Menu
sábado, 18 de agosto de 2018
Polícia

Corpo de são-carlense morto na África do Sul aguarda liberação

13 Nov 2008 - 23h15Por Redação São Carlos Agora
0 - 0 -
Por Pedro Maciel

O corpo de um jovem são-carlense de 19 anos, ainda aguarda a liberação pelas autoridades deJoanesburgona África do Sul. Ele teria aceitado servir como “mula do tráfico internacional” em troca de dinheiro. Com cápsulas ingeridas e armazenadas no Brasil, o são-carlense teria deixado São Paulo em um vôo e  já naquele país, elas teriam estourado em seu intestino, o que teria provocado sua morte.

Joanesburgo

A família não atendeu a reportagem e mantém o silêncio, não falando sobre o assunto, mas informações dão conta de que o corpo do são-carlense ainda aguarda liberação emJoanesburgo, maior cidadeda África do Sul, devido a um exame toxicológico. Ele deverá assim que chegar na cidade ser sepultado no cemitério Nossa Senhora do Carmo. O rapaz foi a segunda vítima de São Carlos pelo tráfico internacional que contrata pessoas para o transporte da droga em troca de euros e dólares.

Amsterdã

No mês passado, uma jovem de 22 anos foi a primeira vítima. Ela teria aceitado em troca de euros e dólares, engolir cápsulas de cocaína e viajar para Amsterdã na Holanda, porém antes mesmo do embarque em São Paulo, as cápsulas estouraram em seu intestino e ela teve falências múltiplas de órgãos, vindo a falecer. A garota foi sepultada em São Carlos e como no caso do rapaz que tem seu corpo retido na África do Sul, familiares não comentam o assunto. Um dos motivos seria o receio de represálias do narcotráfico e o outro, o envolvimento com a polícia.

Rotas

A maioria das rotas dos traficantes que partem do Brasil seriam dirigidas para Europa (Itália, Holanda, França, Espanha, Áustria, Alemanha, Portugal, Turquia e África do Sul). A Polícia Federal e Estadual já prendeu centenas de “mulas” e traficantes em rodoviárias, ônibus e aeroportos brasileiros, transportando drogas em sapatos, fundo falso de malas, bagagens, fixadas no corpo, mas mesmo assim inúmeros acabam embarcando em vôos internacionais carregando drogas no estômago, cujo entorpecente é entregue à traficantes na maioria da Europa.

Mulas

A Polícia diz que as “mulas” contratadas, são de ambos os sexos. Segundo informações, homens e mulheres contratados no Brasil para levarem droga para Europa recebem entre três e cinco mil euros, passagens e alojamento para permanência no país. O valor pode chegar a R$ 30 mil, o que atrai muitos jovens que desconhecem o perigo para a saúde e o perigo de ameaças pelo narcotráfico internacional, além da descoberta pela polícia.

Europeus

Traficantes europeus também recebem entre cinco e sete mil euros para trazerem "ectasy" para o Brasil e levarem de volta entre três e cinco quilos de cocaína amarrados ao corpo ou em cápsulas no estômago. O Departamento de Investigações sobre Narcóticos (DENARC) da Polícia Civil de São Paulo também investiga a rota do tráfico no Estado. Os jovens contratados para realizar o transporte da droga tem entre 18 a 27 anos. Eles iniciam como “laranjas” (acompanham o transporte). Posteriormente eles viram “mulas” (carregadores de drogas no corpo ou no estômago). Ônibus e aviões

Segundo a polícia, geralmente as “mulas” utilizam ônibus para viagem de curta distância e aviões para viagens de longa distância. Para este tipo de crime, o narcotráfico sabendo da fiscalização, na maioria  das vezes, utilizam apenas jovens acima de 18 anos e no caso de transporte aéreo, realiza todo tramite para a retirada do passaporte. Existem casos de adolescentes que transportam drogas em malas e bolsas, mas segundo a polícia, este tipo de transporte é raro, porém existe.

comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias