Menu
quarta, 25 de abril de 2018
Polícia

Bombeiros registram duas mortes por afogamento na virada de 2008: Mortes poderiam ter sido evitadas

02 Jan 2008 - 00h35Por Redação São Carlos Agora
O 3º Sub Grupamento do Corpo de Bombeiros da região de São Carlos que já trabalha na “Operação Verão”, registrou entre domingo (30) e primeiro dia de 2008, três afogamentos que resultaram em duas mortes, as quais foram causadas pela aventura de um banhista tentou apanhar uma bola na represa do Broa e outra por um rapaz que embriagado tentava atravessar uma das três represas do condomínio Val Paraíso em São Carlos. A terceira morte só não se consumou por muita sorte de um homem que por cerca de duas horas ficou com apenas o rosto para fora em um atoleiro de uma represa recém construída em Ibaté. Até o momento os Bombeiros também registraram cinco mortes por afogamentos nas praias do litoral paulista que recebeu cerca de 3 milhões de turistas para a virada do ano. [lm] VERÃOO Corpo de Bombeiros alerta a população para ficar atenta nesse verão que promete temperaturas altíssimas. Até mesmo em piscinas tem que se ficar atento, pois no ano retrasado duas mortes de crianças foram registradas. BROA Segundo apurado na tarde de domingo por volta das 13h, o Corpo de Bombeiros de São Carlos, foi alertado de um afogamento ocorrido na prainha do Broa, que recebeu cerca de 10 mil banhistas devido ao forte calor que atingiu também a região com temperaturas de 35 a 38 graus.Ao chegarem na represa, os Bombeiros foram alertados por banhistas que um rapaz teria nadado até o ponto onde estaria uma bola perdida e supostamente não sabendo nadar acabou afundando e não mais regressara.Imediatamente os mergulhadores passaram a realizar buscas nas águas da represa, quando por volta das 17h30, o corpo do serviço geral Antônio Alves Pereira, 24, foi localizado a uma profundidade de 4,5 metros.Resgatado pelos Bombeiros de São Carlos, o cadáver do rapaz que teria ido ao Broa passar a virada do ano em uma excursão de Sumaré, onde residia, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Rio Claro, onde passou por necropsia e pela madrugada do dia 31, foi encaminhado à Sumaré, onde foi sepultado no final da tarde. O caso foi registrado também pelas policias civil e militar de Itirapina.              IBATÉNo início da noite também de domingo, os Bombeiros de São Carlos, foram alertados pela Polícia Militar de Ibaté que outro rapaz estaria se afogando na represa do sítio São Sebastião, localizado no quilômetro 245 da SP 310 – Rodovia Washington Luís.Em chegando no local os Bombeiros foram alertados que um sitiante teria feito a represa em sua propriedade e o trabalhador rural Edvaldo Alves de Almeida, 32, morador no local devido a forte calor, teria resolvido atravessar a mesma a nado, porém chegando a margem contrária tentou sair da represa e acabou atolando em um brejo que se formou e quanto mais se debatia mais atolava e somente parou quando ficou apenas com o rosto para fora por cerca de duas horas, quando foi encontrado por familiares que ouviram seus gritos.Os Bombeiros conseguiram içá-lo com o auxílio de cordas e resgatá-lo com vida, encaminhado-o para o hospital Hermínia Morgati onde foi internado em observações médicas. O caso também foi registrado pela Polícia Militar de Ibaté. SÃO CARLOSJá na tarde do primeiro dia de 2008, novamente o Corpo de Bombeiros foi acionado para mais um afogamento, o qual se deu em uma das três represas do condomínio Val Paraíso, localizado na SP 318 – Rodovia Thales de Lourena Peixoto Junior.Segundo apurado o trabalhador rural Andalus Aparecido Teixeira, 27, após passar a virada do ano em companhia de amigos no sub-distrito de Água Vermelha, após o primeiro almoço do ano, com o forte calor resolveu se dirigir com os amigos para o Val Paraíso, região do bairro Varjão, onde todos se refrescavam, quando embriagado Andalus, adentrou a represa e passou a nadar, dizendo que iria atravessá-la, porém longe das margens, teria sofrido uma congestão e afundado repentinamente.Desesperados, os amigos passaram a procurá-lo, quando um deles o achou afogado em uma parte rasa e o retirou das águas realizando massagens cardíacas no mesmo que chegou soltar a água engolida. No mesmo instante, outras pessoas que estavam na represa comunicaram os Bombeiros que enviaram a Unidade Resgate para o local, porém antes mesmo da chegada do Resgate, o trabalhador rural acabou falecendo.A Polícia Militar também foi chamada e após registrar o afogamento com vítima fatal comunicou o caso ao delegado Fernando Izeppi que enviou para a represa a Polícia Científica que realizou todos os levantamentos sobre a morte de Andalus, o qual teve seu corpo encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de São Carlos, onde passou por necropsia e pelo final da noite foi liberado à familiares que realizara seu na tarde desta quarta-feira em São Carlos. CONHECIMENTOSO tenente Márcio Roberto de Campos, comandante dos Postos dos Bombeiros em São Carlos diz que os principais fatores dos afogamentos são: imprudência, o álcool, a congestão, o descuido com crianças e o abuso. Segundo ele em muitas represas e até mesmo em clubes da cidade e região é imprescindível a presença de um salva-vidas para evitar abusos e tragédias como ocorreu em dois casos neste final e início de ano na região do 3º Sub-Grupamento de Bombeiros (SGB). Ele também lembra que estes profissionais devem ter conhecimento na área de salvamento aquático e primeiros socorros.“Nós somos acionados para diversos afogamentos nos mais variados locais e o que se percebe é que há abusos de banhistas, descuidos de responsáveis, falta de salva-vidas e inexperiência de alguns profissionais”, alertou Márcio.   RECOMENDAÇÕESA imprudência é apontada como a principal causa dos acidentes aquáticos, na maior parte dos casos, possíveis de serem evitados. Prevendo que no confronto com a natureza o homem sempre leva a pior, a recomendação do Corpo de Bombeiros para este verão 2008 é que os banhistas utilizem apenas locais onde haja um salva-vidas habilitado.
“Os primeiros socorros são essenciais quando ocorre o afogamento. Nós não recomendamos que ninguém, em qualquer circunstância, nade em rios, açudes, córregos, lagos, represas ou piscinas de clubes onde não haja alguém habilitado para aplicar técnicas necessárias para salvar vidas”, orienta ele.As represas do Broa e do 29, são os pontos que preocupam o Corpo de Bombeiros de São Carlos pela grande concentração de banhistas.Márcio conta que na região a maior incidência de afogamentos é na represa do Broa, onde também se concentra o maior número de banhista. Ele também alerta para os problemas de afogamentos na represa do 29, onde também vem crescendo a freqüência de banhistas. Naquela represa já ocorreu um afogamento em 2007. Segundo ele o local é desprovido de segurança e salva-vidas.“Embora as pessoas estejam se dirigindo para aquele local, onde está concentrada uma grande quantidade de chácaras e a entrada é franqueada, é preciso que cada um lembre que o banhista não deve abusar da água e bebidas, pois o socorro no 29, ainda é muito precário e o local é distante da cidade, o que dificulta ainda mais o trabalho não só do Corpo de Bombeiros, mas também outros órgãos de emergência” alerta. SAIBA COMO EVITAR ALGUNS AFOGAMENTOS
Use redes sobre em piscinas. Construa alambrados em torno de piscinas ou poços.  Ensine a criança a nadar o mais cedo possível. Criança deve usar bóias (do tipo braçadeira) enquanto estiver na água. Nunca deixe a criança brincar perto de piscinas, sem a companhia de adultos.CLUBES, REPRESA E RIOS  Mantenha a criança próxima a você, não descuide e sempre use salva-vidas. Não permita que a criança nade em locais desconhecidos ou proibidos. Em caso de emergência, chame imediatamente o Corpo de Bombeiros pelo telefone 193. 
comments powered by Disqus

Leia Também

Últimas Notícias