
O governador disse que nunca se recusou a dialogar com representantes da Polícia Civil. No entanto, Serra disse que gostaria de conceder aumento para a categoria, mas que a proposta implica na duplicação da folha de pagamento com a segurança pública, tornando a reivindicação inviável. "Passaríamos a gastar dos atuais R$ 7 bilhões para R$ 15 bilhões e não há dinheiro para isso", afirmou.
Leia os itens do acordo firmado no Termo de Audiência1.As categorias profissionais suspendem o movimento paredista hoje iniciado, permanecendo, todavia sob “Estado de Greve”;2.Até sexta-feira próxima, dia 15/08/2008, as partes envolvidas indicarão 02 membros de cada uma das categorias, 04 membros do Governo do Estado, formando uma comissão com o objetivo de deliberarem sobre assuntos de interesse das categorias;3.Até a próxima quarta-feira, dia 20/08/2008, cada categoria formalizará pauta de reivindicações, partindo das mais urgentes até aquelas que demandem maior tempo para apreciação;4.Na próxima quarta-feira, a comissão irá se reunir nesta sala do Tribunal, às 10h, e da qual participará como auxiliar na mediação o Economista desta Corte Dr. Pedro Jorge de Oliveira. Participará também dessa reunião a E. Procuradora do Trabalho Dra. Laura Martins Maia de Andrade;5.Nessa reunião será inicialmente objeto de discussão, uma proposta relativa à melhoria salarial, tendo em vista a estrutura dos cargos.6.O Governo do Estado de São Paulo não tomará nenhuma atitude de retaliação, relativa ao movimento eclodido na data de hoje.As partes aceitam as condições ora propostas.
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias